Cadastre-se no site

Primeira página

Seções

Profissões

Doenças

Condições

Cursos

Dicas

Vídeos

Redes Sociais

Cuidar de Idosos

Publicado em: 17/04/2010

A- A+

Os filhos têm obrigação de cuidar dos pais idosos?

  •  Favoritos
  •  Assinar feed
  •  Receba por e-mail
  •  Link para este post
  •  Notificar erro
  • Enviar para amigo

  •  

image002 Os filhos têm obrigação de cuidar dos pais idosos?

Os filhos têm obrigação de cuidar dos pais idosos?

Os filhos têm obrigação de cuidar dos pais idosos?

Para responder a esta pergunta que tem sido tema de constantes dúvidas de vários internautas lançarei mão do Estatuto do Idoso, em alguns artigos específicos:

Art. 3o É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

Art. 37. O idoso tem direito a moradia digna, no seio da família natural ou substituta, ou desacompanhado de seus familiares, quando assim o desejar, ou, ainda, em instituição pública ou privada.

Art. 43. As medidas de proteção ao idoso são aplicáveis sempre que os direitos reconhecidos nesta Lei forem ameaçados ou violados:

I – por ação ou omissão da sociedade ou do Estado;

II – por falta, omissão ou abuso da família, curador ou entidade de atendimento;

III – em razão de sua condição pessoal.

Art. 45. Verificada qualquer das hipóteses previstas no art. 43, o Ministério Público ou o Poder Judiciário, a requerimento daquele, poderá determinar, dentre outras, as seguintes medidas:

I – encaminhamento à família ou curador, mediante termo de responsabilidade;

II – orientação, apoio e acompanhamento temporários;

III – requisição para tratamento de sua saúde, em regime ambulatorial, hospitalar ou domiciliar;

IV – inclusão em programa oficial ou comunitário de auxílio, orientação e tratamento a usuários dependentes de drogas lícitas ou ilícitas, ao próprio idoso ou à pessoa de sua convivência que lhe cause perturbação;

V – abrigo em entidade;

VI – abrigo temporário.

O Estatuto do Idoso dispõe que o cuidado dos idosos é de responsabilidade prioritária da família. Caso o idoso não possua família, o Poder Público decidirá se o idoso tem condições de cuidar de si mesmo ou se necessitará de ajuda da comunidade ou mesmo da mudança para um abrigo ou Instituição de Longa Permanência para Idosos.

Na maioria dos casos o idoso possui família e a maioria das dúvidas que têm aparecido aqui no site se enquadram nesta situação. Nestes casos normalmente o cuidado (quando o idoso necessita) fica a cargo dos filhos ou do outro parente mais próximo e que tenha condições de cuidar de outra pessoa. Em alguns casos é o esposo(a) também idoso(a) que assume sozinho esta responsabilidade de cuidar. Quando o esposo(a) já faleceu normalmente este cuidado fica a cargo dos filhos.

Vale a pena ressaltar que em muitas situações dois ou mais idosos (irmãos, primos, amigos) optam por residir juntos para terem companhia, o que é benéfico apenas quando todos têm uma certa autonomia. Um idoso que também já possui suas limitações não pode responsabilizar-se sozinho pelo cuidado de outro idoso ainda mais limitado que ele.

Então, como regra geral, quem cuida de um idoso dependente são os filhos. Aí começam a surgir as dúvidas freqüentes. Quando há um filho único ele pode se sentir sobrecarregado por ter que assumir tudo sozinho, porém ele sabe que não tem outros irmãos para dividir isto com ele e, geralmente, assume o cuidado por sua conta e risco.

Porém, quando há mais irmãos parece que a situação torna-se um pouco mais complicada. Na teoria, seria a situação mais fácil e mais natural de se acontecer: os irmãos se organizariam para que todos cuidassem dos pais, de forma que nenhum sairia sobrecarregado. Porém, o que eu mais tenho escutado ultimamente são situações onde um irmão se vê o único responsável pelo cuidado dos pais idosos, os outros saem fora, omitem, negligenciam e, direta ou indiretamente, deixam toda a responsabilidade com um único irmão. Este único cuidador fica sobrecarregado física, mental e financeiramente por ter que arcar com todas as consequencias de se cuidar de um familiar idoso, alguns chegam a deixar o emprego, outros vivem crises matrimoniais devido a esta grande mudança que acontece em suas vidas.

Neste sentido, internautas, mais uma vez venho aqui ressaltar. Desconheço uma lei que obrigue todos os filhos a se responsabilizarem, em igual proporção, pelo cuidado dos pais. O estatuto deixa clara a questão da responsabilidade da família, expõe a aplicação de medidas de proteção contra as famílias que negligenciarem ou abusarem do idoso. Porém, se alguém da família (por exemplo, um filho), assume sozinho a responsabilidade, o idoso estará amparado e não mais será alvo de negligência, por isto ele não sofrerá nenhum tipo de punição. Neste caso, o Estatuto está protegendo o Idoso, que muitas vezes não tem mesmo nenhuma condição de proteger sua integridade física e mental, mas infelizmente este documento não tem condições também de proteger um cuidador familiar que está sendo negligenciado e explorado por parte do restante da família.

Por outro lado, se nenhum membro da família, seja por qualquer motivo, assumir o cuidado do idoso ou não optar (preferencialmente esta deve ser uma decisão do próprio idoso) por levá-lo a uma instituição de longa permanência a família toda será punida por isto, pois fica subentendido que todos estão sendo omissos e negligentes.

Mais uma vez fica aqui o meu apelo para que as famílias se conscientizem da real necessidade de muitos idosos de terem um cuidador para garantir a sua sobrevivência. Não existe lei que obrigue os irmãos a dividirem o cuidado dos pais, mas em muitas situações a melhor lei é o bom senso, a ética, a caridade e a consciência tranqüila.

Também precisam se conscientizar de que deixar que apenas um filho seja cuidador em tempo integral é uma decisão muito cômoda para toda a família, exceto para aquele cuidador que provavelmente vai sofrer devido a esta sobrecarga. Como em várias outras situações no decorrer e nossas vidas, cabe a cada um de nós a consciência de fazermos nossa parte para ajudar na resolução de um problema.

Além disso, sempre que um familiar sentir que os outros estão discretamente deixando o cuidado do idoso sobre a sua responsabilidade, cabe a ele reunir a família e conversar sobre a situação. Mesmo que ele tenha vontade ou condições de cuidar do idoso sozinho é importante conscientizar todos sobre a necessidade de receber auxílio da família (apoio ou mesmo ajuda financeira), pois um dia este cuidador pode não ter mais condições de cuidar, precisará de ajuda e provavelmente ninguém irá querer, pois do jeito que estava era muito mais cômodo para eles. Assumir o cuidado sozinho na maioria das vezes não é a solução mais adequada, o ideal é engajar todos nesta empreitada, já que todos da família, em especial todos os filhos, têm a mesma parcela de responsabilidade para com o pai idoso. Independente de se ter problemas pessoais ou não é tarefa de cada um pensar alternativas que visem o bem-estar do idoso e de toda a família, lembrando-se sempre que não é justo sobrecarregar apenas uma pessoa.

Nos casos onde não é possível encontrar uma solução amistosa entre a família é aconselhável procurar o Conselho Municipal do Idoso, relatar o que está acontecendo e procurar orientações de como solucionar o problema. Em hipótese alguma o idoso pode ser alvo de abandono ou negligência e em muitas vezes é melhor levá-lo a uma instituição do que deixá-lo abandonado.

Luciene C. Miranda

Psicóloga - lucienecm@yahoo.com.br

Avalie este artigo

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas 22 Voto(s)
Loading ... Loading ...

167 comentários em “Os filhos têm obrigação de cuidar dos pais idosos?”

  1. nelson disse:

    oi, eu gostaria de saber o que eu devo fazer em relação ao meu pai, bom para começar ele nunca cuidou de mim ou do meu outro irmão, mas como o nome dele consta como meu pai(por mais que ele nunca tenha sido)eu sou obrigado a cuidar dele agora, já que ele não tem mais idade para cuidar de si mesmo, o problema é que além de ele ser teimoso, violento e muito mal agradecido,ele também não confia na própria família, ele nos acusa de estarmos roubando o dinheiro dele ou até envenenando-o, ele prefere confiar na acompanhante que ele tinha contratado sem o nosso consentimento do que em nós que somos seu responsável,o pior de tudo é que um bom dinheiro foi retirado da conta dele e agora ele está devendo ao banco, vai ficar meses sem receber o dinheiro da aposentadoria, e nós vamos ter que arcar com os prejuízos, eu não tenho provas, mas acredito que foi a acompanhante dele que sacou o dinheiro da conta dele, já que é ela que o acompanha para receber, ele não confia em mim para receber por ele e agora eu não sei mais o que fazer, será que você poderia me ajudar?por favor eu preciso de uma solução para esse problema.

  2. ercilia disse:

    Boa noite,sou idosa com 68 anos e gostaria de saber se tem algum plano p idoso do tipo plano funeral,que poderia ser pago desde jovem e quando precisassem de um abrigo seu lugar estaria garantido,pois a pior parte é essa pois muitos ficam jogados e nem os filhos querem. No plano funeral tem-se carencia e funeral garantido. assim poderia existir um plano que garantisse ao idoso um abrigo já reservado e sua aposentadoria seria para o seu sustento.mande-me resposta

  3. luis claudio alves disse:

    gostaria de saber que medida tomar sua duas irmã uma delas internou á sua mãe sem a outra saber e tambem não contou aonde colocou sua mãe,e esta irmã mas tarde descobre que sua mãe foi internada em um asilo onde os interno ou estão em uma cadeira de roda ou tem problema psico.Está irmã resolve tira sua mãe deste asilo mas não esta conseguindo pois a policia disse que não pode fazer nada? e sua mãe disse que ta ficando doida neste locar mas os diretos não autoriza a retirada da idosa. o que fazer?

  4. Andreza disse:

    E quando um idoso, alcoolatra, que em plena saude acabou com a familia e os bens materiais, e agora nao tem nem casa pra morar fica ameaçando os filhos com pocesso, ele esta usando de ma fe com o estatuto do idoso.

  5. Lucimara disse:

    Do ponto de vista jurídico, muito embora a autora do artigo desconheça legislação que obrigue todos os filhos a cuidarem dos pais idosos, não quer dizer que ela não exista. Existe sim. O fato do idoso estar amparado não exime os demais filhos de suas responsabilidades filiais. Basta analisar o fato de que os pais tem o dever de cuidado para com os filhos menores ou incapazes (todos os filhos), também os filhos tem o dever de cuidado para com os pais idosos (todos os filhos). Inclusive, o dever de assistência não é apenas material/financeira, mas também afetiva, e a omissão em qualquer dessas áreas pode levar o filho a responsabilização civil. Bem se sabe também, que o abandono de um filho no momento em que um pai mais precisa gera efeitos psicológicos imensuráveis, que podem agravar o estado de saúde do idoso, o que não deixa de ser um tipo de agressão, que fere diretamente a dignidade humana (amparada pela Constituição Federal). Também, o cuidador solitário assume esse posto não por desejo próprio, nem por falta de diálogo, mas por que a sordidez humana é tanta que quem tem o dever e se omite usa todos os tipos de justificativas para se furtar de seu dever legal e moral. Assim, todos os filhos tem sim o dever de cuidar dos pais idosos, sobretudo os doentes e incapacitados, cada um dentro de suas possibilidades, sendo que as necessidades de auxílio são inúmeras: quem não tem recursos financeiros pode realizar atividades de cunho diverso, tais como, levar para uma consulta médica, tratamento fisioterápico, tomar as providencias burocráticas para conseguir os medicamentos fornecidos pelo governo, levar para exames laboratoriais, providenciar empréstimo de andadores, cadeira de rodas, dar banho, alimentar, comprar roupas e produtos de higiêne e sobretudo, realizar visitas frequentes e tratar o idoso com muito respeito e carinho.

  6. Giane disse:

    Olá Luciene

    Eu e minha família cuidamos do meu pai com parkinson já há muitos anos.
    Porém a situação agora complicou demais porque a doença está extremamente avançada e é necessário alguém pra cuidar dele 24horas por dia.
    Todos na família trabalham para tentar suprir as necessidades dele, da minha mãe, pagando inclusive assistencia médica para os dois. Ou seja, chegamos na situação de que não temos mais condições financeiras, não temos mais de onde tirar dinheiro para pagar cuidadores, e muitos menos clínicas que é ainda mais caro. Ainda mais agora que a lei obriga a pagar todos os direitos igual CLT a eles.
    Gostaria de saber se existe alguma maneira do estado, governo ajudar, nem que seja abrindo um processo, pois não sei mais o que fazer, se não conseguirmos mais alguém pra cuidar dele pelo valor que podemos pagar! É muito fácil o governo criar estatuto do idoso, sendo que coloca toda a obrigação de cuidar deles para a família! Num país que temos pagar até pela saúde que seria obrigação também do governo!
    Obrigada

  7. Poliana disse:

    Moro em um apartamento e tenho duas vizinhas que moram sozinhas.
    Uma senhora e sua filha q tem problemas mentais.O grande problema é q elas brigam o tempo todo.
    não tem hora para gritarem e elas batem nas paredes, o encomodo é grande para todos os vizinhos.
    Como posso agir?

  8. jorge disse:

    olá,minha sogra esta morando a um ano e meio comigo minha esposa e meu filho de 16 anos, ela tem uma demencia muita avançada e esta muito agressiva, eu, esposa e filho não estamos mais aguentando, os outros 2 filhos a abandonaram ficaram com a casa dela e fizeram diversos emprestimos na conta dela que vem descontados dos beneficios dela, gostaria de saber se a alguma forma de obrigar os 2 filhos ficarem com ela pelo menos nos finais de semana ou ajudarem financeiramente para o custeio de um cuidador.
    Obrigado…

  9. Cris disse:

    Drª Luciene, agradeço pelas orientações do site, mas estou procurando ajuda desesperadamente, e não sei por onde começar. Viemos morar com minha sogra a aproximadamente á 8 meses , depois do falecimento do meu sogro, viemos morar com minha sogra de 74 anos, porém meu marido foi diagnósticado com transtorno de personalidade delirante CID F10, talves seja pelos maus tratos sofrido na infância, isto é, pela própria mãe (ele é filho adotivo). Aos 21 anos de idade foi mandado embora de casa devido aos desentendimentos familiares, mantendo contato somente com o pai. Agora que estamos morando com ela temos uma filha, de 1 anos e 2 meses, e tivemos uma visita de uma assistente social em casa, já que a idosa esta hospitalizada devido a diabete e uma queda que fraturou o ombro, a assistente social esta me obrigando a colocar minha filha na creché para cuidar da idosa e da casa, não acho que isso seja justo, já que tenho minha renda e faço questão de manter minha filha comigo e não tenho a intenção de coloca-la numa creché. Meu casamento de 13 anos esta preste a acabar, já que meu marido não tem condições de cuidar da mesma, e contratar uma cuidadora profissional, segundo a assistente social não seria a solução já que o meu marido tem esse problema o ideal e manter minha filha longe dessa situação, já que a idosa esta muito confusa, provavelmente com demência. Por favor, preciso muito de ajuda, pois estou quase indo embora de casa por causa dessa situação. obs: a idosa não quer ir para uma casa de repouso, para receber cuidados. E meu marido faz tratamento e jamais foi agrssivo conosco, minha filha nunca presenciou uma briga em sua vida!

  10. valquiria disse:

    olá,tenho duvidas meu sogro mora comigo,nos tivemos uma discurssão e ele me bateu com um tapa na cara,eu queria registrar um bo contra ele pois ele tem 71 anos ,ele estava na casa do idoso pagavam um salário para morar,mas ele tem uma filha de 11 anos, e paga pensão, e os outros filhos do primeiro casamento que são tres ,so o meu marido ficou com ele,num final de semana nos discutimos e ele me deu um tapa,eu não queria mais ele em minha casa,,como ele fez isso comigo tenho como exigir a saida dele,,

  11. Marcos disse:

    Boa tarde, minha esposa é filha única e tem um pai de 62 anos que abandonou ela e a mãe dela (que se divorciou dele) quando era adolescente, ele só trabalhou 1 ano durante a vida toda e portanto não tem direito a aposentadoria. Ele viveu sua vida sozinho conseguindo dinheiro através de jogos de azar e foi por meio desses jogos que ele perdeu tudo o que tinha e hoje está vivendo praticamente como um mendigo, dormindo e se alimentando na rua.
    Ele sempre foi uma pessoa difícil e com problemas psiquiátricos, tem 4 irmãos com os quais sempre brigou inclusive ameaçou matar um deles com uma foice, sendo portanto uma pessoa violenta e inconstante e que também necessita tomar medicamentos psiquiátricos mas se recusa a isso, não sabe ler nem escrever.
    Atualmente minha esposa cadastrou o nome dele num asilo público aqui na cidade em que moramos e seu nome se encontra na lista de espera do asilo.
    Ele sempre está indo ao Caps (Centro de Atenção Psicossocial) aqui da minha cidade e a assistente social fica pressionando minha esposa para que resolva a situação dele, ou seja, para encontrarmos um lugar para ele ficar.
    Eu, minha esposa e filho (de 1 ano e meio) moramos em um apartamento financiado e além de não termos espaço não queremos uma pessoa violenta morando junto com nosso filho pequeno. Já fomos atras de pensão para ele morar mas a dona da pensão devido ao seu estado físico e psiquiátrico se recusou a aceita-lo e ele mesmo(meu sogro) se recusou a morar nessa pensão pois os quartos eram coletivos e ele não queria!.
    Diante disso vimos a possibilidade de alugarmos uma casa para ele morar só que não temos condições financeiras de arcarmos com esse custo, já que cuidar dele não só implicaria no valor do aluguel como também alimentação, água, energia, roupas, remédios e visto que ele não trabalha e não tem aposentadoria, portanto não dispõe de recursos financeiros e se tornaria difícil para a gente arcarmos sozinho com isso.
    Lembrando que ele nunca pagou pensão nenhuma para minha esposa e não deu nenhum suporte tanto financeiro como psicológico a ela e agora quando envelhece vira “santo” como já vi escreverem em outros comentários e vem atrás de minha esposa cobrando cuidados.
    Penso que não somos obrigados a cuidar de quem nunca nos cuidou.
    Obrigado
    Marcos Mendes

  12. Jan disse:

    Minha mae tem 82 anos e mora sozinhA EM OUTRO ESTADO, meu pai faleceu a 4 anos. Sempre quis ser independente e nao gosta de morar com ninguém nem de ter ajudante em casa para dormir.É lúcida, ativa, mas tá sempre com algum problema de saúde. Ultimamente tem tido dores e dificuldades para andar do jeito que sempre fez
    Tem conhecimento do Estatuto do Idoso e diz da nossa responsabilidade de cuidar dos pais. Nunca negamos cuidar dela. Quando meu pai faleceu a disse que viria, veio e ficou uma semana, já até preparei uma casinha nos fundos para que ela viesse e tivesse sua independencia, pois nao quer morar dentro de casa comigo. Mas ela nao quer mudar para Sao Paulo, onde moramos. Eu e minha irmã temos nossa vida, trabalho, filhos.
    Numa real necessidade de nossos cuidados temos a obrigaçao de deixar tudo e ir para o outro estado ou ela tem que vir para morar em nossa residência? Nao negamos ajuda nem a permanencia dela conosco.

  13. jose disse:

    Pois é,problematica complicada, mas recorro a replica da constituiçao federal, em sintese foram retidas da carta trechos especificos qto ao direito e dever, e acrecentado a dita lei do idoso,todos tem o mmo direitos, acho que cada caso deveria ser analizado por um promotor e juiz,em prejuizo de separaçao conjugal, por imposiçao do estado, ser levado a jurisprudencia da lei, houve dano a carta magma,sobrecarga e abstinencia ao laser, trabalho,vida moradia, fere os direito constituçional do cidadao,(filho no caso unico) resumindo nao é justo em um estado democratico, uma lei “genérica estado ,tampando com peneira. SRs a balança da lei na pendula de um lado só, o abono do idoso é dever do estado com observancia o todo prestar o melhor em lei do idoso, acho redundante essa lei, ´quase militarismo”,por falha de um estado falido,os que realmente precisam de apoio, converte em casos absurdos de maus tratos,quer dizer todos na mesma panela, sem distinçao de casos.e tem mais independente do estado psiquico do idoso nao é relevante,basta ir ao orgao publico e fantasiar sua insatifaçao e pronto e expedito uma sentença arbitaria .acredito sim nos direito iguais mas observada a lei seu tempo e espaço nao somos genericos!temos cada um diferencial de vida com historias diferentes, retrado sim a observancia da lei do idoso mas na forma distorcida que se apresenta.

  14. Aparecida disse:

    Bom dia! Estou com um grande problema: minha mãe têm 78 anos, e mora com o meu irmão mais velho, de 46 anso, que não trabalha faz uns 20 anos….minha mãe têm uma situação financeira estável (pensao e aposentadoria), eu tenho mais um irmão. Gostaria muito de estar cuidando da minha mãe, pois sou mulher e tudo fica mais fácil, só que o meu irmão não abre mão dela, e ela por sua vez, é totalmente dependente dele, ela não sabe nem as senhas dos bancos….
    Faz uns 4 anos meu irmão levou para morar com eles um rapaz, que hoje tem 23 anos….eles têm conta conjunta e dormem numa cama de casal….
    Nesta terça feira, eu fui proibida de visitar a minha mãe na casa deles, pois ele me acusou de ter agredido a minha mãe…detalhe eu fui la, para leva la ao medico, pois o cachorro deles a derrubou, faz uma semana e ninguem a socorreu, dizendo que ela não quis ir ao médico….e comecei a questioná la sobre seu dinheiro, pois a mesma não têm uma dieta adequada (diabética, obesa e hipertensa).
    enfim, gostaria de saber o que fazer, pois tenho medo desta acusaçõa infundada, pois estava morando em POrto Alegre, vendi tudo que tinha para vir para SP, pois ela disse que queria eu mais perto….agora não posso nem ve -la. Por favor ajudem-me

  15. Suely Aparecida Gonçalves Betaressi disse:

    minha mão tem 80 anos é super lucida mora comigo a alguns anos, agora meru marido e meu filho não querem que ela fique aqui em casa mandou ela embora ela esta sofrendo muito pois ela foi para casa de 2 netas que gostam muito dela so que elas são mocinhas trabalha o dia todo e a noite saem para passear minha mae fica muito sozinha
    Gostaria de saber o que devo fazer para cuidar de minha mae pois ela e tudo para mim e precisa dos meus cuidados me ajudem aguardo resposta obrigada.

    Suely

  16. Chris disse:

    Olá, vou contar a minha história pois eu não sei o que fazer mais,
    perdi o meu pai com ia fazer 7 anos, hoje tenho 33 anos,
    minha mãe sempre foi uma pessoal difícil, briguenta, apanhei muito e nunca teve dialogo, sempre foi surra e punição, hoje ela tem 75 anos, teve um avc a 13 anos q e tornou deficiente do lado esquerdo mais sempre lucida e, eu conheci uma moça e digamos enrolei o meu casamento por 10 anos pensando na minha mãe, porém nossa convivência foi ficando cada vez mais difícil e chegou um momento que queria casar, conversei com a minha mãe e ela cedeu a construção da casa no mesmo quintal, mais mal comecei e já comecei ouvir que a casa era dela, e quem manda la era ela, resumindo não foi a primeira vez que ouvir isso na minha vida e desistir, pois queria casar para vive bem, comprei um apto, em jun/2010 casei e sai de casa, no mesmo ano meu irmão resolveu ir morar la junto com ela e a familia dele esposa e duas meninas,porém a vida dele virou um inferno que não conseguiu ficar 2 meses com a família dele, recentemente coloquei uma mulher para ficar em uma casa do fundo do quintal e olhar ela, fazer almoço, dar banho e pagava 1 salario minimo, e fazia isso 3 a 4 vezes por semana p/ adaptacao, minha mãe novamente implicou e falou que não queria a mulher la mais de jeito nenhum e teve que ir embora e nunca me falou o motivo, com isso ja tinha reformado a casa do fundo e gastado para nada, sendo que a minha mae aceito quando apresentei e ja conhecia pois era vizinha, e agora nao quer mais, o que eu faço? pois eu não sei mais o q fazer ! hoje uma outra vizinha e minha tia que ajuda e vai la as vezes, e agora eu e meu irmão estamos com medo de ir preso, mais tirando nós 2, parente nenhum vai la porque ela afastou todo mundo durante a sua vida, para vc ter ideia, natal e ano novo eu passo com a família da esposa, e sempre chamo ela, onde pego de carro, e la transporto ela no colo, mais ela diz que nao vai pq ta doente e não vai para casa d ninguem e prefere ficar sozinha ! o q eu faço ?

  17. jo disse:

    A lei é pra gente que não presta. Pra mim: pai é aquele que cria e não aquele que registra. Parece que quando as pessoas ficam idosas viram um anjo e todo crime que fez com os filhos é apagado. Imaginem: “um pai tem 1000 filhos, e mata 999 filhos e fica um. Aí depois de anos sem a convivência com esse filho ele ver que o filho que sobrou tem toda a obrigação de cuidar dele quando idoso. “que lindo!”
    Pois está na lei.” Art. 3o É obrigação da família…blababa, blababa, blababa… o foda é saber que esse “idoso santo” abandonou os filhos a família e depois de trinta anos ele tem o direto de ser cuidado pelos filhos. Achou uma lei injusta e autoritária e sem defesa para o filho que se sente obrigado a cuidar de um pessoa que nem cuidou dele e nem o conhece.
    E caso o filho não cuide dele pode ser preso. É justo essa lei.
    É justa essa lei. Vc ter sua família e seus filhos viver em paz e ai aparece do nada o PAI que ti abandonou e vc tem a obrigação de cuidar dele, pois está na lei e caso vc não cumpra a lei vc vai preso. É foda.
    Que porra é essa, por que ele não foi preso quando abandonou o filhos isso pra mim é uma sacanagem. Velho tem que ser preso pelos seus atos independentemente da idade se fez um crime tem que ser punido.
    Existe uma saída: Qual é a saída?

  18. regina disse:

    Somos em 6 irmãos e apenas a minha irmã mais velha fica com o com promisso de cuidar tempo integral da minha irmã as vezes eu tb trago ela para ficar comigo tb, mas, os outros ajudam a pagar convenios,porém, nunca pegam minha em finais de semana ou para lazer, isso vem causando um grande problema minha irmã está casada e esta pedindo desesperadamente para que nos a ajudemos, porém, 3 dos meus irmãos alegam que estão sempre ocupados…resolvemos fazer uma reunião sábado agora para dividirmos as responsabilidades, também iremos fazer um documento e dividir finais de semana,feriados e festas de final de ano,porém, tenho uma irmã que se recusa a ficar com minha mãe alegando que trabalha…sendo que todos nós temos tem ocupações o que poderemos alegar para que essa reunião seja concluida com sucesso?
    grata

  19. Luciene Miranda disse:

    Ari, você disse que o idoso é lúcido e não tem maiores problemas de saúde. Os filhos podem orientá-lo, mas como o idoso é lúcido e goza de boa saúde tem direito de decidir-se sobre como gerir sua própria vida (o que deve ter feito até então). Sugiro que os filhos tentem sempre conversar, de maneira amigável, sem serem impositivos, sem tentarem interferir, de forma a mostrarem ao idoso suas preocupações, seus pontos de vista, mas sem brigas, sem criarem maiores transtornos com o idoso.

  20. Ari Osmar Belém da Silva disse:

    Ola gostaria de saber, apenas uma coisa. como proceder com o idoso que não quer entrar em acordo com os filhos? Meu Pai tem 79 anos é lúcido, nao tem maiores problemas de saúde, mas nao permite orientação dos filhos quanto ao seu bem estar pessoal. o que devo fazer? Obrigado!

  21. FATIMA FORTE disse:

    DEVERIA EXISTIR LEI PARA OBRIGAR A TODOS OS FILHOS A CUIDAR DOS PAIS IDOSOS. NÃO É JUSTO SÓ UM CUIDAR E OS OUTROS POUSAREM DE BONZINHOS!! MUITOS ALEGAM QUE O RECEBIMENTO DO BENEFICIO É TUDO! FICANDO APENAS UMA PESSOA EXCLUSIVAMENTE PRA CUIDAR DESSE IDOSO, TUDO BEM O BENEFICIO” MAS ESSE BENEFICIO É PARA A MANUTENÇÃO DAS NECESSIDADES DESSE IDOSO, QUE NAO SÃO POUCAS. E AÍ, QUANDO O IDOSO MORRER? COMO É QUE ESSA PESSOA QUE CUIDOU O TEMPO TODO VAI FICAR? SE DEIXOU DE ESTUDAR, DE TRABALHAR PORQUE O PAI OU A MÃE NÃO PODIA FICAR SÓ! ENTÃO A LEI É MUITO FALHA! POIS DEVERIA OBRIGAR A TODOS OS FILHOS CUIDAR DOS SEUS IDOSOS

  22. Claudio Bottamedi disse:

    Meu pai ficou viuvo e casou de novo e teve um filho, esta com 82 anos e faz 5 anos que sofreu esquemia e esta de cama pode-se dizer que vegetando. Todos os filhos da primeira mulher negaram de receber sua parte da herança para que este use para seu cuidado.
    Ele esta sendo cuidado pela segunda mulher, todos os filhos ajundam com o que pode e pelos menos 1 dos filhos tem que passar o domingo com ela ajudando o pai.
    Com todo este tratamento ela sempre reclama que não ajudamos e que vai buscar mas direito.
    Gostaria de saber se ela (esoosa ) tem estes direito e quais são.
    pois estamos cançados de sempres escutar reclamações.
    Alguem pode me auxiliar.

  23. Luciene Miranda disse:

    Prezados, como já respondi em vários tópicos abaixo, nao é d mnha área de atuação profissional prestar orientações jurídicas, o que eu percebo que é o tipo de apoio que vocês tem vindo buscar aqui neste tópico. Em casos de dúvidas sobre pensões, afastaento no trabalho, licenças, quem será o responável legal por cuidar do idoso, dentre outras dúvidas, consultem um advogado, pois ele é o profissional capacitado para esclarecer este tipo de dúvidas.

  24. ana oliveira disse:

    Olá, infelizmente parece que todos aqui são filhos do mesmo pai e da mesma mãe e com irmãos idiotas,ingratos e imbecis. Cuido dos meus pais sozinha apesar de ter mais 3 irmaos,1 irmao e 2 irmas. Apesar de ser homem e de morar mt longe dos meus pais, meu irmao consegue ser mais presente que minha duas irmãs. Estou sobrecarregada fisica, emocional e financeiramente e eles não estão nem aí,simplesmente falam que eles não podem fazer nada pois eles tem problemas particulares,como se eu tb não tivesse. Vou tentar fazer a minha parte da melhor forma possivel enquanto meu pai tiver vida, ele está mt doente, tem alzheimer, diabetes, displasia medular e hipertensão. Será que esses ingratos pesam que não serão idosos um dia. Eu os entrego nas mãos justas de Deus! E que Deus ajude a todos os filhos ou netos que estão na mesma situação que eu.

  25. Juju disse:

    PARA ALINE

    Olá Aline, lendo sua mensagem dá pra imaginar o tamanho do seu problema, né !!!? Mas fique firme que de certa forma, alguma coisa tem que dar certo.
    Não sou advogada, não entendo nada de leis, mas penso que seu irmão se tem condições de ajudá-la financeiramente, isso deve ser cobrado dele, de uma forma ou de outra. Meu irmão, por exemplo, não tem condições deste tipo de ajuda, e por isso não posso exigir nada.
    Porém, tbm não exijo nem apoio moral ou psicológico, pq vejo que ele não tem mtas condições nem pra oferecer isso.
    Mas penso que da mesma forma que os pais tem OBRIGAÇÃO de pagar a pensão dos filhos menores, os filhos tbm tem esta obrigação sim, para com seus idosos.
    Acho mto ruim ter que levar o caso até o juiz para que se cumpra o estatuto do idoso, no que diz respeito aos filhos terem o dever de ajudar financeiramente os pais. Outra coisa seria vc, tbm, pedir ajuda da sua mãe, nos cuidados com o seu pai. Ela não poderia te ajudar nesta tarefa?
    Afinal sua mãe não gostaria de vê-la sobrecarregada, não é ?
    Penso que não custa tentar.
    Ah… peça a pensão do seu marido, para o seu filho menor.

    Eu digo para que vc mantenha uma linha de controle emocional, mesmo com tantos problemas, pq tudo que vc fez pelo seu pai, eu tbm faria a mesma coisa !!

    CONFIE SEMPRE !!

    abs
    Juju

  26. Aline Agelune Tavares Botrel disse:

    Boa noite!

    Vejo que minha situação é igual a de muitas pessoas! E queria uma direção. Sou a primogênita de três irmãos que cuida sozinha do meu pai que possui transtorno afetivo bipolar, é cardíaco e tem doença de parkinson! E a velha história se repete: meu irmão o odeia por causa de desentendimentos do passado provavelmente relativos à falta de conhecimento do diagnóstico dos transtornos mentais que meu pai possuia e que o levava a agir de modo irresponsável durante toda uma vida.Este irmão se recusa a me ajudar psicológica e financeiramente mesmo tendo muitas condições de o fazer. Minha outra irmã mais nova tem transtorno mental também e está morando fora da cidade e não mantem contato mais com a família pois fugiu para não ser interditada por minha mãe que é divorciada de meu pai. Meu marido me abandonou com um filho de 1 ano e 4 meses quando comecei a cuidar do meu pai. Não me paga pensão e me humilha constantemente em razão de eu ter tomada a decisão de colocar meu pai para morar conosco. Estamos separados e ele saiu de casa. Estou endividada por causa da sobrecarga financeira a que me lancei, com depressão, e outros problemas de saúde em decorrência do fato. Gostaria de saber o que faço? A conversa amigável com meu irmão foi mal sucedida por várias vezes! Tenho direito de receber ajuda financeira e emocional? POR FAVOR ME RESPONDAM!!!!

  27. Juju disse:

    CARLOS:
    Li sua postagem, sobre seu pai que não aceita ser cuidado de jeito algum.
    Não tenho nenhuma formação academica para comentar com mais propriedade este assunto, mas posso dar uma opinião de filha que cuida da mãe com alzheimer.

    É bem complicado saber se o idoso está adquirindo o alzheimer, se ele estiver no inicio. O principal sintoma, é aagressividade e a mudança de humor. Depois vai acontecendo outras coisas.

    Minha mãe como já era, normalmente, uma pessoa agitada, nervosa ao extremo e agressiva, a gente demorou mto a perceber sua doença.
    Depois teve um momento que ela não podia mais ficar sozinha, pq além do alzheimer em estágio moderado, tbm tem diabetes e pressão alta. Necessitava de acompanhamento da medicação, a qual ela não sabia mais administrar.
    qdo ela veio morar conosco, ainda andava e sabia que estava fora da sua casa, e gritava, assim como seu pai que queria ir embora.
    Isso era o dia todo.

    Hj ela não reconhece mais ninguem.

    Eu tbm tinha esta mesma preocupação, pq como ela já não se cuidava mais sozinha, mas ainda tinha um pouco de lucidez, e não queria vir conosco. Mas chegou uma hora, que eu já achava que estava sendo negligente deixando-a morar só.

    As pessoas do prédio já percebia que ela não estava bem, e que não podia morar sozinha.

    Não teve jeito… ela querendo ou não, tive que trazê-la pra casa.

    Eu diria que vc levasse seu pai ao neurologista para que fizesse alguns exames, e pedisse a opinião dele (médico), como vc pode proceder neste caso do seu pai ficar resistente a sair do apto dele.

    Se for o caso vá ao poder publico e explique a situação, e faça um registro disso, sei lá.

    Porque mesmo ele não querendo morar com voces ou negar os cuidados, penso que vcs podem sim, ser os responsáveis por negligencia.

    Na realidade é uma situação mto dificil, mas não deixe isso ficar pior.

    Verifique com o médico, uma avalição psiquiátrica tbm, talvez ele precise de um medicamento para a agressividade.

    Mas isso tudo que falei, é apenas minha opinião.
    Opinião de quem cuida de idoso com agressividade.

    Abs
    Juju

  28. Eduardo disse:

    Minha avo tem 3 filhos mais nenhum da algum tipo de apoio, dizem q o fato de ela ter me criado a obrigação é so minha de cuidar trabalho a noite de dia não descanso nada pois tenho q cuidar dela consegui uma pessoa para possar com ela, tentei conversar de forma amigavel com meus tios mais sem sucesso, estou em um estado de nervos ando muito nervoso pois tenho q resolver tudo sozinho nem ligar para ver como a mãe deles esta eles ligam, minha mãe ajudou mais tive que levar minha vó la meu tio com 3 carros na garegem eu tive que pagar outra pessoa para levar, minha tia diz a mesma coisa que tenho que me virar pois minha vó me criou não tenho nenhuma ajuda moral ou qualquer outra. Não sou neto de sangue e não tenho o sobrenome da familia, em nenhum momento eu me recusei de cuidar dela mais so queria um apoio deles. o que devo fazer. Ja perdi varios trabalhos por faltar para levar ela ao medico perdi entrevista de emprego pois eles não querem ficar com ela.

  29. Eduardo disse:

    Boa noite moro com minha avó ela me criou, não tenho apoio de nenhum dos filhos dela, preciso trabalhar ja faltei ao trabalho para não deixala sozinha tentei conversar com eles para obter ajuda mais alegam que eu tenho q me virar porque ela me criou, sou humilhado por eles minha avó esta com 86 anos não posso arcar com tudo sozinho, como posso obter apoio.

  30. Carlos disse:

    Ola

    Meu Pai tem 67 anos, ele mora sozinho no apt dele , tem diabete e precisa de cuidados constantes , Numa epoca que ele ficou muito mal de saude internamos ele numa casa de repouso , quando ele ficou melhor de saude começou a fazer muita confuzão e foi expulço da casa de repuso( segundo a casa de repouso se ele não fosse embora iriam ter que dar sedativos para ele ) colocamos cuidadoras para cuidar dele e nenhuma aguentou e ele não quer em hipotese alguma morar conosco , já fizemos uma tentativa e ele chegou a ser agressivo então levei ele devolta para a CASA DELE , pois ele gritava aos berros ” quero ir pra minha casa ”
    quem não conhece acharia que ele tem problemas mentais , mas não é o caso , ele é bem lucido só é muito nervoso !!!

    Tentei procurar apoio do Estado tambem e não achei nenhuma solução

    Pergunta

    Mesmo ele querendo ficar sozinho e não querendo ajuda de ninguem dixar ele sozinho é conciderado abandono de idoso ?
    que atitude eu e meus irmão poderiamos tomar quando a este caso ? não queremos ter um prossesso de abandono de idoso sendo que o idoso quer ser abandonado !!!

  31. Juju disse:

    Concordo plenamente com o que disse, a Juraci.
    O Estatuto do Idoso pode ser muito bonito na teoria, mas em parte não funciona. Isso foi feito para responsabilizar “oficialmente” a familia. Claro que o idoso necessita, do carinho, atenção e apoio emocional dos filhos, e isso é ponto pacifico.
    Mas qdo os filhos trabalham, onde vão deixar seus idosos?????
    O governo pode dar uma resposta sobre isso ???

    Não seria ideal uma creche para idosos, assim como há creches para as crianças, enquanto as mães vão trabalhar???

    Não seria interessante casas que acolhessem nossos idosos por um periodo de alguns dias, para que o cuidador pudesse descansar um pouco???

    Eu tenho autoridade para falar sobre isso, pq cuido sozinha da minha mãe.

    E qdo os filhos tbm já são idosos para cuidar dos seus pais????
    Eu por exemplo tenho 60 anos, e cuido da minha mãe de 81 anos, com alzheimer e totalmente dependente !!!

    Tbm sou idosa, e quem vai cuidar do meu estresse e saude mental por ser uma cuidadora em tempo integral ?????
    O governo vai me cuidar????

    Eu necessito de fraldas geriátricas, e o posto de saude, não está fornecendo pq não vem. Será que o estatuto do idoso ou mesmo o governo vem na minha casa perguntar se estou podendo comprar ???

    Tbm tenho um irmão que nunca pode ajudar financeiramente, e tbm não vem dar apoio moral !!

    Acho que pouco importância dão às pesquisas sobre demências, mas as estatísticas mostram crescimento da expectativa de vida e com isso as chances de termos mais idosos com o mal de alzheimer cresce na mesma proporção.

    Nós cuidadores, precisamos de cuidados tbm e para isso precisamos de um tempo só pra nós !!!!

  32. Lisbeth disse:

    boa noite!!estou passando por uma situação bem parecida com a que foi descrita.Meu pai tem Alzheimer de demência vascular e á 2 meses minha mãe faleceu.Mas antes mesmo disso acontecer,eu já exercia os cuidados aos dois.Tenho um irmão que não me ajuda em absolutamente nada,mas pra piorar a situação,ele é procurador do meu pai.Acontece que além de não me ajudar em nda,recebe a aposentadoria ainda bateu o carro que pertence ao meu pai!tanto ele quanto a esposa não trabalham,o que seria justificável se ao menos ele me ajudasse,mas infelizmente isso nao acontece.E pior ainda,qdo eu chamo sua atenção,ele me diz que – ele é o procurador e que ele determina o vai ser feito ou não!
    Minha dúvida é a seguinte: existe alguma maneira de revogar essa procuração? ou caso ele se negue a me ajudar a cuidar,ele não se enquadra no artigo ´abandono de incapaz´??..Não tenho intenção de tirar a procuração dele,só gostaria de poder ameaça-lo e mostrar que assim como ele tem direitos,ele tem deveres também.

  33. Juraci disse:

    Simplesmente o Governo jogou a responsabilidade para os filhos e familiares.
    Na minha opinião essa lei é mais uma daquelas leis absurdas que o governo cria, vou passar alguns pontos para vcs entenderem:
    1- quando um(a) filho(a) cresce ele precisa trabalhar para se auto sustentar (óbvio).
    2- o(a) filho(a) vai ter um filho(a) (outra coisa óbvia) e vai ter que cuidar dessa criança e logo o colocará em uma creche depois numa escola.
    3- o idoso precisa do triplo de cuidado do que de um filho inclusive médico, nutricionista dentre outras coisas como cuidado com higiene e dependendo da doença até mesmo ajuda para se locomover de um lugar para outro, etc.
    Então como fazer se esse filho tem um pai,avô,avó etc. idoso e a lei diz que tem que ter alguém da família em período integral para olhar cuidar etc porque senão é negligência?
    Na verdade essa lei do idoso foi criada para que o Governo tirasse o corpo fora de mais de algumas obrigações que ele tem que arcar com a sociedade, que nem foi feito com as calçadas deste país que agora quem deve cuidar é o dono e não mais a prefeitura da cidade, ou a cobrança de conta de água e conta de esgoto.
    O certo seria existir centros de idoso gratuitos pela cidade onde os filhos arcariam somente com a comida, o dinheiro e a visita, a presença do idoso nesses centros seria obrigatória, no final do dia o idoso voltaria para sua casa com transporte fornecido pela própria prefeitura que pararia na porta de casa, ele dormiria em casa durante a semana, de manhã voltaria para o centro, enquanto os filhos trabalham fora, no fim de semana ficaria em casa em período integral. Uma questão fácil de resolver só que como sempre a ganância do Governo é muito grande então quem tem que sair no prejuízo são os(as) filhos(as), familiares que até o emprego devem perder para cuidar das pessoas idosas da família e ainda correndo o risco de ficarem presos por negligência, porque a lei diz claro não importa (em outra palavras dane-se) se vc perder emprego ou ficar sobrecarregado etc., do que adianta construir um estatuto que “beneficia” um idoso e prejudica os familiares? Aliás este estatuto está realmente beneficiando este idoso? porque por mais cuidado que filho tenha sempre vai existir uma situação em que o idoso não vai tomar medicamento corretamente, não vai se alimentar corretamente (como no caso de pessoas que tem diabetes), que o idoso irá se acidentar porque o banheiro ou a casa não é adaptada, em que o idoso irá se arriscar a sair de casa sozinho se algum filho que está cuidando sair para ir no supermercado etc. e também nesses centros sempre terá um médico de plantão para na hora que idoso passar mal ter alguém experiente para medica-lo, ajuda-lo, e também terá nutricionista, psicólogo etc. ai a qualidade de vida deles seria bem melhor.

  34. Tatiane Carolina Barone disse:

    Bom dia sou neta mais velha minha avo esta morando com nos ja faz 6 meses ela perdeu meu pai e meu tio é curto periodo de 1 ano e meio e depois disso ela foi trazido para nos minha tia e meus primos nao querem ela morando com eles so vem primo minha mais nova minha outra prima tia nunca vieram vela

  35. vivian reis disse:

    Ola ! boa noite
    estou passando por ,um problema parecido com de tantos q andei lendo nesse site,e gostaria de saber ,oq devo fazer com meu pai ,q esta doente ele tem 67 anos ,esta internado ,no periodo de 1 ano fez duas cirurgia ,aneurisma e safena,da primeira cirurgia ,correu td bem graças a deus e aos medicos,nasegunda q foi a safena tbm,mas do nada ,teve q ser hospitalizado ,e começou aparecer varios problemas ate de confuzao mental,agride a todos,enfim a saude dele ta se complicando a cada dia ,mas o fato é q da primeira cirurgia ,eu e minha irmã ficamos ,os dois meses ate a sua recuperação,mas dessa vez ,retornei ao trabalho,e nao pude dar a assistencia q a familia dele quer,irmaos e irmas … faço vizitas td fim de semana,durmo quando posso,e assim venho fazendo ate hoje revesando com minha irmã,moro em outra cidade,meus gastos sao elem do q eu posso, quando vou ,Pra resumir!!! a familia dele esta nos culpando pela saude dele,que nos o abandonamos ,e tudo mais!!!gostaria de saber o que fazer ja que a saude dele e delicada,continua internado tem duas cuidadoras q a familia dele paga,e eles querem q eu saia do meu emprego pra cuidar dele ,ou traga para minha casa ,mas como ,vou fazer isso!!! me responsabilizar pela vida dele ,tirar ele do hospital nas condiçoes dele, sera morte, e nao tenho como pagar uma cuidadora.qual o meu papel nessa situaçao ,tao complicada onde,onde querer ajudar e uma coisa poder ,é outra, obrigada

  36. vivian disse:

    Ola ! boa noite
    estou passando por ,um problema parecido com de tantos q andei lendo nesse site,e gostaria de saber ,oq devo fazer com meu pai ,q esta doente ele tem 67 anos ,esta internado ,no periodo de 1 ano fez duas cirurgia ,aneurisma e safena,da primeira cirurgia ,correu td bem graças a deus e aos medicos,nasegunda q foi a safena tbm,mas do nada ,teve q ser hospitalizado ,e começou aparecer varios problemas ate de confuzao mental,agride a todos,enfim a saude dele ta se complicando a cada dia ,mas o fato é q da primeira cirurgia ,eu e minha irmã ficamos ,os dois meses ate a sua recuperação,mas dessa vez ,retornei ao trabalho,e nao pude dar a assistencia q a familia dele quer,irmaos e irmas moro de aluguel tenho q trabalhar para td comer ,e etc… faço vizitas td fim de semana,durmo quando posso,e assim venho fazendo ate hoje revesando com minha irmã,moro em outra cidade,meus gastos sao elem do q eu posso, quando vou pra lá, enfin,vivo com meu trabalho.Pra resumir!!! a familia dele esta nos culpando pela saude dele,que nos o abandonamos ,e tudo mais!!!gostaria de saber o que fazer ja que a saude dele e delicada,continua internado tem duas cuidadoras q a familia dele paga,e eles querem q eu saia do meu emprego pra cuidar dele ,ou targa para minha casa ,mas como ,vou fazer isso!!! me responsabilizar pela vida dele ,tirar ele do hospital nas condiçoes dele, sera morte, e nao tenho como pagar uma cuidadora.qual o meu papel nessa situaçao ,tao complicada onde,onde querer ajudar e uma coisa poder ,é outra, obrigada

  37. nadja disse:

    tenho um primo que morrava com minha mae mais agora mora comigo por que miha mae faleceu ela tinha a curatela de como fazer para obter acuratela dele legal.

  38. maria odette disse:

    BOa tarde!

    GISTARIA DE SABER SE UMA PENSIONISTA , VIUVA DE MILITAR, TENDO A COMPANHIA CONSTANTE DE UMA FIHA UQ DESENVOLVEU DEPRESSÃO E PRECISA DE CUIDADOS PSIQUIATRICOS, COM MEDICAÇÃO CARA, ESTÁ COM QUASE 62 ANOS, É SOLTEIRA, PORÉM NÃO É FILHA DO MILITAR, ELA PODERIA FICAR COM A PENSÃO DA MÃE COM DIREITOS, CASO A MÃE JA BEM IDOSA VIESSE A FALECER ANTES DELA?

  39. Luciene Miranda disse:

    Ed Dilva, se os filhos resolveram procurar o pai, que não havia os registrado, é porque eles tinham algum tipo de desejo de conhecer este genitor. Se eles tiveram uma relação boa com o pai neste encontro, se conseguiram superar toda a mágoa por ele não ter sido presente por toda a vida deles, talvez seria positivo os filhos cuidarem nele. Só não seria bom os filhos cuidarem dele como uma forma de usarem isso para “jogarem na cara” dele de estarem fazendo por ele, atualmente, algo que ele não fez por eles quando deveria ter feito.

  40. ed dilva disse:

    Um amigo meu me procurou e relatou o seguinte caso que estar acontecendo com ele e sua família: ele e seus irmãos foram abandonados por seu pai quando ainda eram crianças (na época ele tinha apenas 3 anos de idade). Nem ele nem os irmãos foram registrados pelo pai, no registro só tem o nome da mãe deles. Hoje ele tem aproximadamente uns 50 anos. Só que há uns dois anos, ele e seus irmãos resolveram procurar o seu pai, o encontrando em outra cidade, convivendo com outra esposa, porem sem filhos. Ele e seus irmãos resolveram trazer o pai de volta pra casa, porém, hoje quem quem cuida de seu pai (que estar com uns 80 anos de idade) é sua irmã, a qual relatou pra ele que o idoso (seu pai) estar dando o maior trabalho. Salientando que a mulher que ele convivia, não tem condição de cuidá-lo, por conta da idade e problema de saúde; sua mão também estar idosa, então, na sua visão, neste caso, quem tem a responsabilidade de cuidar deste idoso, levando em conta que os filhos não foram registrados por ele. Fico no aguardo.

  41. Marco Antonio disse:

    Gostaria de pedir orientações frente a uma pendência familiar:
    Tenho uma tia idosa (90 anos), viúva, sem filhos, sem problemas mais serios de saúde, e que vive sózinha, na casa de uma irmã, também idosa, e essa sim, com forte comprometimento da saúde.
    Tem o temperamento indócil, e frequentemente agressivo.
    Crescentemente, tem necessitado de cuidados relativos a higiene, alimentação, cuidados com a moradia, e companhia.
    Recusa terminantemente a opção de viver em uma casa de saúde.
    Tentou-se uma cuidadora na própria casa, mas ela agrediu fisicamente a funcionária, inviabilizando essa alternativa.
    Atualmente tem como objetivo principal ir morar com uma irmã também idosa, mas os sobrinhos (filhos dessa irmã), não querem, considerando seu temperamento dificil, e a manutenção da qualidade de vida da mãe.
    Gostaria de saber se no caso de um acidente, por exemplo, os sobrinhos são responsabilizados ?
    Somos obrigados a hospeda-la em nossas próprias casas?
    Aguardo retorno
    Obrigado
    Marco Antonio

  42. Luciene Miranda disse:

    Rodrigo, não sei o que pode ser feito. Você relatou que tem um advogado acopanhando o caso, oriente-se com ele, que é a pessoa mais indicada.

  43. rodrigo disse:

    eu morava com meus pais. derepente meu pai sofreu de uma demencia mental com 77anos e minha mae sofreu muito impacto com a situaçao com teus 79 anos dai meu irmao retirou ele da casa deles e me alegou ter condiçao melhor para trata-los nao discordei da situaçao apenas acompanhei sabendo que poderia ter complicaçoes.
    nao deu outra meu irmao se apoderou de varias procuraçoes.
    dai enato me chamou pra conversa para a venda do imovel
    achei desnecessario pois e o unico bem deles.dai entao sugeriu o aluguel para ajudar no tratamento quase fui na dele mais tb nao assinei o contrato,sugeri que eles voltassem para o imovel e ai nois dois cuidassemos dele ele nao quis suspeitei mais ainda de tua ganancia.
    quando dei por min chega uma carta do forum com uma audiencia marcada a respeito de um despejo para uso propio de meu pais fiquei feliz pois era o que eu mais queria eles passando o restinho da vida deles no lar deles e a gente cuidando dele.
    ele vendo a demora da audiencia me corta minha agua ja paga para que eu sai antes da audiencia.
    nao sai da mesma forma transferi a luz para meu nome e estou aguardando com meu advogado o dia da audiencia.
    pra se contentando agora fiquei sabendo que ele esta vendendo a casa comigo dentro o que devo fazer?

  44. Luciene Miranda disse:

    Miguel, neste caso, quem poderá te responder é um advogado ou defensor público.

  45. Luciene Miranda disse:

    Alcina, se ela é lúcida, acredito que ela tenha o direito de decidir sobre o que ela acha melhor para a vida dela, mesmo que você saiba que existem outras opções melhores para ela. Na dúvida, converse com uma assistente social nos CREAS ou CRES de sua cidade relacionados ao atendimento ao idoso que ela terá condições de te esclrecer melhor sobre o que pode ser feito.

  46. miguel marques de azevedo disse:

    minha cunhada nao quer deichar minha mae contruir nos fundos uma edicula para morar com mais tranguilidade detallhe a casa e da minha mae guais sao os documentos que eu preciso para obiter uma ordem judicial para contruir sem ploblemas

  47. Alcina Brasileiro Hall disse:

    O que fazer quando é a mãe que não quer se deixar ser cuidada? Moro em Curitiba e minha mãe no RJ. Ela está doente e ainda trabalha em horários desumanos para a própria subsistência, vendendo doces, salgados e sucos no horário da 1 às 7 da manhã no mercado de peixe, quer sob chuva ou frio, e em ambiente inadequado para uma senhora, haja vista que a convivência entre pescadores e trabalhadores que sobrevivem da pesca é moralmente degradante devido aos palavrões e maneiras grosseiras como se tratam. Ela não aceita ajuda. Quero trazê-la para Curitiba para cuidar dela e do meu padrasto, pois tenho quarto vago e espaço grande na casa. Posso arcar com suas despesas e já pago plano de saúde, mas ela não tem tempo de se cuidar devido ao excesso de trabalho, já que a carga horária em casa é maior que no mercado de peixe onde tem que chegar com tudo pronto e fresco para consumo.

  48. Luciana disse:

    Boa tarde, meu nome é Luciana.
    O meu esposo tem um tio que tem quadro de esquizofrenia desde novo quem cuidava dele era a minha sogra(irmã),quando ela faleceu quem ficou cuidando foi o meu sogro(cunhado), o meu sogro faleceu ano passado e quem ainda tentou cuidar foi o meu esposo mas ele ñ aceitava morar em lugar algum pois o mesmo alegava q ñ conseguia ficar dentro de uma casa enfim, ele virou morador de rua… ele tem uma sobrinha que mora em santa catarina q tem dois anos que recebe a aposentadoria dele no valor de R$620,00 mas a mesma nunca se quer deu um centavo desse dinheiro todas as despesas q tivemos foi de nossa absoluta conta…este ano ele teve um avc e esta hospitalizado e vai receber alta do hospital e necessita de uma clínica, ñ existe vaga em clínica gratuita e apenas em algumas privadas e pelo estado dele a mais barata R$2.100,00 e ñ temos condições de pagar a promotora disse q alguem da família tem q responsabilizar por ele ou seja ser o curador ele possui uma irmã viva q tem problemas de saúde e tem também 5 sobrinhos, gostaria de saber por favor nesse caso de quem é a responsabilidade pois os sobrinhos já disseram q ñ podem ser curador e nem ter despesa financeira e se tem uma lei q obriga a família pagar uma clínica particular? Obrigada desde já agradecida.

  49. Luciene Miranda disse:

    Junior, não sei te responder, acredito que não, já que seu pai não mora sozinho, teoricamente sua mãe reside na msm casa. Oriente-se no Conselho Municipal do Idoso, ou em algum CRAS (com assistentes social que trabalham na área relacionada à assistência ao idoso) ou busque orientação jurídica.

  50. marcia mariano disse:

    VOU COM CERTEZA SEGUIR O QUE A Fátima ESCREVEU NÃO VOU GASTAR MINHA ENERGIA QUESTIONANDO QUEM TEM OBRIGAÇÃO DE CUIDAR E SIM FAREI MINHA PARTE, JAMAIS PENSANDO EM ALGUMA RECOMPENSA, E SIM PELO MEU CARÁTER E MINHA CONSCIÊNCIA.POIS NÃO É JUSTO QUE IGNORE MINHA MÃE.POIS SE NÃO FOSSE POR ELA NÃO ESTARIA AQUI NESTE MOMENTO.

    MÁRCIA MARIANO SÃO PAULO 24/05/2012 20:38H

  51. Júnior disse:

    Meu pai tem 78 anos, saiu de um tratamento de radioterapia e durante esse tempo devido aos efeitos do tratamento, perdeu apetite, emagreceu muito e consequentemente ficou muito fraco e debilitado. Trabalho à noite, estou por conta dele durante o dia, porém, minha mãe apesar de morar aqui debaixo do mesmo teto, é separada dele há uns anos e é uma pessoa muito difícil de conviver. Não tem espírito humanitário, trata mal as pessoas gratuitamente e com meu pai nunca foi diferente. E nesse momento, quando estou precisando mais de auxílio pois sou filho único, ela não ajuda, fica o dia todo no quarto dela com a porta fechada e minha preocupação é quando eu saio pra trabalhar e deixo ele aqui com ela, que teoricamente deveria no mínimo ficar atenta ao meu pai pelo menos levando água, suco ou alimento no quarto dele.
    Meu questionamento é que, se na minha ausência, meu pai passar mal ou acontecer algo com ele e ela estando aqui, omitir essa ajuda por estar trancada no quarto, responde por omissão, pois o código penal diz que a pessoa que está perto de alguém debilitada, tem o dever de agir para evitar um resultado pior.
    Estou esgotado, cansado e aqui dentro é somente eu e Deus para cuidar do meu pai e faço isso enquanto Deus me der forças, pois meu pai é tudo pra mim. Obrigado.

  52. Luciene Miranda disse:

    Éliton, se ela vem apresentando esquecimentos, vc precisa, antes de mais anda, leva-la a um neurologista ou geriatra. Caso haja diagnóstico comprovado de demência, oriente-se juridicamente sobre as providências legais, não apenas para isenta-lo de responsabilidades, mas pensando principalmente que uma pessoa com demência pode se perder,pode ser vítima de golpes, de violência e de outras situações, já que encontra-se em situação de vulnerabilidade.

  53. Sandra José disse:

    Sou filha unica. meus pais são bastante idosos, meu pai tem 89 anos e atualmente está internado por infecção bacteriana bastante resistente, além de ser acamado pois após de uma queda e quabra do fermur, não andou mais, tem baixa visão e baixa audição. Minha mãe tem 80 anos, baixa visão ( 20%) e bastante dificuldade para andar. Sou funcionária municipal (Celetista), com uma filha de 4 anos e meu marido trabalha como professor em 3 periodo tres vezes por semana. Concordo em tudo o que fazem e buscam a favor dos idosos. Jamais deixaria meus pais, amo-os de mais. Mas também não posso deixar de pensar o que acontecerá comigo se eu perder o meu emprego. A lei foi feita baseada na hipocrisia, pois em nenhum momento ela assegura meu emprego para que eu possa cuidar de meus pais. Ele vai ficar internado 15 dias, mas o hospital não me dá direito nem a um atestado ou declaração que eu estou como acompanhante, então, que lei é esta, que tanto batalham e não dão qualquer amparo para o filho ou familiar poder cuidar sem ser prejudicado. Lembre-se o filho unico não tem com quem repartir.

  54. Éliton disse:

    INSENÇÃO de responsabilidade com Pais?
    TEnho a Seguinte situação, somos em 3 irmãos e todos somo unidos em relação familiar. Minha mãe com 72 esta com dificuldades de lembrar das coisas, se perde frequentimente, passou por graves problemas de saúde que deixou ela muito debilitada com aparencia de muito mais idade.
    O grande problema que nossa Mãe é de espiríro muito ativo, e não consegue obedecer nenhum dos filhos e quando resolver fazer algo ninguém segura, mas depois ela cai em si, mas só depois que ela percebe que prejudicou muita gente tanto moralmente quando finaceiramente.
    Nossa familia é contra colocar ela em casa de repouso, mas tb estamos (principalmente eu que sou o mais próximo e convivo com isso todos os dias)desgastados em alguém ligar que ela caiu em um lugar ou esta perdida.
    QUERO saber se tem algum documento que nos insenta de qualquer culpa por ela andar sozinha e se perder, ja que não conseguimos persoadi-la a não sair sozinha. Cuido da minha Mãe a mais de 10 anos, mas estou sem condições de cuidar dela tendo que vigia-la 24 horas por dia, perco meus cliente e minha saude, pois eu ja estou tomando até calmante para Stress que é muito grande.

  55. Maicon Junior Borowicc disse:

    Bom Dia; O caso de minha familia é muito longo, pois durou 40 anos. Meu pai ficou responsável de meus avós desde o tempo de solteiro, casou e continuou sendo o responsável por mais 27 anos quando meu avô faleceu (novembro de 2007), minha avó continuou morrando em sua casa que ficava em frente a de meu pai, 3 anos depois minha avó apresentou sintomas de trombose, meu pai a cuidou mais ou menos por 6 meses totalmente delicados, quando ela deu uma leve recuperada uma tia minha que que casou e saiu de casa a muitos anos atras quis passar a cuidar da vó e conseguiu convencer a mesma de ir morrar com ela em sua casa, mas ela exigiu 30 mil reais para cuidar dela. meu pai aceitou, pois achou que a vó irria aguentar mais um bom tempo, mas veio a falecer em 4 meses, e meu pai simplesmente pagou só 15 mil reais e canselou o outro cheque de 15 mil.
    Por essa questão estão indo hoje a tarde em uma audiência resolver o caso.
    meu pai pagou a parte de cada filho que foi o combinado quando ele se responsabilizou de cuidar dos pais dele. Ele cuidou dos avós por 40 anos para ganhar uma terra no valor de 50 mil reais, será que a irmã tem o direito de ganhar 30 mil para cuidar por 4 meses so da avó????

    HOJE ESTA INDO A JURI, QUEM SERA QUE ESTA CERTO NESSA QUESTÃO?????????????

  56. janaina disse:

    quero conta aqui minha historia em relação minha avó, fui criata com ela des que tinha 3 meses de idade, só sai da casa dela casa, que fou com 24 anos.Hj estou com 34 anos sou tec de enfermegem e faço faculdade de enfermagem, além de mim que fui criada como filha ela tem mais 4 filha, minha avó da qual chamo de mãe é vilva e sobre de alzheime, quanto ela começo com as crise chamei tds e comunique, elas achava que pelo falo de ser criada c/ ela ela queria chama minha atenção, mais ante msm de td isso sempre fui eu que saia com ela para resolver tds as coisa tem ate 2 procurações em meu poder para tal fato. comecei a tratar dela e msm assim elas achava que ela estava louca. falavam ate em enterna-la ate que um dia elas foi ao medico e ele realmente falo que ela estava doente. enfim uma de minhas tias viu a situação e começo a quere saber do pagamento de minha avó do qual nunca falta lhe nada pq nunca deixe. chegue paga ela propria filha um valo de 300 reais para da alimenta da propria mãe enfim pagava as outras contas como luz agua plano funerario fora manuteção. ate que cheguei a dizer que ia mora na casa de minha avó a casa do qual fui criada por ela,e essa minha Tia se levando contra mim me chamando de ladra, e querendo briga para que ela passasse a recebe a penão da minha avó, só que das filhas tds ela é a unica que se levando pq tds as outra sempre viu que nunca falto lhe nada para ela. essa minha Tia chego ate me agredir não reagia só me defendi prestei queixa contra ela que é uma pessoa que não pode ser contrariada que parte para agressão como já tinha feito com outras pessoas da familia mais pelo fato dela ter biabe cronica e ser hipertesão tds deixava para la, só que td tem limites pior de td se julga uma pessoa evangelica fui agredida fiscamente com 18 dias de operada por uma gastroplastia, logo depois disso deve em minha casa ou seja a casa de minha avó a qual estou vivendo hj uma assistente social falando que recebeu um denucia anonima por mais trato e inegligencia da famila ela tava os remedio, passo a não mais da nesse mês de abril dia 03 ao recebe o pagamendo deu ela o mesmo valor que dei sempre do combinado e ela falo que Hoje dia 12 de abril seria o ultimo dia que daria a alimentação da minha mãe que é a mesma dela. porem graças Deus trabalho e percebi que ela não tem amor pela mãe nem por ninguém acho que não precisava isso. enfim o ser humanos ñ tem mais respeito um pelo os outros voce vale pelo que voce tem ou seja se voce tem voce é td se não tem vc não é nada. união pelo jeito ver que não existe obrigado por lerem meu desabafo gostari de recebe e-mails em relação a isso obrigado

  57. Luciene Miranda disse:

    Neuza, Daiane e Adriana, segue a msm resposta que dei anteriormente: em relação a problemas bastante específicos, como os de vcs, não tenho propriedade para responder com exatidão, busque orientação jurídica.

  58. adriana disse:

    Gostaria mesmo de saber se os filhos podem vir a ser obrigados por lei a dar ajuda financeira a pais idosos quando sua renda não é suficiente??? tem agum modo de se exigir isso judicialmente ??? ficarei muito grata se puder me responder!!! Obrigada.

  59. daiane verruch dos reis disse:

    minha prima gastou todo o dinheiro da minha vo´ e fez inprestimos na aposentadoria dela agora ela quer que minha mae e meus tios pague todo mes 300reais para pagar uma cuidadora sendo7 filhos ela sofre de mau de alzaimer oque devemos fazer?

  60. Neusa disse:

    Tenho uma vizinha de 93 anos, ela passou o apartamento para o filho, na confiança assinou sem ler; ela mora no apto há mais de 10 anos.
    Seu filho apesar de ter duas propiedades quer vender o imóvel tirando a mãe do imóvel,ele pode fazer isso com ela?
    Ela é mentalmente lúcida e não é doente, muito esperta!
    Ele poderá fazer isso com ela?

  61. Daniele disse:

    Obrigada Luciene pela atençao e orientaçao. Vou seguir seu conselho sim mas é que essa situaçao as vezes é desesperadora. Obrigada mais uma vez e parabéns pelo belo trabalho.

  62. Lacerda disse:

    Boa tarde Luciene Miranda,minha esposa tem uma Avó que mora no Rio de Janeiro,por muito tempo ela morou na minha casa onde cuidamos dela o tempo todo,só que ela é muito mentirosa e adora arrumar brigas na familia ,até que um dia ela resolveu ir para o Rio morar com uma sobrinha.Porém ela esta com problemas de memória e vive fugindo de casa.No Rio ela tem uma irmã que está muito bem financeiramente mas não quer cuidar dela,por outro lado eu estou desempregado e não tenho como cuidar dela,pergunto ,o que fazer?eu moro em São Paulo e não tenho condições de ir para o Rio nem para visitá-la e o único filho dela e Pai de minha esposa morreu a muito tempo,sua irmã tem obrigação de cuidar dela?

  63. Luciene Miranda disse:

    Daniele, todos os filhos devem cuidar dos seus pais, não há um que tenha maior obrigação que os outros. Faça sua parte, mas exponha a eles sua necessidade de também ter sua vida própria.

  64. Daniele disse:

    Olá boa noite!!!
    Tenho 26 anos e minha mae tem 77 anos. Meu pai é falecido e tenho mais dois irmaos e uma irma, sendo que os tres tem mais de 50 anos. Dois sao casados e um mora comigo. Todos eles pensam que tenho unica e esclusiva obrigaçao de ficar direto com minha mae. Esse irmao que mora comigo namora uma mulher super ciumenta, e ele briga comigo todas as vezes que saio pra passear pq ele acha q so eu tenho q ficar em casa com minha mae. Ele sai todos os dias da semana e qd eu saio as vezes com as amigas mesmo de dia ele implica. Minha mae nao é muito dependente mas pela idade e pelo fato de ela ter problemas pra locomoçao devemos ficar sempre com ela. Gostaria de uma orientaçao pq as vezes fico tao desesperada que tenho vontade de fugir e largar tudo pra tras.Minha mae ainda defende ele dizendo q ele é homem e ele precisa sair. E eu?? tenho minha vida tb?o que faço? Um certo dia pedi a ele pra ficar em casa num sabado pq eu iria num casamento, pedi para que ele ficasse com minha mae e sabe o q ele me responde? Que ele tinha compromisso, que ele namora e nao poderia ficar com a mae. O que faço?me ajude por favor,

  65. Fátima disse:

    Li ,aleatoriamente, alguns depoimentos.Sei que a situação do idoso se resume: E agora,quem vai cuidar?Em uma análise rápida tive a impressão que muitos filhos preferiam a morte de quem lhes deu a vida, é difícil,é duro é injusto,sim é,mas pessoal, busquem no coração o amor ,a força e cuidem de seus idosos como de um filho,não questionem quem tem ou não obrigação,busquem ajuda nas ongs,e tantos outros lugares q o governo disponibilize,não conte com familiares. Faça a sua parte de filho,filha,irmã ,neta,ou melhor, olhe a pessoa idosa como se fosse vc no futuro,coloque-se no lugar do idoso,viva a situação,analise o caso e faça o que estiver ao seu alcance. BOA SORTE A TODOS, QUE DEUS ABENÇOE.

  66. Vinicius Madeiraa disse:

    Só uma dúvida. Se os pais foram totalmente ausentes na vida dos filhos, os filhos terão que sustentar os pais??!

  67. Nivaldo disse:

    Tudo começou assim!! Meu sogro foi achado na rua em estado de mendicancia, uma pessoa trouxe ele até nos, mesmo sendo ele um pai, que nunca cuidou de suas 2 filhas,se separou e deixou todo os cuidados com a mãe das suas 2 filhas m,nunca procurou para ajuda-las com carinho de pai ou ajuda material. Trabalhava e todo seu dinheiro foi gasto com mulheres na rua, arrumou uma mulher, que não permitia que as filhas fosses a sua casa, e nem ele ia visita-las.Até uns 2 anos atrás trabalhava, tinha casa e morava com uma adolescente, sua casa vivia cheia de meninas.As coisas mudaram,e ele chagou até nós como ja relatei, aceitamos ele apesar de tudo, estendemos as mãos, demos um lar, uma familia,comida, roupa lavada e etc… Depois de alguns dias ele ficou doente, e foi internado no hospital,sua filha foi incanssavél, nos varios dias que ele passou no hospital,dando banho nele e dando comida. Recebeu alta, corremos atras de sua aposentadoria, que hoje ele ganha, só que infelizmente hoje esta dificíl cuidar dele, ele sai e passa varios dias na rua, chegando em um estado deploravel, fedorento, sujo, machucado, e o pior ele é viciado em cocaina, ja suspeivamos disso,até que um dia achamos a droga em casa e isso ja aconteceu mais de uma vez.Temos 2 filhos, um de 6 e outro de 8, ele as vezes fica agitado, xinga palavrões e gasta todo seu dinheiro com as drogas. O que fazer? Aceitamos essa situação, onde colocamos em risco nossa familia pois somos obrigados a cuidar de alguém que não quer cuidado?

  68. Cecilia Rocha disse:

    Caros amigos
    Ando muito cansada, pois desde que me conheço por gente minha mãe é doente. Como os meus 2 irmãos se casaram eu , solteira sou ainda a unica que cuida de nossa mãe. Já tivemos brigas e discusões, eles sempre saem pela tangente. Depois de muitas mesas viradas… minha irmã finalmente paga o convênio e meu irmão vai pagar uma mulher pra ficar apenas como dama de companhia, 3 dias na semana á tarde. Minha mãe tem 85 anos, muito esquecida e com medo de ficar sozinha. Como sempre fica pra mim o peso maior ,dar banho , refeições que faço e etc… deixando ela arrumadinha para a moça ,á tarde, para apenas ficar com ela e eu possa sair um pouco, espairecer. Mas como disse estou muito cansada e sem perspectiva de vida. Um vazio toma conta de mim. Lá no fundo uma ânsia de viver, muitas vezes, me leva a revolta. Volto-me a Deus sempre , mas parece que não há solução. Um fardo muito pesado e minha vida…quem vai cuidar de mim qdo ficar velha, talves , dependente ( não tenho filhos). O tempo passa muito depressa e o problema fica maior.Não sei o que fazer.
    Já sugeri para algumas pessoas de haver uma reunião entre nós filhas, pelo menos uma vez por mês , para falarmos de coisas em comum, prncipalmente essa angustia que atinge muitas filhas. Como AAA e outras reuniôes. Legal seria que na minha cidade tivesse(SOROCABA). Está aí a minha sugestão ou talves vcs me indiquem um lugar. Muito obrigada!

  69. Pilar disse:

    Vamos deixar de ser hipócritas, os filhos que cuidam dos pais são sacrificados!!!!! Eu nbão aguento mais….Penso no dia em qUe Deus ou me permitirá descansar ou a eles. Não aguento mais!

  70. sil disse:

    Cuido de minha mãe a três anos sozinha, tenho um irmão que trabalha em S.P, qdo vem para minas, não ajuda, me liberando um pouco para fazer minhas coisas, como sair com meus filhos, passear a noite com meu marido ou até dividir um tempo de suas férias para eu poder viajar com minha família. Pois muitas vezes que saía com eles e quando voltava, ele a deixava sozinha, ou quando viajava, não avisava nada. Desde então não confio nele em me ajudar, pois se tiver que sair, fazer algo para ele, ele sai e nem pensa no que pode acontecer com nossa mãe.Falo a vocês que estou cansada,fisica e mentalmente alem de meu casamento esta meio balanciado. Não há lei que obrigue meu irmão a me ajudar a dividir os cuidados? Agora coloquei uma empregada para me ajudar a arrumar a casa, arrumas a limentação dela e a ficar com ela na semana tomando cuidado. Sei que isso vai me ajudar muito, mas me sinto ensegura de procurar um emprego, pois preciso, tenho dois filhos, e minhas necessidade próprias. Caso a empregada largue tudo, ai eu fico na mão. E meu emprego vai para o chilindro, não quero viver assim, como resolvo, me ajudem.Quero cuidar de minha mãe mas tenho que cuidar de mim e de minha familía que esta se destruturando.

  71. Moral sim, civilmente não sabemos se as netas têm essa obrigação. Somente procurando um advogado.

  72. Se após uma reunião entres as filhas, não se resolver essa questão, talvez uma orientação com a assistente social de sua cidade, ligada a área do idoso, poderia como uma mediadora, tentar resolver da melhor maneira. Se não, somente através da justiça.

  73. Ana Paula disse:

    Olá … minha mãe cuida da minha vó desde sempre, hj minha vó goza de uma saúde de ferro aos 94 anos, mas a minha mãe esta necessitando de cuidados médicos pois descobriu uma série de complicaçoes do tipo ( coração grande, P.A alta e hipotiroidismo)ñ possui plano de saúde pois sua vida financeira é instável,Mas precisa se tratar e minhas tias que tem uma vida financeira e saúde estável e ñ possui filhos pequenos e são viuvas, alem de morar cada uma em casa confortável, ñ querem cuidar da minha vó por simples incompatibilidade de gênios, minha vó sempre foi autoritária e exigente e hj é da mesma forma se ñ pior.Alguem pod me dar uma dica de como posso forçar estes outros 4 filhos a cuidar da minha vó de alguma forma?

  74. Sandra disse:

    Minha pergunta é a seguinte: Minha mãe idosa com 89 anos, mora comigo a três anos, ela fraturou o fêmur, passou por uma cirurgia. E hoje, está em tratamento médico. Devido ao equilíbrio, e alteração na voz. Eu e meus filhos 02 homens, prestamos auxílio. Médico, levamos ao banco, para que ela sinta integrada na sociedade. Mas, meu irmão faleceu, feixou a viúva e três filhos – duas são mulheres e solteira. Não ajudam em nada. Gostaria de saber se eles deveriam auxiliar? uma vez a esposa de meu irmão falou que a obrigação é da filha. Isso é verdade? Por favor esclareca-me

  75. Carlos disse:

    Esse tema é realmente muito delicado. No início deste ano, meu pai apresentou um sério problema de saúde(câncer agressivo) e, que está debilitando-o cada vez mais. No princípio, entre cuidados domiciliares, levá-lo para exames e acompanhá-lo em internações, tentei conciliar com o trabalho, faculdade e dividir as responsabilidades com meus irmãos. Infelizmente não deu certo e, hoje, depois de duas cirugias, e em consequencia de eu ser o cuidador principal, faz seis meses que larguei meu emprego, o seguro desemprego acabou e, sinceramente não sei o que irei fazer, pois além dos gastos com meu pai, também tenho minhas despesas. Tenho o maior prazer em cuidar dele, não posso abandoná-lo, mas ao mesmo tempo preciso trabalhar.

  76. Adriana disse:

    Boa tarde.
    Minha avó tem 83 anos e 3 filhas, uma delas inclusive é minha mãe… a mais velha. Ela sempre morou com a filha mais nova por opção delas e facilidade, ja que minha tia trabalhava e tinha um filho pequeno pra cuidar. Em Janeiro de 2011 a mesma caiu na casa da filha mais nova e quebrou o fêmur, precisou operar e foi então apontada a casa da minha mãe para a mesma ficar, uma vez que ninguém queria ter o trabalho com a mãe. Porém ficou combinado entre as 3 irmãs que as outras 2 ajudariam, fato esse que não ocorreu: a mais nova ainda vinha ver a mãe, a do meio de vez em quando aparecia. Agora, a minha avó quer voltar a todo custo pra casa onde ela sempre morou com a filha mais nova, porém já havia sido flado por essa mesma filha que haveria um rodízio com a mãe, porque não era justo só ela ficar com a mãe. a minha mãe (mais velha) não se opôs em nada, aceitouficar com ela os 3 meses devido, porém a outra (a do meio) se negou, onde sua filha deixou bem claro que no mês de sua mãe colocaria sua avó num azilo, pois sua mãe não iria perder o seu tempo cuidando da avó. A minha mãe (mais velha) já não tem mais idade e nem condições de cuidar da própria mãe sozinha, uma vez que ela também cuida do meu pai, que é diabético e requer certos cuidados e também devido as desavenças entre as irmãs desencadeou problema de pressão alta. Essa irmã do meio, não sabe sentar e conversar a situaão da mãe dela, só discute, ofende, agride as pessoas, sendo dessa forma impossível chegarrem numa solução adequada. Quem sugeriu o rodízio foi a irmã mais nova, com quem ela sempre morou. Meus pais não trabalham mais, já tem mais de 60 anos, eu e meu irmão mais novo, trabalhamos e cuidamos deles, junto com meu filho de 6 anos, que é uma criança e está participando de toda essa confusão, porque não respeitam mais nem a casa da minha mãe. A fila do meio tem uma filha que é enfermeira e se recusa a cuidar da avó. a minha avó é uma pessoa de difícil convivência, e está causando desavenças entre nós em casa, e na relação com meus pais, onde sempre viveram muito bem, harmoniozamente e sem mentiras. Foi sugerido uma casa de repouso, porém a filha mais nova e a mais velha não tem condições de pagar 500,00 por mês para manter a mãe lá, sugeriram ficar com a mãe no período de 3 meses cada uma, a do meio não aceita. Como devemos agir nesse caso????

  77. Selma disse:

    Olá!

    Tenho uma avó de 83 anos, que tem 3 filhas, uma delas é minha mãe. Ela sempre morou com minha tia mais nova, e, após uma fratura de fêmur, foi morar com a mais velha, pela facilidade de locomoção nessa casa. Mas agora, passado um ano, essa ti não a quer mais em sua casa, dizendo que a mesma se tornou um problema, etc. Acontece que minha tia mais nova não tem tempo para cuidar dela, minha mãe não tem condições físicas para isso e também elas não tem um bom relacionamento, já que minha mãe sempre foi desprezada por ela, que faz diferença entre filhos e netos sem nenhum pudor. Agora, a mais velha quer que seja feito um rodízio, para que ela fique 4 meses na casa de cada uma. Meu pai não quer de jeito nenhum, pelos motivos explicitados acima. Nós sugerimos uma casa de repouso, mas a mais velha se recusa a pagar. Como proceder nesse caso? Minha mãe é obrigada a ficar os 4 meses com ela em casa, correndo o risco de ter um problema com meu pai, com quem ela é muito bem casada há mais de 30 anos?

  78. Luciene Miranda disse:

    Quele, que bom que os artigos te ajudaram!

  79. Quele disse:

    Lucilene, gostei muito do seu artigo e de todos os comentários, pois me ajudaram muito no que diz respeito do universo do idoso, pois estou fazendo minha monografia sobre dignidade do idoso, muito obrigada.

  80. Raphael disse:

    Muito obrigado pela sua atenção e comentário. Tomarei as devidas providências, se achar que seja necessário.

    Novamente agradeço!

  81. Luciene Miranda disse:

    Raphael, mais uma vez reforço que frente a estas questões jurídicas o único profissional habilitado a prestar orientações precisas é o advogado. Além disso, e caso de maus tratos, você pode procurar uma Delegacia de Polícia ou o Conselho do Idoso.

  82. Raphael disse:

    Olá, meu caso é totalmente diferente da maioria e gostaria de um conselho.

    Minha avó tem mais de oitenta anos e tem dois filhos, ambos morando em cidades diferentes. Um filho dela, que é meu pai, não tem emprego e mora em uma das casas que pertence à minha avó. O outro tem bem mais condições de vida pois mora em um condomínio de luxo e tem tudo que é preciso para um bom conforto.

    No entanto, o que acontece é o contrário pois meu tio, mesmo tendo mais condições, não a trata da maneira que deveria, mesmo recebendo todo o salário de sua mãe, não compra os remédios corretamente e não da um tratamento especial que ela merece. Meu pais por sua vez, como não tem emprego, ficaria dependendo apenas do dinheiro da minha avó, que mesmo se recebesse também não daria o tratamento necessário, já que já a cuidou por um tempo e ela ficou muito mal.

    Minha pergunta é: Como agir de maneira com que ela seja cuidada por seus netos e não seus filhos? Sei que a lei diz que a prioridade é dos filhos e, por mais que eles não queiram cuidar da mãe deles, não querem deixar que outros cuidem por conta de sua renda mensal, que diga-se que passagem não é mal.

    Acredito que não há maneiras de provar para a justiça que eles não estão dando a devida atenção ao problema e, como negam a se desfazer dela, acaba por complicar ainda mais. Há alguma solução para este problema ou eles conseguiram burlar a lei?

  83. Luciene Miranda disse:

    Regina, pra uma situação tão delicada vcs precisam recorrer a um advogado, só ele poderá orientá-los corretamente sobre quais os direitos e deveres dos filhos.

  84. Regina Siva disse:

    Meu ex marido esta com 56 anos. tenho tres filhos com ele e atualmente ele esta com alzhaimer.Alem dos tres filhos, ele tem varios irmaos e tem mae. a mae recebe uma aposentadoria e os irmaos, alguns estao muito bem financeiramente, outros mais ou menos e outros nao tem nada.
    os tres filhos estao formados e todos começando a vida. dois casados.
    um ganha bem e os outros dois estao lutando com muitas dificuldades.
    sou separada a uns 15 anos e nesse periodo o pai foi totalmente ausente. pra pagar pensao alimenticia era um sofrimento. enquanto os filhos tomaram sopa por varios anos, o pai vivia com namoradas nas praias e andando de carro novo. com isso, os filhos sao revoltados com o pai e nao se sentem obrigados a cuidar do pai.
    os irmaos de meu ex marido, resolveram por conta propria colocar o irmao numa clinica, onde pagam mais ou menos tres mil reais por mes pra essa clinica cuidar do irmao.
    agora, resolveram convocar os filhos onde pediram ajuda pra pagar a clinica do irmao ou pai.
    meus filhos sabem da responsabilidade, apesar do pai ter sido totalmente ausente, durante a formaçao dos filhos. gostariamos de saber ate onde esses filhos sao obrigados a ajudar os irmaos (tios) a cuidar do pai deles. os tios nao procuraram os sobrinhos quando decidiram colocar o irmao na tal clinica. agora diante do fato consumado querem ajuda e apesar dos filhos estarem todos trabalhando, eles nao tem condiçoes de contribuir muito com essa ajuda que estao pedindo.
    gostariamos de saber se a responsabilidade é toda dos filhos, ou se os tios que tem situaçao financeira boa, tambem sao responsaveis? e se esses tios podem escolhar onde vao colocar o irmao(pai). eles podem pagar, por isso, escolheram essa clinica sem consultar os filhos.aguardo sua resposta, obrigada e parabens pelo site.

  85. Luciene Miranda disse:

    Rosemari, uma situação tão específica precisa ser avaliada por um advogado.

  86. rosemari lima gallo disse:

    minha mae tem 80 anos no dia 3 de setembro quebrou o femo,fez cirurgia no dia 6 de setembro,teve alta do hospital no dia 8 ,so que ela tem a tacha da diabete de60,pressao alta,colesterol,pesa 38 quilos ja faz todo serviço da casa ,vive com um companheiro de 58 anos e nao deixa a filha cuidar dela ,achando que ela esta bem queria que me orientasse como resolver esta situaçao,pois amanha dia 24 de outubro vai no ministerio publico levar um documemnto para ter livre acesso para cuidar de minha mae.no ministerio publico tenho um documento de interdiçao que ja tinha parado so que o juiz nao aceitou e quem vai no ministeri publico e o companheiro da minha mae.ela e pensionista da marinha a 37anos;aguardo uma orientaçao obrigado,Rosemari Lima Gallo 23-10-2011

  87. Jânia disse:

    Gostaria também de expressar minha indignação em relação a filhos que abandonam seus pais idosos. Gostaria muito que existisse uma pena severa para filhos que não cuidam dos seus pais, se os pais tem direito de cuidar dos filhos, porque os mesmo não cuidam como foram cuidados? Cade a LEI???

  88. Luciene Miranda disse:

    Andréa, abandono por parte da família se caracteriza como uma forma de volência contra o idoso. Caso vc não obteve sucesso em tentar localizar a família, vc pode formalizar sua denúncia no Conselho Municipal do Idoso, na Promotoria do Idoso, ou mesmo na Polícia. O que não pode acontecer é o idoso continuar abandonado.

  89. Andrea disse:

    Boa noite,
    Moro num condominio e tenho um vizinho que foi abandonado pela segunda esposa com quem tinha um filho menor, Este senhor em questao tem filhos maiores, formados, um inclusive é medico, meu vizinho esta completamente insano, nao toma mais banho, nao tem comida em casa, tem ficado ate sem luz e agua pois sem dinheiro, cortaram ja faz um tempo, como conselheira do condominio, temos ligado para a familia dele, ate pq o mesmo nao tem pago o condominio, gostaria de saber qual medida podemos tomar para que a familia venha cuidar dele, dar alimentaçao, faze-lo tomar banho e leva-lo ao medico já que temos percebido que ele esta fora do juizo normal!!!! Ass. Andrea

  90. Luciene Miranda disse:

    Teresinha, não saberia te responder. O artigo fala sobre o Estatuto do Idoso, que abrange pessoas com mais de 60 anos, que ainda não é a sua faixa etária. Oriente-se com um advogado.

  91. teresinha disse:

    olá , queria saber se meu unico filho que já é de maior , seria obrigado a me ajudar financeiramente , pois , sou aposentada por
    invalides , tenho problema cardiaco , diabetes , leocemia , um grave problema de audição e vários outros problemas de saúde , estou com 55 anos , e com o dinheiro que ganho naum consigo manter o regime que tenho que manter.
    O BRIGADO (A) PELA ATENÇÃO
    AGUARDO A SUA RESPOSTA

  92. Luciene Miranda disse:

    João Paulo, as pessoas apropriadas para responder aos seus questionamentos seriam um advogado ou mesmo no Conselho Municipal do idoso.

  93. joao paulo disse:

    ola gostaria de uma opiniao sobre oq devo fazer, tenho meus avos paterno vivos ainda e meus tios estao fazendo na minha opniao uma judiacao, meus avos sao bem financeiramente e enquando podia se virar sozinho meu tio mais velho quiz ficar com ele, agora esta querendo tirar o corpo fora, meus avos tem 4 filhos vivos e meu pai q ja é falecido, mais uma coisa eles tao obrigando minha mae a cuidar de meus avos tbm sendo q meus tios estao muito bem financeiramente e tbm meus avos recebem um boa aposentadoria, gostaria de saber se minha mae é obrigada cuidar de meus avos pois ela vive com outro homem ja. Tbm gostaria de saber oq tenho q fazer par ajudar a resolver o problema, pois estou achando q estao judiando dos meus avos e tudo isso por causa do dinheiro.

  94. Celia Eli disse:

    Olá

    Há mais ou menos 10 anos minhã mãe separou-se do meu pai. Eu e meus 2 irmãos nos comprometemos na época a cuidar muito bem dela. Para ficar mais fácil, nós entramos em comum acordo, que cada um cuidaria dela em um final de semana. Como somos em 3 irmãos, todo mês, um final de semana (que é o 2°) não tem ninguém para ficar com ela e como todo mês eu é que cuido, assim como todo feriado, quando tem 5 ° domingo, nos sábados também, e meus irmãos não estão nem aí. Estou vendo que cada vez mais a minha mãe e eu estou ficando cada vez mais revoltada. Para mim, não é nenhum problema ficar c/ a minha mãe, mais eu vejo e escuto os comentários dela assumindo e sentindo na pele o abandono por parte dos meus irmãos.
    Já entrei em discussão com um dos meus irmãos e ele acha que só a vida dele com a esposa dele é que importa, então estou pensando em acionar os dois na justiça, pois eu acho que a única coisa que vai resolver.

  95. Luciene Miranda disse:

    Carolina, pelo que vc relata, realmente é uma situação perigosa para todos. Infelizmente não sei te responder, acho prudente, como ela é uma senhora, informar-se no Conselho Municipal do Idoso da sua cidade.

  96. Carolina disse:

    Olá, tudo bom? estou com um problemas e gostaria de saber se você pode me ajudar. Moro em um edifico no centro da cidade, embaixo do meu apartamento mora um senhora sozinha (ela não tem família) com transtornos mentais. Ela junta muito, mas MUITO lixo (cata na rua), que provoca um cheiro muito desagradável. Mas o problema maior é o gás, pois ela liga todas as bocas do fogão, coloca uma chaleira para ferver e sai (ela já gastou em média 6m3 de gás, sem contar quando ela abre todas as torneiras e sai de casa provocando alagamentos inclusive nos apartamentos ao redor)entretanto ela tem muitos imóveis e uma excelente renda. Existe alguma obrigação do governo para com essa idosa?? Pois tenho muito medo que ela acabe provocando um incêndio (devido a ENORME quantidade de lixo) em seu apartamento afetando todo o edifício. Desde já agradeço.

  97. Luciene Miranda disse:

    Daniela, realmente é muito difícil receber de braços abertos uma pessoa que abandonou filhos em tenra idade e seu atual companheiro. Não saberia te orientar do ponto de vista jurídico, o mais prudente é procurar um advogado, de preferência especialista em direito do idoso, para que vcs possam se resguardar de possíveis problemas.

  98. Daniela disse:

    Estamos tendo um problema em familia, minha avó a quase 35 anos abandonou os 5 filhos logo após ficar viúva, sendo que a mais nova tinha 10 anos na época, para viver com outra pessoa que nunca fez questão que a unidade familiar fosse mantida, hoje a situação e a seguinte um dos filhos se perdeu no mundo e não mantém contato com os irmãos, pois na época ficou muito revoltado com o abandono ele tinha 13 anos, outro reconstruiu sua vida e não tem contato constante, os únicos que mantém contato são as 3 filhas restantes. Ela nunca fez questão de manter cuidado ou se importar com o destinos que os filhos teriam ou mesmo se teriam lugar para se abrigar,comer e viver em segurança, manteve contato e laços familiares somente com a familia de seu companheiro.Eles sempre residiram no estado de Góias. Agora depois desse tempo todo essa semana chegou uma ambulância da cidade deles com ambos, ela está com problemas de saúde. Independente do abandono creio eu que as filhas não tem nenhuma obrigação de cuidar dele, pois ele tem familia, a questão e que minha avó só aceita ficar onde ele está, mesmo doente a preocupação dela é ele estar perto. Entra também a questão financeira, pois as mesmas não possuem condiçõs para arcar com as despesas e tempo disponível para cuidar dela,pois tem seus trabalhos e familias para cuidar. Minha avó hoje recebe além da pensão do meu falecido avô que nem chegamos a conhecer sua aposentadoria, a qual o recebimento sempre ficou a cargo de seu companheiro . Há alguma lei que obrigue as filhas a ter que cuidar dele, sendo que o mesmo não está doente e tem familia? No caso deploravel de saúde em que minha àvo se encontra é possível as irmãs recorrem para que os recursos da aposentadoria e da pensão do meu falecido avô fossem utilizados para contratação de um cuidador e remédios para minha ávo? Se ela não quiser ficar conosco devido a não querermos arcar com os cuidados para com seu companheiro, a alguma lei que as obrigue a ter que arcar com essa responsabilidade?Talvés quem ler ache estranho ou até mesmo julgue, mas para mim e dificil ter visto o mal que esse abandono causou a minha mãe e as minhas tias, minha avó que nunca fez questão de participar de nossas vidas mesmo assim por ordem moral ela não será desamparada , mas não acho justo que agora sejam obrigadas a ter que conviver com o marido dela.

  99. Luciene Miranda disse:

    Paula,
    Até onde eu sei não existe nenhum tipo de auxílio neste sentido. Converse com seus irmãos, eles devem te ajudar, principalmente durante a gestação e os primeiros meses de seu bebê. Talvez se vcs reunirem vcs consigam contratar um cuidador, mesmo que apenas numa parte do dia, para te auxiliar nas tarefas mais pesadas, como, por exemplo, a hora do banho.
    E obrigada pelos elogios ao site.

  100. Paula disse:

    Gostaria em primeiro de elogiar o site, está muito esclarecedor. Li todos os comentários e achei eles muito bem explicados.
    Bom o meu relato é a respeito do meu pai, um senhor de atualmente 65 anos, cuido dele a 2 anos desde que sofreu um AVC que resultou na perda de sua visão e na paralisia do lado esquerdo do corpo, atualmente ele apresenta grandes falhas na memoria, mais ainda assim continua muito comunicativo e carinhoso sempre que bem tratado, apesar de não saber mais quem sou e não reconhecer a ninguem. Tenho 22 anos atualmente e tive responsabilidades com ele desde cedo e sem experiencia em cuidar de ninguém, tenho muito amor por ele mesmo não tendo sido criada pelo mesmo. Porém atualmente descobri que estou grávida e possuo dois irmãos mais velhos e casados, porém eles não se prontificam de amparar ele alegando que não possuem casa propria ou recurso financeiro para tratar do nosso pai. Pelo fato de ser a unica filha mulher e todos nós nao termos sidos criados por ele sofrem mais esse remorço. Gostaria saber se de alguma forma eu posso pedir ajuda ao Municipio ou Estado, ao menos até finalizar minha gestação. Obrigada desde já!

  101. Luciene Miranda disse:

    Edilene,
    Cuidar de um idoso sozinho é muito difícil. Quando se tem irmãos para dividir o cuidado fica menos estressante, é fato. Porém, o bom senso, a conversa, são os recursos mais acessíveis para se conseguir uma conscientização por parte dos outros irmãos. Como sempre ressalto, não sou advogada, sou psicóloga, ecrevi este artigo em resposta a muitos familiares que, como sua mãe, sentem-se sozinhos numa tarefa desgastante e ficam revoltados, pois há outras pessoas que poderiam colaborar, mas as mesmas não colaboram. Em relação ao Estatuto do Idoso, prevalece o que está no artigo. O mais prudente é procurar um advogado ou defensor público para se orientar se há alguma medida legal que possa beneficiar sua mãe e sua avó.

  102. edilene vieira severo disse:

    Meu caso é simples minha mãe tem a mãe dela com 91 anos desde os 18 anos ela que cuida da minha vó pois o meu avô faleceu e ela ficou cuidando da munha avó sozinha.Desde então a irmã dela sempre disse que ela que ficou sempre é que tem que continuar sozinha cuidando isso ta deixando a minha mãe prisioneira e a minha tia continua fazendo massagens semanais e etc ela nunca trabalhou minha mãe trabalha 40 hrs semanais queria sabe se tem alguma parte da legislação que visa isso que a outra irma tambem tem que ajudar minha mãe. por favor mr ajude…..sou professora fico inconformada ver a situação da minha mãe se ela tem algum direito. para falar para minha tia que ela também precisa ajuda minha mãe

  103. Luciene Miranda disse:

    Aparecida, realmente, de acordo com o Estatuto, os filhos são os principais responsáveis. O que eu sempre aconselho nestes casos, como o Direito não é a minha área, é que procurem um advogado especializado ou u defensor público em busca de orientações mais precisas para o caso em particular. Boa sorte.

  104. Aparecida disse:

    Boa noite,
    Estou vivendo um problema que esta consumindo toda minha energia.
    Minha mãe tem 90 anos viúva com problemas de saúde, devido a idade, já não consegue falar com clareza, anda com dificuldade com ajuda de um andador, atualmente esta internada em uma clinica de repouso muito boa.
    Esta clinica é paga pela minha mãe com sua aposentadoria e uma pequena poupança que ela tem referente a venda do imóvel que ela morava no interior de São Paulo.
    Meu irmão morava no interior com meus pais, não trabalhava vivia alcoolizado, maltratava meus pais. Com o falecimento de meu pai, minha mãe veio morar em minha casa e meu irmão continuou na casa do interior . Sendo sustentado pela minha mãe.
    No inicio deste ano meu irmão conseguiu uma aposentadoria por idade, continuou sendo ajudado pela minha mãe, (gastava toda a aposentadoria em bebidas).
    Em Maio devido a saúde de minha mãe foi vendido a propriedade do interior para ajudar a complementar o pagamento da clínica de repouso.
    Meu irmão foi morar em um hotel pago pela minha mãe.(R$450,00 por mês)
    Meu irmão tem 4 filhos de dois casamento, estes filhos são maiores , casados , trabalhando e alguns com casa própria.
    Nenhum dos filhos quer assumir o pai idoso e alcoólatra, dizendo que é um problema meu por ser irmã e de minha mãe por ser mãe dele.
    Gostaria de saber sua opinião sobre isto já que como diz o texto acima, como regra geral, quem cuida de um idoso dependente são os filhos .
    Obrigada

  105. Luciene Miranda disse:

    Sandra, não há lei neste sentido. Vc não consegue mudar a data de suas férias ou contar com algum banco de horas (que seriam pagas em outra ocasião) para cuidar de seus pais neste período? Converse com seu superior, veja o que é possível e boa sorte.

  106. Sandra josé disse:

    Bom dia!
    Meu pai tem 88 anos e vai realizar uma cirurgia de carótida. Minha mãe tem 80 anos e tem baixa visão. Sou filha unica e sou servidora pública, pela CLT. Tem alguma lei ou decreto em que posso me apoiar para dar assistencia ao meu pai durante os 8 dias pós-cirurgico. Eles moram em outra cidade e não tenho como ficar sem o meu salário.
    Obrigada.

  107. Luciene Miranda disse:

    Betania, como a situação que vc descreve é muito complicada, incluindo boletins de ocorrência, procure o Conselho Municipal do Idoso de sua cidade e oriente-se o que vcs podem fazer no intuito de resguardar os direitos de sua avó, porém, sem prejudicar sua mãe.

  108. betania disse:

    Minha Mãe tem uma doença degenerativa e minha avó ja tem 87 anos ela tem sua casa e minha tia mora nos fundos com seu marido e seus 3 filhos e uma neta todos ja maiores, algum tempo atrás houve um atrito na familia com esta minha tia que reside nos fundos da casa de minha avó, este atrito foi com uma outra tia minha e mesmo assim ela brigou com minha mãe tbm somente porque ela não ficou do lado dela e tudo o que era falado era motivo para que ela desse parte na delegacia, este periodo foi um tormento e mesmo agora ela exige o que cada uma das irmãs tem que fazer, o médico ja suspendeu todos os remédios de minha vó e mesmo assim ela continua dando, suspendeu a fisioterapia e ela continua levando, seus filhos repondem ameaçam minha vó e lea fica muito pertubada e se alguém diz alguma coisa eles falam que é da doença, agora minha tia quer que minha mãe traga ela p/ sua casa p/ cuidar dela e minha mãe ja disse inumeras vezes que ela não pode cuidar dela devido sua doença e também não pode ajudar financeiramente por causa que ela não tem renda própria e o que ela poderia fazer é levar uma comida uma fruta e verduras, mas minha tia não aceitou e disse que iria recorrer a justiça. Neste caso o que devemos fazer porque ela não para de pertubar minha mãe, mas ela so quer dinheiro, sendo que minha vó tem seu dinheiro e ela diz que esse dinheiro tem que guardar na poupança.

  109. Luciene Miranda disse:

    Jaqueline, não tenho nenhuma indicação de insituições.
    Observe uma coisa: vc fala que seu pai é esquizofrênico. Vcs estão procurando uma Instituição de Longa Permanência para Idosos ou um local para interná-lo devido à sua condição psiquiátrica? Importante ressaltar que com a Reforma Psiquiátrica não existem mais as clínicas com características asilares que abrigavam portadores de transtorno mental, como antigamente.
    Caso você procura uma instituição para idosos, informe-se no Conselho do Idoso; caso seja da área de saúde mental, informe-se no centro de assistência em saúde mental da sua cidade em busca de referências.

  110. Não! Sua esposa não tem obrigação. Em primeiro lugar, é dos filhos. E depois dos irmãos. Vocês só prestaram socorro. Fale com o pessoal da assistência social do hospital e deixe claro que vocês não são responsáveis. Dê, inclusive todos os contatos dos filhos e irmãos.

  111. manuel ferreira disse:

    Boa noite!
    Terei que fazer uma palestra sobre as obrigações que os filhos possuem de amparar seus pais idosos. Gostaria de solicitar algumas dicas sobre o assunto, fazendo uma comparação com outros países.
    Poderiam me ajudar?
    Muito obrigado

  112. Vinicius Ferreira disse:

    Bom dia, eu tenho 27 anos minha esposa tem 28 temos 3 filhas, gemeas de 3 anos e uma de 6, minha esposa ja perdeu os dois pais, inclive quando casamos fomos morar com o pai dela visto que ele havia sofrido um traumatismo craniano devido a um acidente, e eu ajudei cuidar durante 2 anos, e quando ele tv ficando 90% sofreu um infarto e faleceu. Minha duvida é a seguinte, ao todo sao 12 irmaos contando com meu sogro, alguns moram na bahia, um no RJ, um no Para, e por fim 2 ainda moram aqui no MT, um deles sofre de diabetes, hipertensão, e mesmo assim bebe muito frequentemente e come de tudo, e no dia 12/04/11 ele sofreu um avc e esta em coma ate hj, o problema é o seguinte, amigos ligaram para o samu ele foi pro hospital entao, la chegando o pessoal pegou o telefone dele e saiu ligando para os conhecidos para que alguem fosse la dar mais detalhes para preencher a ficha, resultado, eu fui la ja que ele era um colega e irmao do meu sogro, agora tudo oq acontece no hospital eles ligam pra mim, eu tenho que comprar fraldas, eu tenho que assinar autorizaçao para cirurgias, e inclusive ele pode ficar em estado vegetativo e receber alta, eu estive no conselho do idoso e me disseram que minha esposa como sobrinha teria obrigaçao de cuidar dele se o irmao mais proximo n ter condiçoes. Eu me pergunto, o cara tem 11 irmaos vivos nenhum quer saber dele ate pq ele era complicado demais, 2 filhos na bahia que nunca criou, e minha esposa realmente tem essa obrigaçao ?

  113. jaqueline silva disse:

    Meu pai sofre de esquizofrenia,a mais ou menos um ano ele pede para que eu o coloque para morar em uma geriatria ou algo semelhante,aliás ele não me pede ele implora para os parentes(primos…)venham buscá-lo,ou até mesmo qdo consigo internação psiquiátrica,ele diz que não quer mais morar comigo,ele não fala nada a respeito para mim,só inventa e pede de tudo para outras pessoas,eu cuido dele a mais ou mens 8 ans sou filha única e pelas coisas que ele tem feito eu estou me sentindo injustiçada e não tenho mais saída para tratá-lo, ele toma 5 medicações diferentes,controladas,tudo direitinho.Eu gostaria de uma ajuda sobre clinicas ,geriatrias qualquer coisa que eu possa fazer para que nós todos fiquemos bem,a indicação que eu preisava era sobre lugares que não fossem muito caros,pois eu não trabalho em função de estar com ele e a prória pensão dele seria para pagar essa despeza.Moro em porto alegre RS.desde já grata.

  114. MONICA OLIVEIRA disse:

    o meu pai tem 75 anos e quer viajar sozinho dirigindo, devido a problemas de saúde dele, entendemos que não é viável, se ele for assimmesmo, contrariando a orientação da familia e em caso de acontecer qualquer imprevista, a familia podera ser responsablizada civilmente???

  115. Luciene Miranda disse:

    Gleison, a primeira coisa a saber é: ela é lúcida? Tem condições de fazer escolhas e tomar decisões coerentes sem a ajuda de outras pessoas? Vc disse que ela está acamada, ou seja, necessitando de cuidados, e deixá-la sozinha nestas condições poderia caracterizar abandono – uma forma de violência contra o idoso.

  116. GLEISON ROCHA disse:

    Boa tarde!!!
    estamos com um problema na mina família em que minha bisavó está de cama e não quer receber os cuidados que a família oferece, ela quer morar sozinha na casa dela pois não gosta de tomar banho, se alimentar direito, o que devemos fazer nessa caso?

  117. Mariah disse:

    Minha mae é idosa e quando chegar a hora de dividir os cuidados não poderei ajudar financeiramente porque não tenho renda.Porem meu marido não tem obrigação porque o pai não é dele, e tambem tenho irmão com condiçoes financeiras muito boas, otimas,Qual seria minha posição atomar neste caso?

  118. Luciene Miranda disse:

    Rita, independente do tratamento que sua mãe dispensou a vcs, o Estatuto é claro:
    rt. 3o É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

    Art. 37. O idoso tem direito a moradia digna, no seio da família natural ou substituta, ou desacompanhado de seus familiares, quando assim o desejar, ou, ainda, em instituição pública ou privada.

  119. Rita S H disse:

    Minha duvida e a seguinte minha mae viuva tem 69 anos, quando crianças nos sofremos muito na mão dela ela sempre inventava que estava doente para trabalhos domensticos e fomos obrigados a trabalhar caso não fisessemos o que ela queria eramos espancados, minha irma certa vez esqueceu de colocar agua para esquentar para ela tomar banho minha mae com raiva pegou a panela foi para cima dela para que a panela não pegasse na cabeça colocou o braço e acabou quebrando, ela puchava minha orelha chegava a sangrar reclamava para ela como resposta era uma rizada debochada, entre outras tantas historias que poderia relatar, e hoje ninguem quer cuidar dela pois ainda continua querendo nos obrigar a fazer as coisas de saude o unico problema dela e pressão alta, e nos temos nossas vidas para cuidar , quando crianças eramos obrigados a submeter as atrocidades dela, mas nimguem quer mais isso, e mesmo assim temos que ser obrigados a cuidar dela baseado no estatuto do idoso.

  120. Luciene Miranda disse:

    José Paulo, como vc pode ver em comentários de outros leitores, não há este tipo de lei. Mas pense por um instante, uma visita por obrigação não seria proveitosa, visto que seria algo forçado, perdendo assim seu real sentido. Além do mais, sua mãe perceberia e provavelmente também não iria gostar. A presença dos filhos é realmente muito importante para uma melhor qualidade de vida do idoso, porém não pode ser uma obrigação. Pelo que você fala, enquanto filho você está fazendo o melhor por ela! Continue fazendo sua parte, mantenha sua postura de não “envenená-la” sobre o restante da família, pois pode deixá-la ainda pior.
    Amor e carinho não são obrigação. Se dá, não se cobra!

  121. Jose Paulo disse:

    Cuido de mimha mãe, que está com 82 anos de idade. Por insistência minha, já que ela não desejava morar em meu apartamento pois acha que iria incomodar, minha passou a residir no mesmo prédio que eu. Em virtude de suas dificuldaes e da idade avançada contratei tres pessoas para que pudessem cuidar melhor dela (são mulheres e minha mãe se sente mais à vontade).
    Tenho um irmão e uma irmã casados, aposentados, com filhos maiores que não mais residem com eles. Minha mãe está constantemente deprimida (e já foi hospitalizada algumas vezes por problemas cardíacos e de depressão). Sente muita falta de meu irmão e irmã e de seus netos (meus sobrinho/sobrinhas). Nenhum deles mantém contato ou telefonema. Só a visitam cerca de 1 a 2 vezes por ano (quando o fazem). Já insistí inumeras vezes para que a visitassem ou mantivessem contato. Quando o fazem, arrumam sempre uma desculpa para não visitá-la. Houve uma vez em que minha irmã convidou a minha mãe para ficar alguns dias com ela e depois de TRÊS DIAS me ligaram para ir pegá-la, pois meu cunhado e minha irmã estavam se sentindo “invadidos” com a presença dela em sua residência no Rio (pois eu e minnha mãe moramos em Teresópolis-RJ). Nem os netos e um deles é médico, sequer liga para saber como está a saúde dela. Já discutimos antes mas sempre evito repassar para minha mãe o fato de que ela está sendo rejeitada pelos meus irmãos. Mas ela acaba sofrendo, ficando depressiva, o que agrava sua saúde. Até os médicos que a consultam, percebem seu estado depressivo e perguntam o que está acontecendo. INDAGO: Existe alguma maneira legal que meus irmãos possam ser “compelidos” a visitar minha mãe com mais frequência? Pelo menos para que eles possam parecer mais “seres humanos” e não dois filhos completamente “desnaturados”?
    Não reclamo do trabalho que tenho cuidando dela, mas parece que sou filho único e o que eles estão fazendo, só agrava a saúde dela.
    Agradeço sua resposta e orientações possíveis.
    José Paulo

  122. Luciene Miranda disse:

    Marta, a questão é que, até onde sei, não há lei que obrigue todos os filhos a prestar o mesmo tipo de assistência ao genitor idoso. Acredito que antes de formalizar denúncia o ideal seria procurar ajuda especializada de um advogado ou defensor público para se informar melhor sobre o que pode ser feito do ponto de vista legal.

  123. Marta disse:

    Prezada Luciene,

    Minha mãe já tentou falar com meus tios mas de nada adiantou.
    Creio que eles só ajudem se forem obrigados.
    E obrigados judicialmente…
    Por isso qual orgão do governo devo procurar primeiramente>
    ou deveria antes registrar queixa de abandono na delegacia do idoso>

    Obrigada

  124. Luciene Miranda disse:

    Marta, dê uma olhada nas perguntas dos leitores. Há algumas semelhantes ao seu problema, cujas respostas tb serão úteis a você.

  125. Marta Correia disse:

    Olá Boa Noite,

    Minha mãe cuida sozinha do meu avô que possui Mal de Alzheimer, há mais ou menos 5 anos.
    Antes ainda tinha a minha avó que faleceu tem vai fazer 3 anos.
    Ao todo são 13 irmãos, mas eles simplesmente abandonaram meu avô. Nem ao menos ligam para saber como ele esta.
    Antigamente temos entrar em acordos para que eles ajudassem pelo menos nos fins de semana, para que minha mãe pudesse ter um dia de descanso. Mas foi uma tentativa em vão.
    Nem os netos mais ligam, nem aparecem.
    Financeiramente nem pensar, isso nunca…
    O que posso fazer para que eles dividam a ajuda?
    E realmente obrigação dos filhos cuidarem dos pais?
    Posso registrar queixa da delegacia por abandono?

    Obrigada
    Marta

  126. Luciene Miranda disse:

    Rita, converse com ele, não há a opção de trazê-la para uma Instituição em sua cidade? Vcs poderiam dividir os custos. Caso não haja negociação com ele, oriente-se com um advogado.

  127. Rita de Cássia Mattos Barroso Rodrigues disse:

    Eu tenho 43 anos e desde os 12 anos de idade já cuidava da minha mãe sozinha, leva-a em médicos, ficava com ela internada em hospitais. Desde que eu me lembro, ela tem uma depressão que com o tempo ficou crônica e com a idade, vieram também outras doenças: diabetes, colesterol alto, pressão alta, trombose, osteoporose, catarata, etc e etc. Ela está com 68 anos, mas os problemas de saúde são graves. Após várias cirurgias que ela fez ( veias, vesícula, útero, etc ), ano passado ela teve a fratura de uma vértebra L 1, e teve que ser operada e ficou sem andar. Ela sempre ficou na minha casa ( sou casada a 23 anos e tenho um filho de 17 ), sempre quando estava doente e quando melhorava, voltava para sua casa. Ha dois anos ela teve que vir de vez morar comigo e contratei uma cuidadora, pois trabalho 40 horas semanais, e não tinha mais condições dela ficar aqui sozinha. Com a cirurgia da coluna, e ela ficou literalmente na cama ( montei um quarto de hospital na minha casa ), tive que despedir a cuidadora e contratar auxiliares de enfermagem, pois aí vieram os banhos em cadeira de roda própria, cadeira de rodas, fraldas e ela me chamando todo o tempo desde a hora que eu pisava em casa. Adoeci, meu casamento começou a sofrer as consequâncias, meu filho já não aguentava mais, minha produtividade no trabalho foi afetada… enfim, estava prestes a ser internada. Pois os cuidados para com ela sempre fizeram parte da minha vida, quando casei, meu marido passou a me ajudar. Tenho um irmão mais velho,o qual sempre “gritou” e ela sempre investiu nele: estudos, boas escolas, apartava as brigas dele… e se tornou um homem muito bem sucedido financeiramente e nunca participou da vida dela. Sempre foi poupado por ela e por toda a família dela. Casou-se e só vinha aqui a passeio, onde era recebido como um rei, e que quando as coisas com ela começaram a piorar, sumiu de vez. As minhas tias, irmãs dela, nunca ajudaram, visitaram, e quando eu passei no vestibular para jornalismo em um universidde federal em outra cidade, duas tias, minha avó e meu irmão não me deixaram ir porque eu tinha que cuidar da minha mãe. Também não queriam que eu fizesse faculdade de pedagogia aqui mesmo, mas eu arrumei emprego e banquei os meus estudos superiores por 6 anos, fazendo inclusive pós-graduação. Também não queriam que eu me casasse com o meu marido, pois nunca tinha chegado a hora. Porém nós resolvemos e nos casamos. Na verdade, hoje eu vejo que eles queriam que eu ficasse, solteira, sem estudos, sem emprego, sem constituir a minha família, para ficar por conta da minh mãe. Em dezembro de 2010, meu marido telefonou para meu irmão, que mora bem longe daqui e deu a ele 10 dias para ele vir buscar minha mãe e levar para casa dele. Ele veio e a colocou em uma casa lar, pois ele mesmo sempre disse que a esposa não aceitava minha mãe na casa dela. Meu esposo me ajudou coom a minha mãe desde que nos casamos, sem reclamar, pelo contrário, sempre teve paciência e atitude nas horas mais difíceis. Agora meu irmão telefonou dizendo que não está aguentando mais, que vai trazê-la em abril, sendo que ela nem está na casa dele e sim numa casa lar para idosos. Contando de dezembro/2010 à abril/2011, são somente 5 meses que ele “assumiu” a mãe dele. Sendo que até hoje ele é o centro das atenções dela. Ela nunca investiu em mim, sempre nele, que é um militar de alta patente da aéronáuica e ganha muito bem. Eu além, de terapia para superar vida de exploração que minha mãe e a família dela me submeteram, estou tratando dores no corpo todo, fazendo dieta e tomando remédios para o colesterol que está altíssimo, já estou com glaucoma… enfim toda a hereditariedade de doenças dela, eu já tenho e estou lutando para não chegar ao ponto dela e definitivamente não tenho condições físicas e nem emocionais para assumi-la com antes. Se ela vier para cá, ou se eu tiver que administrar uma casa com ela e uma auxiliar, eu piro de vez, pois ainda estou muito fraca. Como eu devo agir com meu irmão ?

  128. Malu Menezes disse:

    Quando os pais são pais os filhos tem obrigação. Mais no meu caso meu pai abandonou minha mãe por uma mulher mais nova,minha mãe varreu rua p/cuidar da gente. Ele dizia que não tinha filho quando tinha uma situação financeira melhor, agora depois de uma acidente, (financeiramente só tem um salário porque apesar de tudo paguei o INSS dele) a mulher o largou,eu ganho um salário atualmente e sou obrigada a gastar o que não tenho com ele, sinceramente a família que ele escolheu é que deveria cuidar dele, uma vez que ele criou 8 filhos dela, enquanto nós, minha mãe se virou.

  129. Luciene Miranda disse:

    Manoel, sua situação é realmente muito delicada. Primeiramente, apesar de todas as suas dificuldades, vc não pode se esquecer de cuidar de si, já que relatou estar com sintomas de um determminado problema de saúde. Como vc msm disse, se adoecer será pior.
    Vc abriu mão de td e msm assim parece que sua mãe não está satisfeita. Vc já conversou sério com sua irmã no sentido dela tb assumir a responsabilidade pela mãe doente? Às vezes uma alternativa viável seria contratar um cuidador profissional (contando pelo menos com o apoio financeiro da sua irmã). Assim a idosa estaria bem assistida e vc não teria que abrir mão de sua vida. Isto é muito importante, pois se vc abandonar seu emprego, futuramente terá problemas por não conseguir se aposentar. Boa sorte.

  130. Luciene Miranda disse:

    Monica, infelizmente o filho cuidador não goza deste tipo de auxílio.

  131. MÔNICA SANTOS disse:

    Olá Boa tarde !!

    Sou filha única e trabalho em uma empresa de telemarketing, trabalho 06 horas e 20 minutos c folga uma vez na semana !!! Meu pai tem 87 anos e minha mãe 85 gostaria de saber se sou amparada por alguma lei do estatuto do idoso, pois tenho faltado para acompanhar meu pai em várias consultas médicas e exames.. pois o mesmo está com suspeita de cancer..
    Envio meus atestados de acompanhante e estou sendo questionada… ex por ser filha única… como devo proceder…
    No aguardo !

  132. Manoel disse:

    Olá Luciene!Minha mãe é deficiente física,sindrome progressiva.Depende parcialmente de auxílio em casa e não tem condições de sair de casa sozinha. É uma pessoa dificílima de conviver,causa problemas(por ser grossa,ofender as pessoas,não sabe falar vem com o pé no pescoço e busca um culpado para cada coisa que não sai como planeja),cria questões por pouco,se não concordam passa a agressividade verbal e ameaças. Já acabei dois relacionamentos,tirei licença do trabalho para tratamento médico dela,larguei um projeto de trabalho ao tentar transferência pra ficar mais próximo e nada disso parece ser suficiente. Perco oportunidades no trabalho que propiciariam melhor condição de vida e sustento. Minha irmã é omissa,egoísta e não mais que uma vez em duas semanas aparece para fazer coisas fúteis,não senta e conversa com a mãe,se fizer é para manipulá-la e fala a ela que a estou pressinonando e encostando com ameaças. Passei em concurso há 9 anos, minha mãe não aceita morar na cidade onde trabalho, insiste em eficar na cidade natal, onde não posso assiti-la durante a semana, levá-la ao médico e outras mecessidades, para fazer isso tenho que vir até onde ela está. Minha irmã nada faz além do que citei. Estou com problemas de saúde que se agravam, tenho a mesma sindrome dela mas em compasso lento, lesões sérias degenerativas por acidentes e outras ocorrências distintas de saúde. Se eu ficar impossibilitado repentinamente, o que não está difícil acontecer, como ficará a situação, não tenho família. Quero buscar uma solução mais estou me sentindo amarrado, como cão querendo morder o rabo, não sei por onde partir, e no fundo não me agrada partir para “a força legal”. Minha pressão arterial está dando picos e é isso aí! Pode comentar algo? Muito grato pela atenção,

  133. Luciene Miranda disse:

    Lulu, como já foi falado no blog, o melhor a fazer nestes casos é procurar um advogado ou defensor público. Como cada caso é um caso, ele é o profissional habilitado a buscar uma melhor alternativa para o idoso do ponto de vista jurídico.

  134. Lulu disse:

    OLá….

    Meu tio tem 69 anos, é safenado e foi abandonado pela mulher e os 4 filhos q não querem mais saber dele. Minha mãe com 75 anos sensibilizada pela situação dele quer saber se tem alguma lei q obrigue os filhos a arcar com as responsabilidades do pai, haja visto q ele recebe praticamente 1 salário minimo e esta vivendo em um lugar q não tem espaço para montar sequer uma cama…
    Obgada

  135. Luciene Miranda disse:

    Tania, não é certo, a família está se recusando a prestar socorro a um idoso doente, idependente da razão pela qual justificam o fato. Ele se manifesta a este respeito? Oriente-se no Conselho Municipal do Idoso.

  136. tania disse:

    OI, BOA NOITE MEU SOGRO TEM 86 ANOS SEMPRE FOI UM EXELENTE HOMEM, O MELHO QUE CONHEÇO JUSTO ,INTEGRO,HONESTO PASTOR A MAIS DE 50 ANOS AGORA ESTA DOENTE ACAMADO,NA VERDADE NAO SEI O QUE ELE TEM ACREDITO QUE DEPRESSAO NINGUEM DA FAMILIA QUER LEVA-LO AO MEDICO POIS SEGUNDO ELES É SUA VONTADE ,MORRER EM CASA.ELE A 2 MESES COMEÇOU A EMAGRESSER SEM PARAR PERDEU UNS 10 KILOS DEVE ESTAR PESANDO UNS 30 KILOS 1,50 MT ESTA PELE E OSSO MORO LONGE E QUANDO VOU VISITA-LO PERCEBO QUE ESTA MORRENDO ESTOU LUTANDO PRA LEVA-LO AO MEDICO MAS A FAMILIA NAO QUER SAO 4 FILHOS E2 FILHAS QUE MORAM LONGE SO FALAMOS POR TELEFONE ESTOU DESESPERADA MAS NAO SOU FILHA O QUE EU PODERIA FAZER PRA AJUDA-LO MINHA SOGRA DISSE QUE É SUA VONTADE MORRER EM CASA ,OS CRENTES DA IGREJA DIZEM QUE É A VONTADE DE DEUS QUE RECEBERAM MENSAGENS E QUE É PRA DEIXAR, OS FILHOS ACHO QUE PRA NAO GASTAR DINHEIRO COM MEDICO TRATAMENTO TAMBEM ACHAM QUE NAO VALEM A PENA JA QUE ELE ESTA NO FIN DA VIDA EU NAO DURMO A NOITE PENSANDO QUE ISTO É UMA ALTANASIA.É CRIME O QUE ELES ESTAO FAZENDO?

  137. Luciene Miranda disse:

    Maria Fernanda, denúncias de maus tratos contra o idoso podem ser feitas nos Conselhos Municipais e Estaduais do Idoso, Promotoria do Idoso, ou mesmo na polícia. Procure um desses órgãos, relate a situação e oriente-se de onde buscar auxílio para a pessoa com deficiência.

  138. Luciene Miranda disse:

    Clara, se esta conversa não foi suficiente, reúna estes comprovantes e leve-os a um advogado ou defensor público, eles poderão te orientar se juridicamente há alguma coisa a ser feito.

  139. clara disse:

    luciene, eu já fiz varias reuniões com meus irmãos, mais ñ adiantou, eles acham que o salário da mãe da para comprar os remédios, roupas,comida,fisiterapia,transporte,lazer e etc…eu tenho tudo guardado as notas dos gastos e já mostrei. elas dizem que tem os problemas deles e q ñ tem condições de ajudar.
    gostaria de saber se tem algum meio judicial q eu possa recorrer.

  140. Maria Fernanda disse:

    Tenho uma prima da minha mãe que é idosa,tem 83a.e está usando andador para se locomover,e tem uma filha de 48a.deficiente física desde que nasceu,tbém esta com reincidiva de cancer de mama,quem tem dado apoio para tratamento e uma vez por semana apoio afetivo tem sido minha mãe e minha irmã,nestes ultimos 5 anos,minha prima tem dois filhos que alegam que sua mãe e irmã são dificeis e que não querem se desgastar,minha mãe e irmã estão desgastadas com toda a situação de abandono,mas abandono afetivo,o que as minhas primas lamentam muito,e choram,pois senten-se rejeitadas pela familia…Gostaria de saber o que posso fazer para ajudá-las uma vez que há o abandono de um idoso incapaz e uma deficiente incapaz e doente gravemente e os filhos se recusam a assumir um papel que é deles,digo fazer algo legalmente.Obrigado….

  141. Luciene Miranda disse:

    Clara,vc pode fazer uma reunião com os seus irmãos, mostrar no papel todos os seus gastos e a sua situação (abandono de emprego, cuidadora 24h) e pedir uma ajuda financeira mensal para a sua mãe. Assim vcs poderiam ter um cuidador o que seria bom para a idosa e para vc.

  142. clara disse:

    eu cuido da minha mãe sozinha. ela tem mal de parkinson, quase não anda mais…tive que trazer ela do interior para morar comigo. tenho mais 5 irmão e ninguém queria cuidar dela. tive que largar meu emprego p me dedicar só a ela, tenho q levar ela de segunda a sexta na fisioterapia, dar banho, levar ao médico.etc… não tenho mais vida social, me dedico a ela 24 horas. e meus irmão não me ajudam. ta certo eles moram longe. mais não ajudam nem financeiramente se não é o meu marido me ajudar eu não sei o que seria da minha mãe.ela ganha 2 salários minemos, um é só p os remédios dela, o o outro tenho que me virar com ele, mais não chega. as vezes acho que não vou aguentar. gostaria de saber o q posso fazer a respeito.

  143. Tem sim! O estatuto do idoso.
    É só pedir um advogado ou defensor público para acionar sua prima na justiça, para que ampare o pai dela.
    Abraços.

  144. sandra disse:

    cuido da minha mãe e do meu tio , só q ele tem uma filha única que não quer saber dele, sendo que ela tem mais condições financeiras do que eu. será que existe alguma lei que obrigue ela de ficar com ele?

  145. Luciene Miranda disse:

    Lidiane, como eu ressaltei no artigo, os filhos precisam se responsabilizar pelos pais idosos, porém não há lei que estipule qual deles será o responsável. Independente de serem sdolteiros e casados, todos são filhos. Como são 10, se cada um ajudar um pouco, numa parte do dia ou da noite, não ficará pesado para ninguém.

  146. Lidiane Regina Hessmann disse:

    Gostaria que me tirassem uma dúvida. Meu marido tem mais 10 irmãos, sendo que ele e mais 6 são casados e tem filhos. Os outros que são solteiros, que moram lá de favor, estão brigando com os casados querendo que eles cuidem dela. Na minha opinião, eles que são solteiros, não tem família pra sustentar, é que são obrigados a cuidar dela. Os outros que são casados não tem como cuidar, pois trabalham e as esposas também. Eles são obrigados a cuidar dela sendo que moram lá de favor e não trabalham?

  147. Luciene Miranda disse:

    Renata, pelo que outros internautas também já se queixaram, normalmente as empresas não aceitam este tipo de atestado. Uma alternativa viável seria msm tirar suas férias neste período para cuidar de sua mãe.

  148. Renata disse:

    alguem saberia me dizer, se o trabalhador que tem pais acima de 60 anos tem direito a entregar para empresa onde trabalha atestado de acompanhamento medico? por exemplo tenho uma mae com 68 anos que fara uma cirurgia na perna, e ficara acamada por no minimo 20 dias, sem poder se levantar ate para fazer suas nececidades fisiologicas, e eu sou a unica pessoa que ela tem para cuidar durante esse periodo, mas no meu trabalho nao aceitaram o atestado, e me disseram que irao descontar os dias nas minhas ferias, isso é correto? existe algo na lei que fale sobre isso, eu tenho o direito de acompanhã-la e entregar esse atestado?

  149. É só procurar um advogado e sacramentar sua vontade no cartório. E conseguir com seu médico um atestado de sanidade mental e lucidez, pois irá precisar também.

  150. LEONARDO MARCOS DA SILVA disse:

    TENHO 70 ANOS, E SOFRO DE DIVERSOS PROBLEMAS. MINHA ESPOSA TEM DIVERSOS PROBLEMAS DE SAUDE TB. SOU APOSENTADO (SERVIDOR PUBLICO). TENHO 3 FILHOS, E JÁ DE ANTEMÃO QUERIA INDICAR UMA FILHA QUE EM CASO DE MINHA FALTA CUIDE DE MINHA ESPOSA. ELA ENTRE MEUS FILHOS É A PESSOA MAIS INDICADA A CUIDAR DE MINHA ESPOSA NA MINHA FALTA E GERIR OS RECURSOS DA PENSÃO. COMO DEVO PROCEDER PARA DEIXAR ISSO SACRAMENTADO EM VIDA ?

  151. Luciene Miranda disse:

    Silvio, o curador, em linhas gerais, é a pessoa que administra os bens do idoso que não tem mais condições de gerir sua vida financeira, porém ele precisa utilizar este dinheiro em benefício do idoso. Será que este juiz de direito foi bem informado sobre a realidade de sua família qdo nomeou seu irmão como o curador?

  152. Silvio Libanori disse:

    Meu problema e semelhante ao de muitos. Tenho 57 anos, sou sozinho e cuido do meu pai que tem 83 anos e sofre de Alzheimer. Meu unico irmao que e casado, tem filhas e situacao financeira estavel, nao quer a presenca do meu pai alegando que devido a incontinencia urinaria dele, poderia vir a estragar seu carpete (!). Mas tem um agravante ai, este “irmao” conseguiu na justica, a curatela provisoria do meu pai, e e ele, quem decide quanto e como deve ser gasto com ele em suas necessidades. Nao penso e nem quero ser o curador, contudo, nao posso aceitar que um juiz de direito, determine a curatela em favor de alguem que nao vive com a pessoa. Juridicamente isso e correto ?

  153. Luciene Miranda disse:

    Joel, o estatuto não especifica o familiar que deverá ficar com o idoso, cabe à família se organizar neste sentido.

  154. joel disse:

    A um ano minha mãe teve derrame e ficou bem debilitada.
    Ela mora comigo que sou filho dela a dez anos e minha esposa que é nora dela esta cuidando dela.Tenho cinco irmãos sendo,tres irmas e mais dois irmãos.tres de meus irmãos estamos pagando 500 reais para minha esposa que é nora cuidar de minha mãe ja que contratamos duas pessoas e não deram certo.Porem minhas irmas que são filhas e que não trabalham e podem cuidar da minha mãe acham que por ela morar comigo é eu que tenho a responsabilidade.Nas sextas feiras fazemos rodizio onde minha mãe fica na casa de tres imas minhas e elas trazem minha mãe devolta no domingo a noite e dois de meus irmãos não ficam porque suas esposas não tem obrigação de ficar com a sogra.Pergunto:Sendo que tenho tres irmas não seriam elas as responsaveis para ficar com minha mãe em lugar de minha esposa que é nora dela,e nos ficarmos o final de semana como fazemos com eles? O que o estatuto do idoso diz sobre isso? Gotaria de saber a opinião de voçes segundo a lei para que eu possa estar conversando com minha familia,obrigado

  155. Luciene Miranda disse:

    Helena e Ronan, o Estatuto do Idoso deixa claro que os idosos que não possuem família ou que não possuem condições de subsistência podem residir em insituições de permanência para idosos. A questão é: vocês deixam claro que estes idosos possuem família, a qual, por motivos anteriores explicados por vcs, não quer assumir a responsabilidade pelo cuidado do idoso. As insituições têm condições de fornecer moradia, comida, higiene e cuidados com a saúde, porém não têm condições de suprir as boas interações familiares.

  156. Janaina disse:

    Minha indagação éa mesma feita pelo Renan, como ele eu gostaria de uma resposata. Como uma pessoa que abandonou seus “familiares” pode exigir que estes se responsabilizem por seus cuidados, que tipo de cuidados ele dispensou a estes filhos, enquanto tinha saúde e podia prover seu sustento?
    Ele foi pai?
    Eles são filhos?
    E a responsabilidade do Estado em proteger os cidadãos que necessitam, onde fica nessa discusão? Nesse caso me refiro tanto a proteção social a família, quanto ao próprio idoso.
    Que mesmo acreditando que essa familia não possa ser responsabilizada, não segnifica que este idoso não tenho o direito de ter sua proteção social garantidos e efetivados.
    Fica aqui essa reflexão!!!!

  157. Luciene Miranda disse:

    Míriam, não é certo vc cuidar sozinha, principalmente sendo uma pessoa com necessidades especiais. Da mesma forma, também não é certo uma pessoa idosa ficar sem receber cuidados de familiares quando necessita. Vc não tem outros familiares que poderiam te ajudar? Converse com eles.

  158. MIRIAN disse:

    SOU DEFICIENTE FISICA E CUIDO DO MEU AVO SOZINHA,SEM AJUDA FINANCEIRA NEM APOIO NENHUM.GOSTARIA DE SABER SE ISSO E CERTO. E SE SENDO EU DEFICIENTE FISICO CRONICA TENHO ALGUMA OBRIGAÇAO? E COMO FAÇO PRA MUDAR A SITUAÇAO,POIS JA NAO AGUENTO MAIS TANTA EXPLORAÇAO.

  159. Luciene Miranda disse:

    Helena, peça ajuda para eles (para dividirem os cuidados ou mesmo para contratarem um cuidador profissional). O que não pode é vc ou o idoso ficarem desamparados.

  160. Helena disse:

    Meu pai tem 84 anos eu 57 anos cuido dele sozinha, somos em 4 Não to aguentando mais , tenho depressão desgaste na coluna joelho e tornozelo e pressão alto ,não tenho tempo de ir no medico , ninguem me ajuda. Não to aguentando mais o que eu faço me ajude Helena

  161. Renan disse:

    Meu avô abandonou a familia quando meu pai tinha apenas 6 anos e meus tios um com 3 outro com 8 anos. Não tiveram mais contato com ele.
    Agora recentemente os irmãos dele entraram em contato dizendo que ele está muito debilitado e vão entrar na justiça para que os filhos se responsabilize por ele. Qual o direito do meu pai sendo que meu avô o abandonou?

  162. Sara disse:

    Penso que minha situação seja um pouco mais complicada.Cuido de meu paicom alzhame que ja se encontra em estado vejetativo,de um tio, imão de meu pai idoso e deficiente, e de uma irmã com retardo mental,de família que eles tem é só eu e um irmão,só que meu irmão ajuda muito pouco na maoiria do tempo ele é neglijente. Será que nem assim a lei obrigará ele a se comprometer mais?Já que ele tem mais condições financeira que eu.

  163. Caro que não, Ester! Inclusive, deveria comunicar primeiro e veementemente à família que você tomará providências por isto. Depois, se nenhum irmão te ajudar, você deverá comunicar o fato à delegacia do idoso ou ao conselho do idoso de sua cidade. Há casos que chegam até ao conhecimento do promotor público da terceira idade. Não fique sozinha, peça ajuda!

  164. ESTER disse:

    ESTOU CUIDANDO DO MEU PAI SOZIMHA, GISTARIA DE SABER SE E CERTO? TEMHO MAIS 9 IRMAOS.

  165. Cara Ana,
    Leia os últimos artigos do portal e você terá uma boa idéia de como proceder com seu irmão.
    Abraços

  166. ana lúcia f. cruz disse:

    Estou cuidando da minha mmãe sozinha, tenho um irmão muito bem finanseiramente,não me ajuda em nada, nãovizita ela faz uns trez anos , por que ele considera ela um problema ela e doente,ele não quer problema, tem que aproveitar a vida, que lei e essa

  167. val disse:

    Gostaria de expressar aqui a minha opinião sobre filhos que nao cuidam de pais idosos, Gostaria de entrar em alguma ong com intuito de fazer valer a lei de filhos com responsabilidade de cuidar dos pais idosos, acho que deveria ser igual a pai que nao paga pensão ou ajuda financeiramente ou com cuidados ou vai preso….

Quer adicionar uma foto no seu comentário?

Entre no site gravatar.com, crie uma conta e faça o upload da sua foto.

Comente

  • Nenhuma citação para este post.

Enquete

Você sabia que o novo CLASSIFICADOS PROCURO CUIDADOR agora também anuncia empresas e profissionais de saúde?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Mapa
© 2010 Cuidar de Idosos. Todos os direitos reservados. Reprodução sem permissão não é permitido.

© 2012 CUIDAR DE IDOSOS

Recomendamos também a leitura de: