Cadastre-se no site

Primeira página

Seções

Profissões

Doenças

Condições

Cursos

Dicas

Vídeos

Redes Sociais

Cuidar de Idosos

Publicado em: 22/06/2009

A- A+

O perigo mora em casa

  •  Favoritos
  •  Assinar feed
  •  Receba por e-mail
  •  Link para este post
  •  Notificar erro
  • Enviar para amigo

  •  

Como o Dr Márcio introduziu um tema muito importante para todos os que têm idosos na família ou preocupam-se com o seu próprio envelhecimento, nas próximas semanas irei escrever sobre um tema bastante importante: a violência contra o idoso.

Infelizmente, vivemos cercados de pessoas perigosas ou de situações que podem nos expor ao perigo, algumas vezes conseguimos sair ilesos destas situações de risco, mas às vezes acabando nos tornando vítimas. Os idosos, principalmente aqueles mais vulneráveis, que passam por um processo de envelhecimento patológico, rotineiramente tornam-se manchete de jornais ou de rodas de conversa de familiares, amigos e desconhecidos por serem vítimas da violência. Hoje, mesmo no jornal local de minha cidade tinha a manchete de que uma idosa perdeu 50 mil reais, devido a um golpe aplicado por estelionatários, sendo que um deles estava “fantasiado” de médico.

A violência contra o idoso pode se dar através de várias categorias: maus tratos físicos e/ou psicológicos, negligência, abuso financeiro, material e/ou sexual, abandono, ou auto-abandono. O agravante é que, como diz o título, muitas vezes o idoso convive com o perigo: o agressor reside com ele, podendo ser um familiar próximo ou um cuidador profissional. O que é ainda mais grave, alguns destes idosos sofrem violência daquela pessoa a qual eles dependem para sobreviver: a pessoa que violenta, abusa e maltrata é a mesma que alimenta, administra medicação, cuida da higiene pessoal e cuida das finanças daquele idoso que já não tem mais condições de realizar seu auto-cuidado.

Uma breve definição das categorias irá explicar um pouco melhor a dimensão deste problema que infelizmente existe e em número considerável:

A violência ou mau trato físico é a concepção que fica mais internalizada para nós como violência, é a agressão física capaz de ocasionar lesão, ferida, dor ou incapacidade. É o familiar ou cuidador que, num momento de raiva ou desespero (injustificáveis), empurra o idoso, bate nele com as próprias mãos ou utilizando algum instrumento. Muitas vezes o idoso fica tão machucado que precisa de atendimento médico, e, na maioria das vezes, é o próprio violentador que o leva ao hospital, alegando uma simples queda ou acidente doméstico. Os profissionais de saúde e cuidadores profissionais devem estar atentos para este tipo de situação.

A violência ou mau trato psicológico é o ato de infligir dor, culpa, pena ou remorso através de palavras ou expressões não-verbais. É o familiar ou cuidador que faz chantagem emocional ao idoso visando benefícios próprios, sendo que o idoso sai lesado. Nesta modalidade de violência o idoso que está passando por um processo de envelhecimento saudável também é presa fácil deste enredo. Normalmente este idoso não denuncia o familiar pelo fato de ser alguém de sua própria família; além de se sentir envergonhado, o violentador faz com que ele se sinta, de certa forma, culpado, se fizer a denúncia – que conseqüentemente acarretará em algum tipo de punição judicial para o agressor.

O abuso financeiro ou material é a exploração imprópria ou ilegal dos recursos financeiros do idoso. É o familiar que obriga o idoso a assinar uma procuração garantindo a ele plenos poderes sobre seus bens; ou aquele que usa todos os recursos financeiros do idoso, vende bens e não emprega o dinheiro para o uso do idoso; é o cuidador que furta na casa do idoso, que na maioria das vezes não dá conta do ocorrido ou a família duvida dele.

O abuso sexual é o contato sexual sem o consentimento do idoso. Uma violação da intimidade e do pudor do paciente durante os cuidados de higiene não deixa de ser considerada um abuso.

A negligência é recusar-se ou não se responsabilizar pelos cuidados do idoso. É o familiar que assume cuidar do idoso, mas não garante a ele sua qualidade de vida, não se preocupa com os cuidados básicos que um idoso dependente necessita, tais como comer, vestir-se, cuidar de sua higiene, etc. O mesmo serve para o cuidador. Pode-se ainda citar como exemplo o familiar que leva o idoso para uma instituição de longa permanência não porque esta irá proporcionar melhores cuidados ao idoso, mas somente para se ver livre daquele “peso” para ele.

O abandono é uma forma de negligência. O familiar ou cuidador deixa o idoso sozinho em casa, sem assistência ou proteção. Cabe à família, aos profissionais de saúde e à sociedade em geral observar casos de suspeita de qualquer um destes tipos de violência e denunciar à polícia, ao conselho municipal do idoso, ou às autoridades locais competentes, para que as autoridades tomem as providências necessárias para garantir a integridade física e psicológica do idoso vítima de violência. Importante ressaltar que se tivermos conhecimento de um idoso que tem sido vítima de violência e não denunciarmos estamos sendo coniventes com o violentador.

Finalmente, o auto-abandono consiste na conduta do idoso que ameaça sua própria integridade por não conseguir prover a si mesmo o cuidado adequado. Como exemplo desta categoria, vou transcrever, na íntegra, o comentário da internauta Denise num artigo passado:

“Minha mãe com 61 anos está fazendo tratamento de Câncer no Pulmão. Desde o início do tratamento eu e minha irmã insistimos para que ela morasse conosco, ou na casa de uma, ou da outra; mas ela sempre negou. Apesar de mantermos acompanhantes com ela pela manhã, tornou-se inviável a permanência dela sozinha em sua casa, pois ela se recusa a tomar os remédios e atingiu um alto grau de anorexia a ponto de sabermos que os seus vizinhos estavam se organizando para denunciar eu e minha irmã por abandono e mal trato ao idoso, mas sem saberem do nosso apelo constante para que ela ficasse junto a sua família. Finalmente ela está há 3 dias na casa da minha irmã mas já planejou a volta para a sua casa no final da semana. Não sei o que fazer.”

Realmente, esta é uma situação muito difícil para a família, pois, aparentemente, a idosa não possui nenhum diagnóstico de demência, e, portanto, teoricamente, é responsável por seus atos e decisões. E neste último caso? Um vizinho poderia denunciar? Sim, se ele não sabe realmente o que estava acontecendo ele poderia, mas as filhas têm o direito de se defender, reunindo provas de que não estão negligenciando o cuidado da mãe. Semana que vem continuaremos a discussão sobre o tema.

Luciene C. Miranda

Psicóloga - lucienecm@yahoo.com.br

Avalie este artigo

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas 9 Voto(s)
Loading ... Loading ...

54 comentários em “O perigo mora em casa”

  1. Roney disse:

    Em alguns casos, realmente aquele que cuida do idoso, familiar ou não, pode ser exposto em situação difícil, pois o próprio idoso pode criar tais situações. Seja por demência ou deliberadamente de forma consciente, o idoso, seja por pirraça ou pura maldade(porque infelizmente, existem aqueles idosos de caráter maldoso), expõe aqueles que o cuidam a situações constrangedoras e até com o risco de ser indiciado por maus tratos. Mas como identificar estes casos daqueles que realmente ocorrem maus tratos??? Quem está de fora não sabe o que acontece dentro das paredes do lar onde convivem o idoso e os cuidadores, a não ser de forma superficial no dia-a-dia. Quem vai saber distunguir que aqueles gritos que se ouvem são gritos de quem está sendo maltratado, ou se são apenas gritos de pura rebeldia, ou por demência por parte do idoso, em que nem foi tocado por um dedo sequer??? Ou um daqueles casos onte o idoso, embora nem tenha culpa pelo estado mental que se encontra, se recusa de todas as formas de ser devidamente cuidado???? O mais sensato daquele vizinho por exemplo, que teme pelo idoso, é de procurar verificar o que realmente ocorre e analisar a situação antes de fazer quaisquer acusações aos cuidadores. Claro que numa situação flagrante, que não deixa dúvidas e que foi presenciada, não se deve hesitar em denunciar. Não se pode omitir, mas também não se pode agir por impulsividade, mas em denunciando, arcar também com as responsabilidades de um possível engano, uma vez que as autoridades sempre tenderão a acreditar que de fato ocorreram os maus tratos ou negligencia, mais do que na inocencia dos que o cuidam, e podem acabar com suas reputações, sendo que nenhuma culpa tiveram. Até se provar o contrário, se conseguirem, suas vidas já terão se transformado num “inferno”no qual nunca terão paz, e ainda serão taxados como “carrascos” de idosos. Nâo estou querendo dizer com isso que não se deve denunciar possíveis maus tratos a idosos, mas sim, procurar distinguir, separar as situações, e ponderar antes de acusar.

  2. Fátima disse:

    Senhores,

    Minha mãe é viúva faz 3 anos e infelizmente com ela mora meu irmão mais velho, cunhada e 4 filhos. A casa é da minha mãe e meu irmão reformou para seu próprio conforto e minha mãe mora num quarto de fundos. Eles brigam todos os dias, a casa é um verdadeiro inferno, minha mãe vive de medicamentos fortes para controlar o nervosismo. Meu irmão é bastante agressivo, embora nunca tenha agredido minha mãe fisicamente é como se o fizesse. Utilizou o nome da minha mãe para abertura de contas e hoje ela é tratada como inadimplente sem ao menos saber o que assinou, ele vive com divídas e sua vida é conduzida por coisas erradas. Gostaria da ajuda de vocês para me orientar de como eu poderia fazer por meios legais retirar meu irmão e sua família de casa? Preciso fazer algo urgente pq percebo que a cada dia minha mãe perde a vontade de viver e se mantém com medicamentos

  3. DIEGO SOUZA disse:

    Ola!!
    Meu pai trouxe a sua irma(minha tia)idosa para morar conosco num quarto de fundo. Acontece que meu pai tem 77 anos e minha mae tem 76, ambos estao doentes com problema vascular e devem fazer repouso para nao amputar as pernas, pois acabaram que fazer cirurgia. O dinheiro que eles ganham da aposentadoria quase nao da para o remedio. A minha tia e aposentada, e nao consegue se cuidar sozinha, e nao temos condiçoes de pagar alguem para cuidar dela, devidos as despesas com meus pais

    A pergunta é:

    Somos obrigados a cuidar dela (minha tia), ou neste caso, podemos encaminha-la para uma instuiçao de idoso para oferece-la um cuidado melhor?????????

  4. Cleovania Batista disse:

    Olá! Meu pai tem 84 anos e tem doença de parkinson,por causa da doença ele fala baixo.Minha irmã é procuradora dele e fica com quase todo dinheiro, meu pai quer passar a procuração para meu outro irmão, más a procuradora não quer fazer a transferência. Como faço para resolver isso?

  5. Lenes disse:

    Por favor, preciso de uma orientação. Minha mãe está com 75 anos e o meu irmão mais velho vive na mesma casa com ela. Porém, hoje fiquei sabendo que ele está fazendo ela comprar um carro para ele no nome dela, dizendo que vai pagar, mas tenho certeza de que não pagará, pois não é a primeira vez que ele faz isso. Da outra vez ela teve que pagar várias prestações de R$1.000,00 e ainda ficou com a dívida e depois com o nome sujo. Sem contar que ele é grosseiro com ela, não cuida dela e ainda tem um filho que vive na rua, traz os colegas para dentro de casa e ele não tem sossego pra descansar e dormir. Ela gosta da minha casa, porém, não quer sair da casinha dela, pois foi onde todos os filhos dela nasceram, foi um presente do seu bisavô e ela tem muito amor pela casa. Ela é uma pessoa lúcida, mas vive sendo chantageado pelo meu irmão que fala sempre coisas que faz ela ficar triste. Eu e os meus outros dois irmãos quando falamos que vamos denunciá-lo ela sai em defesa dele, pois tem medo que ele vá preso. Ele fez ela também colocar o filho dele, que é órfão de mãe, sob a guarda dela, pra ficar com o salário dela quando ela morrer. Ela não falou nada para os outros filhos. Esse meu irmão está se aproveitando da minha mãe. Não deixa ela ter liberdade na casa dela, agora está comprando um carro para ele no nome dela e a gente não sabe o que fazer. Estamos querendo reverter a guarda, pois ela pode ajudar o neto de outra forma, pois até tememos pela vida dela já que ele vive fazendo chantagem emocional. Os maus tratos que ele pratica com ela são psicológicos e ela vive triste, mas não fala mal dele pra gente, porque tem mede de ele ser preso. Os vizinhos nos contam que ele é muito grosseiro com ela. A gente não sabe o que fazer. Além do mais ela paga todas as despesas da casa: água, luz, telefones, supermercado, despesas com o filho dele, fora o dinheiro que ela sempre dá pra. Pra começo de conversa ele vive de uma pensão que a mãe do filho dele deixou. É um sugador. é meu irmão, mas infelizmente é a pura verdade. Por favor nos oriente, pois queremos que ele se afaste dela para que ela possa ter liberdade. Queremos que ele fique longe dela, para que ela possa ter uma velhice tranquila e digna. O que podemos fazer…

  6. Luciene Miranda disse:

    Aflita, acho que você já disse que vai fazero mais sensato no momento: procurar seu advogado o mais depressa possível. Infelizmente quando estes problemas são são resolvidos na base do entendimento da conversa familiar faz-se necessário partir para o aconselhamento jurídico.

  7. aflita disse:

    Estou vivendo um problema familiar grave e nao sei como solucionar. Meu pai é viúvo, possui imóveis próprios e vive na mesma cidade que seus outros 2 filhos adultos e prósperos. Eu mudei para o exterior, me firmei aqui e decidi vender minha propriedade, alias já havia manifestado esse desejo a meu pai antes mesmod e mudar e a tempos atrás mas ele nao sai da minha casa, isso está me prejudicando porque eu preciso investir o valor da venda num plano de aposentadoria na europa o que me trará mais qualidade de vida no futuro. Porém ele insiste em viver na minha casa, paga apenas as despesas de impostos, agua, luz, telefone e as suas despesas pessoais, deixei meu carro importado com ele, foi só emprestado mas agora nao quer mais devolver, entao deixei de vez com ele porque nao transfere o documento. Olha eu nao quero brigas nem confusao mas creio que algo está errado, estou me sentindo muito mal com essa situacao. Devo procurar um advogado essa semana e ver o que fazer para que ele mude de lá, estou muito decepcionada pois quando minha mae era viva fazia questao de dizer que a casa era dela, sendo que eu a comprei e paguei e os deixei viver ali numa fase em que meu filho era pequeno e eu recém divorciada, aceitei que eles cuidassem do pequeno enquanto trabalhava, nao foi bom isso e saiu caro mais tarde, pois agora até meu filho de 21 anos nao me respeita e ainda diz que a casa é pagamento das fraldas que eles lavaram, etc. Que mundo eu vivo meu Deus? quais sao os meus direitos, quais os dele entao…

  8. Luciene Miranda disse:

    Maria Teresa, nosso papel aqui não é dar conselhos, o que é uma situação muito delicada. Você não falou que tipo de tratamento de depressão está fazendo, mas pelos tipos de problmas aos quais você se refere, não apenas tratamento medicamentoso seria indicado, mas também um acompanhamento psicoterápico, já que existem outras questões do passado interferindo em sua vida atual, as quais poderiam ser trabahadas no tratamento.
    Em relação à sua mãe, cuide dela, claro, mas procure não abrir mão de tudo em função disto. Tente ser mis incisiva para convencê-la sobre a importância de um cuidador, mesmo que em horário parcial, para que você possa se retirar sem maiores preocupações, ou mesmo veja se algum outro membro da família te dê este tipo de suporte.

  9. Maria Teresa de Oliveira Lopes disse:

    Olá! Há um ano e 7 meses meu pai faleceu e, como ñ temos parentes nesta cidade, trouxe minha mãe p/ morar comigo. No inicio, estavamos sofrendo nosso luto. Eu estou ainda fazendo tratamento p/ a depressão, mas de algumas semanas p/ cá, minha mãe está me magoando muito, acho q é pq ela não aceita ter perdido papai; ele estava c/ 85 anos, mas ela acha q ele “deveria” ter vivido até os 90, já q era um bom marido e pai. Bem…nosso relacionamento está prejudicando meu tratamento, mas ela parece ñ entender isso. Eu deixei minha vida de lado: deixei de fazer o q gostava e me sinto s/ saída. Ela ñ admite q eu coloque uma cuidadora (ela ñ tem limitações físicas). Faz chantagens, ñ gosta de me ver chorar. Minha educação foi muito repressora, s/ demonstrações de carinho e sentimentos. Entendo q isso me prejudica, pois ñ consigo dar o q ñ recebi. Ñ sei mais o q fazer; sinto-me s/ saída. Tenho pensamentos suicidas, mas sei q isso ñ seria a solução, pelo contrário. Ela ñ vai mudar, eu sei, mas eu estou surtando.
    Me de um conselho, por favor!!
    Obrigada.

  10. Luciene Miranda disse:

    Maria, todos estes problemas podem ser fruto de doença e um tratamento adequado para o idoso reduziria seu sofrimento.
    Você também pode procurar ajuda profissional (psicólogo ou psiquiatra) para te ajudar a lidar com essas questões familiares que te trazem sofrimento.

  11. maria disse:

    Boa noite,
    Sempre que busco algumas palavras que abrandem meu espírito em relação a uma relação tumultuada que tenho com um tio idoso impertinente, só leio coisas sobre os direitos dos idosos, idosos maltratados, etc … e quando são os idosos que maltratam os familares, fazem chantagens, mentem, fazem difamação, são ingratos a ponto de afetarem nossa saúde mental e física, tumultuando toda sua vida? Quem nos salva?

  12. jaquelimartins disse:

    boa noite minha avo tem 85 anos ten 9 filhos mas apenas uma cuida dela os outros 8 so querem saber quanto ela ganha eu estou a alguns meses tentando ajudar essa tia pois ela tem um filho de 13 anos que resolveu sair de casa por causa das acusaçoes feitas a mae tambem tenho 3 filhos que moram comigo por causa da situaçao minha tia entrou em depresao e pra sair desa arumou um emprego os outros tios a criticam falam mal e a acusao nao posso fazer muito pois logo tenho que voltar a trabalhar pois a pensao da minha vo e para serem gastos com ela nao acho justo ter que abrir mao dos meus filhos para o pai nen que ela pare de trabalhar ela tem que segir a vida dela mais e minha vo como fica sera que os outros 8 filhos nao tem que cuidar da mae como posso fazer pra ajuda la mais e como podemos fazer os meus tios pararem com as acusaçoes ja ouve uma denuncia contra minha tia mais vejo que ela nao tem condiçoes piscologicas e nende saude para continuar a cuidar da vozinha por favor me oriente

  13. Luciene Miranda disse:

    Amanda, infelizmente não tenho.

  14. AMANDA ALCANTARA FERREIRA disse:

    Olah…sou estudante de direito… e meu projeto de pesquisa é sobre maus tratos aos idosos por menores de 18 anos…fazendo um paralelo entre o E.C.A e o Estatuto do Idoso…gostaria de saber se poderia me auxiliar em relação a esse assunto… se tem algum material relacionado.
    se puder me euxiliar, ficarei muito grata.

    obrigada

  15. Luciene Miranda disse:

    Letícia, procure orientação com um advogado, no Conselho Municipal do Idoso ou nos Centros de Assistência Social relativos ao Idoso de sua região.

  16. leticia aparecida da silva disse:

    olá meu nome é leticia e tenho algumas duvidas sobre o estatuto do idoso apos o falecimento do meu avÔ tres anos a minha avo ficou morando com dois neto que agora são de maior e dois filhos com mais de trinta anos todos desempregados. A casa é herança do meu avô mais apartir da morte do meu avo acho que as pessoas que estão la estão agindo de mal fé eles deixam corta a água(chega a ser de 150 a 500 reais como pode?!) e luz tambem e isso acho uma falta de consideração nao sei como recorrer com essa situação que minha avo vive ela ja deve ter uns 72 anos acho que ela está sem saida e tambem não sabe o que fazer.Onde devo procurar e como devo agir estou preocupada me ajude preciso de orientação..obrigado pelo espaço…

  17. Luciene Miranda disse:

    Munique, não sei te informar o telefone na sua cidade, mas para fazer uma denúncia de maus tratos contra idosos basta procurar a polícia, o conselho municipal do idoso ou a promotoria do idoso.

  18. Munique disse:

    boa noite ,moro em bangu ao lado da minha casa mora uma senhora de idade so q ela não tem condiçoes de ficar sozinha pois ela mora com um homem q trabalha e a deixa sozinha em casa ela deixa o gas aberto por varios minutos isso quase sempre acontece quero denunciar oq posso fazer moro no rio de janeiro bangu queria um telefone para denunciar obrigada

  19. Luciene Miranda disse:

    Walquíria, com sua mãe muito dependente em casa, fica realmente muito difícil para vc e seu pai cuidarem sozinhos, visto que ele tb é idoso e também precisa de uma supervisão.
    Vc realmente precisa de pessoas para ajudar. Vc relata que não pode pagar cuidador e que estes parentes não oferecem ajuda. Já pensou em reuni-los, relatar as dificuldades que estão passando? As vzs eles colaborariam financeiramente e vcs poderiam pagar um cuidador, pelo menos em meio expediente.
    Com uma pessoa de confiança em casa (por exemplo, neste meio-expediente) vc poderia tentar arrumar um emprego (neste meio expediente, o que é possível para um professor de educação física), o que também se faz mto importante devido à situação em que vc encontra.

  20. walquiria disse:

    Tenho meus pais, mãe 76 anos e pai 84 anos.
    Quando minha casa em construção, os convidei para morarem comigo. Vieram em 2005, ano em que eu estava me formando em E.Física. A partir de então, ela foi trazendo sua rotina médica (S.Paulo) para sua nova cidade (S.C.), e era absurdamente inviável, pois ela sempre fora ansiosa e vivia para cumprir sua agenda médica, práticamente diária.
    Vindo prá morar conosco, depara-se com uma cidade menor, viabilizando um melhor atendimento, já que eu podia acompanhá-la levando e trazendo das consultas. Porém, com essa nova rotina, não pude ativar meu trabalho, meu casamento que já não estava muito bem, piorou, e para completar, minha mãe voltando de um atendimento de hidroginástica e sendo transportadora pelo Transporte de Ônibus Eficiente, para portadores de deficiencia física, o motorista atravessou uma preferencial e bateu com um carro. Na primeira batida, ela foi lançada em pé, na 2ª jhogada ao chão, caindo sobre o lado onde havia feito revisão de protese de quadril. Consequência, quebrou a prótese e fêmur.
    De lá para cá me divorciei e continuo com meus pais, agora ela totalmente dependente, sendo que meu pai colabora para seus cuidados, eu fico com a casa e serviços de compra, banco.
    Entramos com recurso judicial, ela está sendo assistida diariamente por um Fiosioterapeuta, pois a cirurgia que fizeram após acidente, deu rejeição, ficou 6 meses internada, saiu e ápós 1 ano, deu novo problema, de ordem circulação periférica, resultando em complicacação e aumento do VHS, chegando a 80. Ficou internada mais 15 dias e médicos chegaram à conclusão que ela não deveria mais ser operada por ora, já que sequelas de bactérias levam em média 5 anos em observação.
    Com esse histórico, mudou drasticamente, não só a vida de minha mãe, como também, minha e de meu pai.
    Meu pai, apesar de estar lúcido mpara algumas coisas, em outras toma decisões perigosas, tornando-nos difícil deixá-lo sozinho com ela por período maior em casa. Sua última “ação perigosa” foi de querer consertar o chuveiro, pegando minha tesoura de cozinha para cortar fita isolante, provocando curto.
    Vi a tesoura queimada na gaveta e perguntei o que havia causado o derretimento e equeimado no utensílio. Ele repsnde-mke que não fora nada, que apenas houve um curto-circuito no chuveiro, quando ele cortava a fita, veja só, sem desligar o disjuntor.
    Já pedi-lhe que não cozinhasse, mas quando dá na cabeça…pegou panela pois no fogão, nesse dia eu estava acompanhando minha mãe no hospital, deixou a panela de pressão no fogo e saiu para ir ao hospital!!!
    Quando não, quer subir no telhado para limpar telhas!!!
    Ele está cansado de cuidar dela, então acaba por xingá-la muito e discutirem muito tb.
    Eu estou com 54 anos, preciso voltar a trabalhar, mas como fazer?
    Não tenho renda, meu ex-marido que tem me ajudado, mas não posso ficar nessa dependência, pois a hora que ele cansar ou não se sentir nesse dever, ele irá parar! Pois quando nos divorciamos, era claro para mim, que eu trabalharia…
    Como fazer? o tempo está passando…
    Tenho irmão, que se esconde em seus problemas para não ter de ajudar. É usuário de drogas. Ele mora em S.Paulo, separado de sua família.
    Familiares de S.Paulo, só ligam prá saber, quase nunca, mas ninguem vem ajudar!
    Eu ainda estou pagando minha aposentadoria, que ainda atem mais 10 anos.
    Não tenho como pagar de cuidador. Preciso trabalhar e cuidar de minha vida!!! Como posso fazer?

  21. Luciene Miranda disse:

    Erica, um portador da doença de Alzheimer não pode morar sozinho, pois ele pode estar exposto a uma série de riscos. Vcs precisam convencê-lo a alguma das alternativas que vc mencionou, lógico que fazendo isto de maneira tranquila, mas é necessário tomar uma atitude, pois ele já não tem mais condições de responder por seus atos e, caso aconteça algo com ele, a família pode ser acusada de negligência.

  22. érica disse:

    Olá. Meu avô tem 85 anos, diagnosticado com portador do Alzaimer.
    A maior dificuldade da familia tem sido convence-lo que não existe mais a possibilidade dele ter uma vida independente.
    Ele não aceita sair de sua casa e morar com os filhos e nem um cuidador dentro de sua casa para cuidar dele.
    A familia está alvoroçada, não sabe como agir, pois, para respeitar sua vontade, sabem que estão negligenciando seus cuidados.
    O que fazer em um caso desses??

  23. Luciene Miranda disse:

    Márcia,
    Primeiramente, uma pessoa portadora da Doença de Alzheimer não pode ficar sozinha em casa. Ela corre risco de sofrer algum acidente ou mesmo de sair de casa e se perder. Você fala que trabalha e estuda, alguém fica com ela durante este período?
    A paciência de todos tem limite, porém o cuidador do portador de Alzheimer deve entender que as atitudes da pessoa são decorrentes de uma doença, ela não sabe que agride, que briga. E não adianta o cuidador brigar, gritar, pois depois de um tempo a pessoa não irá se lembrar de nada. Caso a vizinhança escute, como você disse, até um certo ponto discussões são normais, mas caso alguém te denuncie, vc tem um lado do médico que a acompanha, o que garante que ela é portadora de uma doença, cuja característica marcante é uma alteração brusca de comportamento. Se você não comete nenhum tipo de agressão contra ela, não vejo porque ficar preocupada.
    Seus irmãos precisam te ajudar! Cuidar sozinha é muito mais difícil. Mesmo que te ajudem financeiramente, pois aí vocês poderiam pensar em um cuidador (aos poucos é provável que sua mãe acabe aceitando a idéia).
    Quanto à instituição, dependendo do lugar pode ser uma alternativa viável, desde que as instalações sejam verificadas, que a família compareça sempre e, principalmente, que a idosa aceite esta mudança de residência.

  24. Márcia disse:

    Minha mãe tem alzheimer e desde que o meu pai morreu ela passou um período com outros filhos mas que não deu muito certo pelas dificuldades de relacionamento que a doença trazia, e ela preferiu ficar na casa dela. Como não havia possibilidade de pagar um cuidador 24 hs e ela só aceitava sair de sua casa para minha, veio morar comigo. Eu pagava aluguel e na época ainda tentava dividir as tarefas com os meus irmãos. Tinha medo de ficar só com a responsabilidade.
    Acabei assumindo os cuidados e indo morar na casa dela, contudo trabalho e estudo. Mesmo assim sou eu que falto ao trablho para levar ao médico, deixo de dormir quando ela não está bem, faço compras, pago contas, separo remédios, enfim… cuido.
    Os sintomas do alzheimer as vezes pioram, de uma hora para outra não consegue dormir fala alto de madrugada, pede remedio acima da dose prescrita e quando me nego grita dizendo que estou matando, ou então se me atraso um pouco, mesmo que eu ligue e ela não esteja sozinha, ela chora e diz que eu a estou matando. A neurologista passou há pouco tempo uma dose pequena de um remédio para esquizofrenia.
    Algumas vezes me estressei, briguei por ela ficar o tempo todo implicando com alguma coisa. Já perdi a paciência, falei alto, enfim… Mas nunca vi isso como mal trato, até porque como ela sempre foi controladora , e sempre teve o hábito de fazer chantagens emocionais e implicar continuamente com um assunto, brigas eram comuns em casa quando os meus pais e irmaõs ainda moravam conosco. Sempre achei que fazia parte das relações, e que só acontece com quem convive.
    Então sou a única que tenho o trabalho e a responsabilidade pessoal de cuidar. Administro as contas de casa, de forma que não lhe falta nada, (comida,remédios, cuidados estéticos,higiene,o conforto que a casa permite), mas não controlo as contas separando o que é dela ou meu, e guardando NF’s para comprovar, Até porque para muitos gastos nem daria.
    Já me sentia prejudicada, e quando li este artigo percebi que posso ser mais ainda:
    Posso ser acusada de maus tratos se ela tiver uma crise e começar a gritar do nada. Até provar para a vizinhaça que ela tem alzheimer, já posso ter ido parar na delegacia.
    Posso ser acusada de maus tratos se perder a paciência e falar alto ou esbravejar, quando os outros filhos que vivem sua vida sem restrição ou preocupação não correm este risco.
    Posso ser acusada de gastar o dinheiro dela.

    Então fica melhor quem não faz nada?
    Ou para evitar os riscos acima, é melhor colocá-la em um asilo de boas condições e visitá-la periodicamente, já que ela se recusa a ter acompanahntes?

    Não gosto desta idéia, não tenho coragem, e acho que isso causaria uma grande depressão, mas cuidador 24 hs e mais todos os outros gastos está acima do que podemos pagar.

    Eu trabalho, cuido de casa, durmo pouco, e estou sujeita a erros, a ter minha saude também debilitada, além de correr o risco de ser acusada de não ter feito o suficiente, pela lei e por aqueles que não fazem nada, ou que doam do que não lhe faz falta.

    Por favor me oriente.
    Obrigada

  25. Claudia Pereira Mohamad disse:

    Minha sedeu dois comodos de sua casa para meu irmão morar com a esposa ond ele fez um banheiro e uma entrada! Eles tiveram um filho hoje com 13 anos e se separaram! Ela continua morando lá
    onde engravidou de um outro homem e de a luz a um outro menino hoje com 05 anos! Ela está tornando a vida da minha famíla um unferno pois implica com todos! Hoje ela colocou um outro homem pra morar lá na casa da minha mãe! Ela xinga a minha mae de velha
    e que ela tem morrer! Coomo devo proceder para tirar ela de lá?

  26. Luciene Miranda disse:

    Marcia, oriente-se com o advogado especiallista em direito do idoso ou um defensor público.

  27. Marcia A Gomes disse:

    Minha mãe tem 84 anos e mora numa casa que é sua, minha irmã pediu para ficar uns tempos pois vendeu seu imóvel e precisou desocupar acontece que já faz um ano e ela judia muito de minha mãe que esta acuada em um cantinho da casa e não pode nem abrir a boca, junto com irmã tem o marido a filha de de 22 anos e 3 cachorros. Agora minha irmã diz que não vai sair mais da casa dela.
    Como podemos tirar minha irmã da casa de minha mãe ???

  28. Luciene Miranda disse:

    José Manuel, inicialmente o que recomendamos é uma conversa franca com seu irmão e a família. Caso não obtenha sucesso, procure orientações no Conselho Municipal do Idoso. Denúncia de violência contra o idoso pode também ser feita na polícia ou Ministério Público, porém, pelo que vc relata, não sei se seria o caso. Procure se orientar no Conselho primeiramente, vc tem toda razão, sua mãe não pode sair prejudicada pela própria família.

  29. Jose Manuel disse:

    Minha mãe está com 81 anos. Ela tem casa propria e renda propria.
    Meu irmão+a mulher+a filha e a sogra foram pedir pra ficar uns tempos na casa dela, pois venderam o apto onde moravam e tiveram que sair de lá. Eu tambem morava com a minha minha mãe até há pouco tempo. Eu até procurei sair pra poder facilitar a ida de meu irmão e familia pra casa da minha mãe. Eu agora estou longe. Só falo com a minha mae por telefone e vou visita-la de vez em quando. O MAIOR problema é que o meu irmão levou um cachorro enorme pra casa da minha mãe, fazendo que que a vida dela virasse um inferno. O cachorro late o dia e a noite toda. A casa tem que ficar fechada pra ele não ir pra rua. É uma vila de 4 casas. Os vizinhos teem que ficar tb de portas fechadas. A nora não suporta a minha mãe. A Sogra tem Alzheimer e fuma o tempo todo. O meu irmão bebe e fuma dentro do quarto que era da minha mãe. A neta fica a noite toda no PC e dorme até as 15h.
    Ela está totalmente sem LIBERDADE. Nem o quarto dela tem mais. Está sofrendo mas tem medo de reclamar.
    Ela me liga dizendo que está morrendo aos poucos com essa situação.
    Ja pedi pra minha sobrinha (por email e pessoalmente) pra falar com o Pai, pra pelo menos dar o cachorro, mas ele ainda fica “Bravo”. Se achando cheio de razão. Eu quero evitar um conflito maior com meu irmão.

    Se poder me orientar sobre em que ORGÃO posso recorrer, agradeceria. Estou pensando seriamente em fazer uma queixa numa instituição policial/judicial…

    Sds

    JMLopes

  30. Elisabete LASKO disse:

    Minha mae tem 70 anos, e é viuva,e ganha um salrio minimo da pensao por morte de meu pai.
    Somos em 7 irmaos e meu irmao mais velho esta com depressao profunda…se encontra preso.
    E devido o alto grau de depressao dele, o medico orientou que a familia nao o abandonasse sem visitas,sedno assim eu, e meu irmao que estamos levando minha mae todos os domingos para ela visita-lo.Meu irmao fornece medicamentos para minha mae e eu pago um emprestimo dela que ela fez para pagar adv para defender meu irmao.
    Acontece que os outros 4 irmaos nossos ganham bem e nao ajudam a ela,com nenhum dinheiro, e todas as vezes que eu ou meu irmao nao podemos ir visitar meu irmao,e a minha mae liga para meus outros irmaos, eles falam que nao podem leva-la ate o presidio, e se pudessem tb nao levariam.
    Minha mae cai em depressao pois fica preocupada com meu irmao doente e sem visitas.
    Uma de minhas irmas,mora no quintal de minha mae em uma casa que minha mae poderia alugar,mas deixou ela morar la e esta minha irma,alem de nao pagar nada de aluguel tb nao ajuda ela nem finaceiramente e nem psicologicamente e moralmente.
    Existe alguma brecha na lei do idoso para que eu force meus irmaos atraves da lei a ajuda-la a pagar o adv para meu irmao, ou entao ajudar a ela com 50 reais cada um, ou entao que eles revesem para leva-la no presidio nos dias de vistas?
    Ela esta ficando ate com a mente fraca de tanto desgosto,pois ela liga para os filhos pedidno ajuda de dinheiro ou entao para levar ela para visitar o filho e eles nao a levam e alguns ate sao rudes.
    O que faço????

  31. Luciene Miranda disse:

    Paula, você está correta, a bisa está sofrendo violência, procure o Conselho Municipal do Idoso de sua cidade, eles te orientarão sobre o que pode ser feito no sentido de melhorar a qualidade de vida desta senhora.

  32. Paula disse:

    A bisa do meu esposo tem 85 anos ela passa o dia todo em casa sozinha em cima de uma cama sem se alimentar direito ou maioria das vz sem se alimentar, sem poder se locomover quando consegui ir ao banheiro com muita dificuldade vai se arrastando, a filha mais nova mora nos fundo porém trabalha o dia todo num posto de saúde e o filho que mora com a bisa tmb trabalha fora e quando volta do trabalho volta bebado.a maioria dos filhos tem uma condição boa de vida.dei a ideia de pagar uma pessoa para cuidar dela, até consegui a pessoa porém ninguem quer cosar o bolso a bisa fica uma semana sem tomar banho.estou revoltada. tentei pedir o telefone do filho mais velho que mora em São Paulo, mas não quizeram me dar o telefone. Então estou pensando em procurar uma asistente social.Não posso deixar ela morrendo a mingua. o que seria mais certo?

  33. Cara Dry-Lu,
    Leia os últimos artigos do portal e você terá uma boa idéia de como proceder com seu irmão.
    Abraços.

  34. Dry-Lú disse:

    Minha sogra mora tem 72 anos,á 2 anos e meio ela caiu e teve um avc,agora a minha cunhada quer que ela raciocine como antes,ela ñ tem mais vontade de levantar da cama,de comer,pra resumir de fazer nada,a filha xinga palavrões horríveis,já peguei ela beliscando a mãe,ela ñ quer nem que os meus filhos vão lá visitar a avó,fui falar com ela e ela quis me agredir com uma faca,ela quer que a mãe vá tomar banho sozinha,tome todos os remédios sem que ela ajude,olha é uma coisa terrivél.Mais a própria mãe ñ gosta que falemos com a filha,ñ sei se é por medo do que pode acontecer com ela depois!Tenho medo de denunciar por morar em comunidade e aja intervenção da polícia.Tenho medo de contar tudo para o meu marido e ele tomar alguma atitude violênta contra a irmã.Eu faço o que está ao meu alcançe,trago a minha sogra para a minha casa quando dá,pq trabalho e ainda tenho 4 filhos para cuidar.Gostaria muito que alguém me ajudasse.Por favor quem poder me de uma luz!!!!

  35. André, apenas saber a idade da idosa não é um critério para decidir se ela pode ou não permanecer sozinha em casa. Vcs devem pensar em alguns fatores: ela está lúcida? Tem dificuldades de locomoção? Possui algum tipo de doença grave que possa coocá-la em risco de morte? Pense sobre estes fatores, na dúvida não hesite em perguntar ao médico que já a acompanha.

  36. Minha vó tem 87 anos, a 10 anos ela morava com a minha tia, assim que minha tia sofreu um acidente e precisou passar por um cirurgia minha vó veio pra nossa casa, assim que ela decidiu ficar de vez com a gente, tomamos algumas decisoes e preciso saber se minha vó pode ficar no intervalo de 4 hrs sozinha em casa ???

    Obrigado
    Att

  37. gislene disse:

    se precisarem de ajuda ou enviar curriculum lar são vicente (35)3535-1297

  38. Maria, a situação que vc ilustra é mto grave! Antes de tomar qualquer atitude, procure a orientação de um advogado ou defensor público e relate a ele, com detalhes, tudo o que está contecndo. Assim vcs terão meios legais de garantir uma melhor qualidade de vida aos seus pais, resguardando sua segurança.

  39. Maria Valdecir disse:

    Meu caso é bem complicado, mas vamos lá.
    Morei por 10 anos junto de meus pais e depois que me casei moramos perto por mais 10 anos. Há quatro anos minha mãe adoeceu (2 AVCS)e passou a ser parcialmente dependente nas atividades diárias. De lá para cá, cuidei dela e do seu salário. Eu trabalhava e pagava com o salário dela uma pessoa que cuidava dela e da sua casa, além de todas as despesas da residência.
    Em março de 2009 precisei levar minha mãe para minha casa, pois meu pai não aceitava mais a pessoa que cuidava dela. Minha mãe morou na minha casa por 5 meses e depois de uma terrível discussão com meu marido, resolveu voltar para a casa do meu pai.
    Apesar de ter dias em que está lúcida, há dias em que não está, porém no dia da discussão ela se encontrava em perfeita consiência.
    Ela morava com meu pai e um irmão meu que havia separado da mulher, quando em março de 2010, por questões de saúde e financeiras precisei mudar de cidade. Deixei minha mãe aos cuidados de meu pai, pois eles não quizeram me acompnhar, e meu irmão. De repente meu irmão voltou com a ex mulher e foi embora, deixando meus pais sozinhos.
    Depois de alguns dias minha mãe ficou doente e a mulher do meu irmão levou minha mãe para a casa dos pais dela.
    Quando eu ligava para meu irmão para saber da minha mãe ele dizia que estava tudo bem e não me informou que tinha voltado com a ex mulher, só fiquei sabendo dias depois que tinham levado minha mãe da casa dela.
    Fui visitar minha mãe e tive uma terrível surpresa, ela estava muito mais magra, envelhecida, morando numa casa que não oferece conforto algum e o pior, minha cunhada retirou parte da medicação de pressão da minha mãe sem levá-la ao médico. Minha mãe estava aparentemente descontente e desanimada, não sorria e ainda me disseram que minha mãe não dorme mais de dia, além de passar horas a fio debaixo do sol quente, pois a casa não possui nenhuma sombra. Tentei de várias maneiras trazer meus pais para perto de mim, mas meu pai insiste em não vir. Quando sugeri trazer meus pais, meu irmão me agrediu dizendo que eu havia abandonado os meus pais e que agora estava tentando buscá-los para comer com a aposentadoria deles. Em conversa com meu pai, ele me disse que levaram minha mãe embora sem falar com ele, que nada foi conversado e contou a respeito da medicação da pressão, também constatei que minha mãe havia caído, não levaram ao médico nem fizeram curativo. Sugeri que meu pai procurasse um lar para interner minha mãe e ele concordou, acontece que meu irmão está fazendo ameaças dizendo para meu pai que vai me matar e que ninguém tira minha mãe de lá, nem mesmo a justiça.
    Quero trazer pelo menos minha mãe, novamente, para minha casa, mas não tenho como tirá-la de lá, sinto que meu pai está intimidado com as ameaças do meu irmão. Tenho medo de denunciá-lo e ele se vingar de mim como está prometendo, além do medo de que ocorra algum imprevisto, tipo briga ou outro, que acabe agravando a doença de minha mãe ou prejudicando meu pai já que ele não virá.
    Expliquei ao presidente da instituição que meu pai procurou o que está acontecendo e pedi que ele ajude meu pai, também esclareci que se eles tirarem minha mãe de onde ela está eu a buscarei no mesmo dia, pois a instituição não tem vagas disponíveis no momento. Não sei o que fazer, pois tenho medo das ameaças do meu irmão.Preciso de orientação.

  40. Renata, você tomou uma atitude consciente, não podia permitir que sua avó continuasse a ser vítima de maus tratos. Neste caso procure um advogado ou defensor público, ele irá te orientar sobre seus direitos. Mas pense bem, se ela voltar para a casa dela, sozinha, ela não irá ficar novamente à mercê deste seu primo?

  41. Renata Romero disse:

    Minha avó tem 74 anos, é lucida, e estamos com sério problema.
    Meu primo que mora com ela desde que nasceu é usuário de drogas e estava pelo oq eu li aqui praticando maus tratos psicológicos e financeiros.
    Como trabalho e não tenho tempo de cuidar dela, a levei pra casa da irmã, mais ela sente muita falta da sua casinha.
    Gostari de saber oq faço para ´tirar meu primo da casa que é dela, e mante-la no seu cantinho que ela tanto quer.

  42. Cara Rosângela,
    Pergunta difícil de uma situação mais difícil ainda. O que plantamos nesta vida, colhemos também na velhice! Somente um bom advogado, embasado no novo código civil brasileiro e no Estatuto do Idoso, poderá responder e ajudar vocês! Conheço inúmeros casos parecidos com o seu, onde, infelizmente, quem acaba assumindo o ônus do cuidado, mesmo que o idoso não queira e menospreze, são os filhos biológicos rejeitados e a ex-esposa. Incrível, não? Um artigo muito interessante foi escrito pela psicóloga Luciene C Miranda, com o sugestivo título: “A dor de cuidar de alguém que já lhe causou dor” – http://www.cuidardeidosos.com.br/a-dor-de-cuidar-de-alguem-que-ja-lhe-causou-dor/. Leia!

  43. rosangela Morais disse:

    Meu, pai tem 65 anos, teve 3 casamentos, sou filha do primeiro, mas tive pouco contato com ele,não verdade nenhuma relação afetiva, dos filhos biologicos ele sempre desprezou a todos…,os filhos das ex-esposas dele, ele criou a todos. Conclusão hoje, ele é cadeirantes, aqueles que ele criou ninguem quer saber dele.Ele mora em Mato Grosso, esta a 05 meses em SP para tratamento, quando iamos levar ele para casa da ex-esposa, ou seja onde ele “mora”, ela diz, que não cuida dele nem por cinco minutos mais, pois ela não tem mais obrigação pois ela não tem mais obrigação. Como ele esta inválido, ninguém quer saber mais dele.Ele diz, que odeia SP, que quer ir para Mato Grosso, nem se for pra morrer lá. Ajudo a minha mãe que precisa de mim, não tenho condições de ajudá-lo. Acho injusto o que estão fazendo com ele, filhos que não são legitimos dele, ele ajudou tanto, uns já foram até embora do Brasil, pois diz que nem quer saber dele. Não sei o que fazer, enquanto ele tinha condições financeiras sugaram todo ele, hoje jogam foram como se fosse um papel. Gostaria de saber, se tem como entrar na justiça, contra seus “filhos”, para que possam ajudá-lo financeiramente.

  44. Ana Penas disse:

    Meu pai tem 61 anos é hemiplegico apos avc e colostomizado. Nunca foi uma boa pessoa. Não tem amigos. Tenho mais 2 irmãos. O do primeiro casamento foi abandonado desde 12 anos, mesmo meu pai tendo condições. Eu e meu irmaõ caçula vivemos com ele até a adolescencia. Passamos terror com ele e ficamos 10 anos sem ve lo ele quando tinha condições nem pagava nosso colégio, mas tinha amantes e gostava muito com os outros para esnobar, enquanto passávamos privações e humimaus tratos.
    meus pais se separaram há quase 15 anos. Minha mãe hoje como sequela tem lupus.
    Ele tem uma renda mensal de R$ 2.000,00 que provavelmente vem de alguma chantagem com o trabalho que ele tinha até ter o avc.
    Tem 1 ano que ele está comigo. Não aguento mais. Minha mãe cuida dele, mudou a vida dela e ele a agride, é indiferente como minhas filhas e agora está internado em função de uma infecção urinária e anemia devido a greve de fome que fez pq não deixamos ele beber nem ir para barzinho encontrar prostitutas, mesmo estando babando em uma cadeira de rodas. Ele simplesmente bloqueou seu cartão do banco e destrata tanto moinha mãe que meu marido não quer mais v lo
    Com essa lei de abandono de incapaz como ficar longe dessa pessoa que até dizer que tem pacto com o diabo diz só para magoar minha mãe que é evangélica? Ele também faz ameaças de fazer meu irmão mais nocvo perder o emprego, sendo que até óleo fervendo ameaçou jogar nele.
    O que fazer? Apesar de tudo, tenho muita pena dele. Ainda não foi diagnosticado demencia, ele está são.
    Ana

  45. Giovani, qualquer denúncia de maus tratos contra o idoso podem ser registradas na polícia militar, através de um boletim de ocorrência, no ministério público e no Conselho Municipal do Idoso de sua cidade.

  46. giovani disse:

    como faço para fazer uma denuncia de exploração de idoso (roubando a sposentadoria e fazendo crediario em seu nome) na propria familia?

  47. Julia disse:

    oi como vc um idoso está? gostaria de conhecer vc o meu nome é Julia e o seu? e tenho 22 anos quantos vc tem podebar dizer a verdade eu não irei zumbar de vc pode falar sabe pq eu estou falando pra vc falar a verdade pq tem gente que fala mentira pq tem vergonha que muito velho mais mesmo sendo velho ou novo eu não ligo pq tem que respeitar todos eu não ligo e vc?eu quase não tenho amigos ai eu estou conversando com vc para ter um amigo na internet então queria ter um amigo como vc eu tenho 2 irmãos uma menina e um menino o nome deles são Maria Clara e Felipe o nome do meu pai é Delnir e o nome da minha mãe é Evanise adoro amigos e vc? bjssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss Julia

  48. LO OURDES disse:

    BOA NOITE! gostaria de saber como ter o estatuto do idoso tenho 65 anos e problema com meu filho de 24. abuso psicologico,financeiro echantagem emocional gostaria de lhe mostrar o estatuto. que fazer? sos mâe obrgda e boa noite!

  49. LO OURDES disse:

    BOA NOITE! gostaria de saber como ter o estatuto do idoso tenho 65 anos e problema com meu filho de 24. abuso psicologico,financeiro echantagem emocional gostaria de lhe mostrar o estatuto. que fazer? sos mâe obrgda e boa noite!

  50. lucia Aparecida disse:

    Ola,muito lindo o trabalho de vcs e esse site.Gostaria de ter a oportunidade de trabalhar com vcs,pois tenho experiência no ramo.
    Sou enfermeira (tecnica) tenho um bom curriculum.

    Grata,
    Lucia Aparecida Pereira.

    tel para contato:
    027-3338 3884
    027-8865 2009

  51. maria lucia da silva disse:

    muito bom

  52. maria lucia da silva disse:

    gostaria de ter uma oportunidade de voltar ao mercado de trabalho,sou cuidadora de

    idosos

    meus contatos

    011-2705-8870- residencia

    011-8844-0778-celular

Quer adicionar uma foto no seu comentário?

Entre no site gravatar.com, crie uma conta e faça o upload da sua foto.

Comente

Enquete

Você já baixou o aplicativo do livro SETE HISTÓRIAS DE ALZHEIMER? É GRÁTIS SOMENTE ESTA SEMANA!

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Mapa
© 2010 Cuidar de Idosos. Todos os direitos reservados. Reprodução sem permissão não é permitido.

© 2012 CUIDAR DE IDOSOS

Recomendamos também a leitura de: