Cadastre-se no site

Primeira página

Seções

Profissões

Doenças

Condições

Cursos

Dicas

Vídeos

Redes Sociais

Cuidar de Idosos

Publicado em: 16/03/2008

A- A+

Incontinência urinária e fecal

  •  Favoritos
  •  Assinar feed
  •  Receba por e-mail
  •  Link para este post
  •  Notificar erro
  • Enviar para amigo

  •  

A fala, o andar, o equilíbrio, junto com o razoável controle da bexiga e do intestino são sinais de evolução de uma criança que está saindo da primeira infância. Aprendemos que o ato de urinar e de evacuar são necessidades importantes, porém apresentam conotações de sujeira e de mal-estar, se há falta de controle.
Numa idade mais avançada, principalmente após os 80-90 anos, muitos idosos podem apresentar problemas relacionados ao ato de urinar. Pode ser somente um pouco de urina que escapole ao tossir, mas também pode acontecer sem que o idoso perceba, trazendo desconforto, isolamento e problemas mais sérios de saúde. Também para a família e para o cuidador é motivo de estresse e desconforto, pois piora ainda mais um trabalho já cansativo.
Quando o cuidador/familiar estiver diante de uma situação como esta, deve sempre perguntar ao médico qual é a causa. O médico, por sua vez, deverá fazer um questionário detalhado do problema, onde incluiria:

• É diária ou esporádica?
• Só ocorre quando tosse, sorri ou aperta a barriga?
• idoso sente vontade, mas não consegue chegar à tempo, no banheiro?
• Tem dificuldade de tirar a roupa para urinar?
• Na incontinência, a urina sai para valer ou fica pingando na roupa?
• O idoso se perde e não acha o banheiro?
• Ocorre só de dia ou só de noite?
• Toma algum medicamento que pode causar incontinência? (diurético, antidepressivo, antialérgico,etc.)
• Relata dor ao urinar, urina várias vezes ao dia ou a urina tem cheiro forte?

Para responder estas perguntas com a maior fidelidade, o cuidador/familiar deverá fazer um relatório, um diário sobre a incontinência, ou seja, registrar todas as vezes que o idoso urinar, no vaso ou como incontinência, durante alguns dias, para poder entender um possível padrão, qualificando e quantificando melhor esta intercorrência. Assim, seu médico terá mais subsídios para um correto diagnóstico e condições de intervir de maneira mais eficaz.
Existem várias causas para a incontinência urinária:

• Infecção urinária, conhecida também como cistite.
• Nos homens, problemas com a próstata.
• Nas mulheres, problemas com a bexiga e o períneo (bexiga arriada ).
• Uso de remédios, tais como os diuréticos, sedativos, antidepressivos, antialérgicos, alguns remédios para a hipertensão arterial, entre outros.
• Diabetes descompensado.
• Uso excessivo de café.
• A própria demência pode ser a causa da incontinência.

Para a medicina, existem três tipos de incontinência urinária:

1. Incontinência de estresse: A musculatura que envolve a uretra e a bexiga é responsável por evitar que a urina escape da bexiga. Quando esta musculatura se torna flácida, mesmo com um mínimo de esforço, pode causar um pequeno vazamento. Exemplo: atividades como tossir, espirrar, gargalhar, pegar objetos pesados, podem forçar esta musculatura e extravase a urina. É comum este tipo de incontinência nas mulheres durante ou após o parto, ou na menopausa.
2. Incontinência de urgência: caracteriza-se por uma necessidade premente e repentina de ir ao banheiro, mesmo quando a bexiga ainda não está cheia.
3. Incontinência por transbordamento: aqui existe a incapacidade de contrair adequadamente a bexiga. As causas podem ser o câncer, o diabetes, os problemas com a coluna vertebral (medula espinhal) e os problemas de aumento de volume da próstata.

DICAS PARA O CUIDADOR

• Em primeiríssimo lugar, nunca deve-se causar constrangimento ou ficar com raiva do idoso, pois além de não ser culpa dele, pode deixá-lo também muito triste, pouco cooperativo e até muito mais agitado.
• Faça o diário da incontinência, anote os horários que o idoso urina normalmente ou que ocorre a incontinência. Veja qual é o padrão de diurese do idoso.
• Se o idoso se perde, não sabendo onde fica o banheiro e não chega a tempo, acontecendo assim a incontinência, uma das dicas é sinalizar bem a porta do banheiro, com palavras grandes e chamativas (rosa-choque, verde e azul exuberantes, vermelho..) ou colocar a própria figura de um vaso sanitário. À noite, deixe a luz do banheiro acesa. Deixe o quarto do idoso mais perto do banheiro. Em alguns casos, o ideal seria deixar o periquito/comadre junto à cama. Finalmente, facilitar o uso do vaso, com assentos altos e adaptados e barras laterais.
• É uma MÁ IDÉIA restringir a ingestão de líquidos, e assim o idoso urinar menos. Esta atitude do cuidador/familiar pode causar desidratação no idoso e piorar ainda mais seu quadro clínico. Uma boa hidratação com água, sucos, leite é vital para a saúde do idoso com demência!
• Durante a parte do dia, procure levar o idoso, em intervalos regulares, ao banheiro. O diário pode ser útil para identificar os melhores horários.
• Procure vestir o idoso com roupas fáceis de retirar ou abrir. Velcro é uma ótima opção, no lugar do zíper ou dos botões.
• Uso de fralda descartável geriátrica pode ser útil à noite, apesar do constrangimento e da vergonha que o idoso possa sentir. Quando bem explicado e feito de maneira carinhosa pelo cuidador/familiar, sempre há boa aceitação. Observar se a fralda não amanhece muito cheia ou vazando, pois talvez será necessário uma troca no meio da madrugada.
• Se o idoso não consegue ir até ao banheiro, para urinar ou evacuar, por problemas diversos e a incontinência é mais severa, o uso de fralda geriátrica é imperativo, durante todo o dia (dia e noite). Deve-se atentar, então, para alguns cuidados como a troca de fraldas, em intervalos regulares. Nunca deixar fraldas molhadas no corpo por muito tempo, evitando assaduras e feridas na pele. Uma boa higiene, em cada troca, é muito importante, com o uso de água e sabonete para retirar resíduos de fezes e de urina. Nas mulheres, a má higiene pode, inclusive, ser causa de infecção urinária. Ao fazer a limpeza, sempre limpar a região anal de frente para trás, isto é, da vagina para o ânus, evitando levar fezes para o canal da uretra, contaminando a urina.
• Lembrar que a agitação pode ser um sinal de que o idoso quer urinar ou evacuar. Se já usa a fralda, pode ser sinal de trocá-la.

A INCONTINÊNCIA FECAL é rara e só acontece em fases mais avançadas, de demência ou em idosos acamados por outros motivos. Lembrar que é comum, mesmo no idoso sadio, o ritmo intestinal não ser diário, podendo acontecer de 2 em 2 dias ou até de 5 em 5 dias. Desta maneira, o idoso não se sente mal e não ocorre a prisão de ventre. Os problemas iniciam quando o idoso e o cuidador pensam que o correto é evacuar diariamente, fazendo, com isso, uso de laxantes, lavagens intestinais e supositórios de glicerina. Esta atitude só tende a piorar a situação. Para evitar a constipação intestinal, o ideal seria dar uma dieta rica em fibras ( cereais, farelos de trigo, legumes, frutas e bastante líquido). A imobilização também pode ser uma das causas da prisão de ventre. Evite a imobilidade e sempre faça caminhadas diárias com o idoso. Se o idoso não puder andar, exercícios fisioterápicos são de grande valia. Outra dica é a rotina de levá-lo ao banheiro, sempre no mesmo horário, para evacuar. O cuidador deve observar também alterações no ritmo intestinal, se era mais constipado e ficou mais diário e pastoso, ou vice-versa, pois poderá significar alguma doença em curso, ou problemas com a dieta do idoso. Não deixe de relatar estas alterações para o seu médico.

Márcio Borges

Geriatra - marcioborges@cuidardeidosos.com.br

Mais Antigo

Avalie este artigo

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas 11 Voto(s)
Loading ... Loading ...

15 comentários em “Incontinência urinária e fecal”

  1. aline disse:

    minha sogra tem incontinencia urinaria e fecal e tb tem diabetes qual medico devo levar ela

  2. IVANIR disse:

    Meu pai tem 77 anos urina e defeca na roupa todos os dias varias vezes, não admite usar fralda, e rebelde teimoso e muito bravo, atualmente mora com minha irma que não esta mais aguentado cuidar dele, ele nã pode mais dirigir pois tem masi de 50 multas e ja perdeu a carteira de motorista, mas sai todos os dias colocando em risco a vida dele e de outras pessoas, faz negocios de carros velhos, jogo no bicho na loteria, e não aceita opinião de ninguem, os medicos dizem que é por causa da diabéte, mas ele não faz dieta, se alguem pode me orientar agradeço

  3. CLICIA disse:

    Olá, adorei as dicas fornecidas sobre o assunto, de fácil entendimento!!!!Mas, gostaria que me ajudassem pois tenho mais dúvidas…Minha mãe é diabética há mais ou menos 20 anos, controla a glicose com dietas e medicações (quase sempre a taxa está controlada), também toma remédio para ansiedade generalizada. Há uns dois anos ela começou a se queixar que não conseguia chegar ao banheiro, pois já se urinava e até hoje ela toma medicação para bexiga hiperativa, o problema é amenizado, mais vez por outra está pior e há uns dois meses ela se queixa da incontinencia fecal, pois quando vai ao banheiro ja está suja a calcinha… Esses problemas são consequencias da diabetes? das medicações? Que especialista devo procurar? Muito obrigada pelas informações e aguardo mais orientação pelo e-mail.

  4. Vani disse:

    Minha mãe tem 89 anos, em plena atividade, faz tudo sozinha, porém algumas vezes não consegue segurar as fezes, que são mais liquidas do que pastosa, acredito eu, pois não me deixa verificar como são, não aceita usar fraldas pra sair, e as vezes, faz na rua. O que posso fazer, quando ela diz que não tem nada? Gostaria de um aconselhamento. Grata.

  5. Julio Martins Damasceno disse:

    Minha mãe de 74anos é diabetica e toma diversos medicamentos além da insulina, incluindo o controle de pressão. Ultimamente não esta conseguindo segurar a evacuação. O medico indica como causa a diabetes. As vezes chego a duvidar. Qual opinião de voces. Existe algum medicamento que poderia ajudar ou minimizar o problema.

  6. Alcimara de F.M.Demarchi disse:

    voces, poderia me informar quento tempo o idoso pode ficar de fralda a noite molhada? pode ser das 10.00hrs da noite ate outro dia de manhã as 08.00hrs

  7. valeria disse:

    Muito esclarecedoras as matérias sobre cuidados com os idosos.
    Minha mãe tem 81 anos com diagóstico de Alzheimer. É uma pessoa difícil de se lidar, pois é extremamente rebelde, negativa e depressiva. Não aceita os cuidados que devem ser realizados rotineiramente o que torna a convivência muito cansativa e desgastante tanto para a família quanto para o cuidador que sempre é rejeitado.
    Gostaria de sugestões respeito de com proceder diante dessa situação?

  8. florinda disse:

    minha mãe tem 68 anos, foi alcolatra muito temo, de uns tempos para ca tem defecado na roupa todos os dias, tem medo de ir ao banheiro, se coloco fraldas, tira-as na primeira oportunidade, não consegue se limpar corretamente, sempre trazendo as fezes para a vagina, gostei muito do artigo, mas gostaria que me enviasse que tipo de alimentação seria a mais correta. muito obrigada.

  9. míriam disse:

    gostei mto do artigo, mais gostaria de ter uma orientação do que fazer, qdo minha mãe de 73 anos gosta de arrancar as fraldas

  10. Roseli Barbosade Pádua disse:

    Em palavras simples e de fácil compreenção.foi muito importante para
    mim gostaria que mandace asuntos como esses parameue-mail

  11. IVONITA disse:

    NOSSAS ORIENTADORAS NO SETOR “SAUDE” APROVARAM A IDEIA DE LEVARMOS ALGUMAS MANEIRAS PRATICAS NO AUXILIO DE CUIDADORES. QUALQUER AJUDA QUE RECEBERMOS SERA’ SEMPRE MUITO BEM RECEBIDA.
    IVONITA DI CONCILIO
    CURSO DE MONITORES EM GERONTOLOGIA (3a. FASE)
    NETI-UFSC
    NUCLEO DE ESTUDOS DA TERCEIRA IDADE
    UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

  12. Elenice disse:

    Gostei da matéria, linguagem facil, procedimentos que eu não sabia como lidar com minha mãe.

  13. IVONITA disse:

    Estou fazendo curso de “monitor de gerontologia”, na UFSC e pretendo levar aos colegas este artigo, pois sei que sera de grande utilidade.
    Entrei na pesquisa porque uma amiga esta com este problema(incontinência urinaria) e eu gostaria de poder ajuda-la de alguma maneira. Dou NOTA DEZ para
    este trabalho.

  14. Bernadete disse:

    Nota-se que ninguem sabe o que fazer em situação tão terrivel,parece um verdadeiro pesadelo,nem médicos nem ninguem sabem o que fazer ,pois o que fazer com o idoso demente que arranca a frauda sistematicamente?

  15. Maria do Socorro Soares disse:

    Boa pesqquisa . A linguagem simples facilitou o entendimento.

Quer adicionar uma foto no seu comentário?

Entre no site gravatar.com, crie uma conta e faça o upload da sua foto.

Comente

  • Nenhuma citação para este post.

Enquete

Você já baixou o aplicativo do livro SETE HISTÓRIAS DE ALZHEIMER? É GRÁTIS SOMENTE ESTA SEMANA!

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Mapa
© 2010 Cuidar de Idosos. Todos os direitos reservados. Reprodução sem permissão não é permitido.

© 2012 CUIDAR DE IDOSOS

Recomendamos também a leitura de: