Cadastre-se no site

Primeira página

Seções

Profissões

Doenças

Condições

Cursos

Dicas

Vídeos

Redes Sociais

Cuidar de Idosos

Publicado em: 03/08/2008

A- A+

Alzheimer – Entendendo seus sentimentos

  •  Favoritos
  •  Assinar feed
  •  Receba por e-mail
  •  Link para este post
  •  Notificar erro
  • Enviar para amigo

  •  

Sabemos que a doença de Alzheimer (DA) é uma doença degenerativa, progressiva e irreversível, para a qual ainda não existe prevenção e poucas são as alternativas de tratamento farmacológico. Apresenta como sinais iniciais: perda de memória, mudanças de personalidade e de comportamento, que progridem gradual e lentamente, tornando o portador cada vê/ mais dependente. É um cuidar permanente – 24 horas por dia, sem trégua. De diagnóstico difícil, e no momento sem possibilidade nenhuma de prevenção, a DA não tem como ser impedida de acometer determinado indivíduo.

Sabemos também a carga física e emocional que esta situação traz aos familiares/cuidadores. Sabemos que muitas vezes o familiar/cuidador culpa-se por determinadas situações. Este sentimento de culpa pode abranger desde preocupações e emoções até o arrependimento, ansiedade, ressentimento e/ou raiva, o medo de não ser perfeito ou não ter as coisas sob controle.

É muito comum que os familiares/cuidadores que cuidam diretamente do portador de DA sintam culpa por algum motivo e, estranhamente, os que melhor cuidam e mais se preocupam, sentem-se mais culpados. Muitas vezes, quanto maior a responsabilidade que você tiver, mais você se culpa quando algo dá errado, mesmo que a situação esteja fora de seu controle. E importante que o familiar/cuidador reconheça estes sentimentos. Procure conversar com alguém de sua confiança, desabafe, porque se se conter, isto pode levá-lo a depressão e baixa estima, impedindo assim que você veja a situação de forma mais clara.

O familiar/cuidador, às vezes, tem dificuldade em se perdoar por  ter manifestado irritação ou por ter perdido a paciência, porque o portador da DA não consegue controlar seu comportamento. Melhor do que se preocupar com uma “explosão” de vez em quando, que é muito natural a qualquer um que esteja exausto ou sob grande stress, pensar sobre as muitas coisas positivas que fazem juntos ao longo do dia. Logicamente, é importante também procurar maneiras de expressar sua frustração sem perturbar seu

Muitos familiares/cuidadores também conhecem um sentimento geral de culpa porque acham que não estão à altura das suas próprias expectativas ou das expectativas que imaginam os outros terem deles. Se você se sentir assim, pode ser que você tenha se envolvido tanto na sua tarefa que esqueceu que VOCÊ é uma pessoa que também importa. É necessário colocar limites realistas a respeito do que se consegue fazer.

Se você se sentir culpado, talvez ajude se souber que outros cuidadores tem reações muito similares. Pode facilitar se você colocar os seus sentimentos para fora e lidar com eles, e para isto pode precisar de uma terapia, um grupo de apoio ou um amigo compreensivo. Uma vez que você puder parar de se culpar por ser humano com limitações, pode começar a pensar sobre as maneiras de lidar com situações que envolvem suas próprias necessidades bem como aqueles da pessoa com demência.

MAOS Alzheimer   Entendendo seus sentimentos

O familiar/cuidador pode ter culpa sobre pensamentos e sentimentos: os sentimentos de constrangimento em relação ao comportamento do portador, podem levar o familiar/cuidador a querer fugir ou até abandonar a responsabilidade. A maioria dos familiares/cuidadores tem, de tempos em tempos, tais pensamentos. São absolutamente normais na circunstância presente c não significam que você não está tentando lazer o melhor possível para o portador.

O familiar/cuidador pode ter culpa quando demonstra raiva ou irritação, porque falou asperamente o perdeu a paciência em um determinado momento, quando o portador já esqueceu o acidente há muito tempo. Melhor do que se culpar, é aceitar o fato que de está sob enorme stress. Se for possível ter ajuda d terceiros, deve aproveitar disto para relaxar e descansar.

O familiar/cuidador pode se sentir culpado pela própria doença, como se ele fosse o responsável pela demência. Não se perdoa por ter ficado impaciente nos estágios iniciais, quando não percebeu que havia algo errado, e se preocupa que alguma atitude tomada possa ter causado a doença. É importante se dar conta de que é muito difícil o diagnóstico precoce da DA e que nenhuma ação dele poderia ter causado doença.

O familiar/cuidador, por vezes, sente-se culpado pela reação do portador, quando este fica agitado o angustiado, quando começa a andar sem rumo ou se comporta de uma maneira imprevisível. liste comportamentos fazem parte da própria doença. Criar uma rotina calma, tranqüila, farão com que o portador se sinta mais seguro, mas é impossível para qualquer familiar/cuidador antecipar cada reação. Na verdade, tentar fazer isto privaria o portador da independência e dignidade que ele ainda preserva.

É comum ao familiar/cuidador sentir culpa quando aceita ajuda de outros, achando, que deveria da conta sem a ajuda de outros. Preocupa-se também que o portador fique angustiado se ficar sob supervisão de outros. Cuidar de uma pessoa com demência durante 24 horas todo dia é desgastante e exaustivo. De nenhum cuidador profissional se espera tanto. Aceitar ajuda significa que você terá mais energia e poderá continuar cuidando por mais tempo.

O familiar/cuidador pode sentir culpa sobre exigências conflitantes, isto é quando além de cuidar do portador cuida também da família, sentindo-se numa situação sem saída. Sente culpa se não pode oferece total apoio ao portador e sente culpa se dedica menor tempo que o normal ao resto da família. Além da culpa, pode sentir que a casa está um caos, as refeições corridas e as saídas com a família unida coisa de passado. Melhor do que tentar atender a todas as exigências, o cuidador precisa discutir prioridades com a família, para ver como cada um dos membros pode ajudar e que ajuda externa poderia ser contratada.

O familiar/cuidador pode sentir culpa sobre o tempo gasto consigo próprio, de que está sendo desleal se estiver se divertindo com coisas que o portador não pode mais compartilhar. Mas é muito importante ter a sua vida para seu próprio bem e o bem da pessoa da qual está cuidando.

O familiar/cuidador pode sentir culpa quando institucionaliza o portador. Pode sentir que falhou, que poderia ter agüentado por mais tempo, ou que quebrou uma promessa feita de nunca colocar o portador em uma instituição. É importante conversar sobre estes sentimentos com alguém que compreenda e que possa ajudar você na aceitação desta decisão, é preciso lembrar que mesmo que tenha feito a promessa de boa fé, na época ninguém poderia prever a possibilidade de demência e a pesada carga que isto traria.

**Extraído do Boletim 03 da ABRAz – maio/junho 1998

Márcio Borges

Geriatra - marcioborges@cuidardeidosos.com.br

Avalie este artigo

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas 12 Voto(s)
Loading ... Loading ...

42 comentários em “Alzheimer – Entendendo seus sentimentos”

  1. susana disse:

    sou filha cuidadora de portadora de alzheimer e ao ler todas as mensagens acima me identifiquei com cada uma.afinal minha mãe está no estágio de apatia, e ao mesmo tempo inquietação, não fica longe de mim um minuto sequer,já faz uso de fraldas o tempo inteiro mas esquece e vai ao banheiro arrancando-as e depois coloca de volta fazendo uma confusão. se queixa de dores o tempo todo mas nunca sabe dizer especificamente onde dói, pq ate na axila estes dias ela dizia que doía. sem contar o sono que esta descontrolado. não tem raciocínio mais e nem noção de quase nada, entre outros sintomas diversos que são parte deste mal que assola a família toda. e td isso acontece mesmo com acompanhamento geriátrico e medicação. e nos faz ficar desgastados, stressados, irritados por qualquer coisa e a nossa vida simplesmente estagnou. é realmente triste pra todos. pra ela e pra nós. ah. esqueci um detalhe. ela foi diagnosticada por volta dos 80 anos e já está com 90.é fogo.

  2. mariasmoura disse:

    ufa! minha mãe é uma santa, mais o alzheimer,parkson e depressão suga avida, tenta roubar a alma. como dói, queria q fosse em mim e não nela. ela sempre cheia de vida, planos, ideiais. me ajudou a sair de uma depressao. eu não consigo ajuda-la, me sinto impotente, não quer tomar banho,não deixa trocar suas fraldas, acorda c medo, zangada. como sempre é religiosa, reza, grita por DEUS, mais nao quer ir p missa ou passear. a ultima vez q levei ela nao quis entrar e se irritou. tento dar forças, mais choro mt, as vezes ela me consola.ta dificil retribuir tanto amor q ela me deu. SÓ DEUS P CURAR! suplico p beato joão pauloII.encontro apoio no abraz-ce(hosp gênesis)FORÇA,FÉ. venceremos!!!

  3. Eduarda disse:

    Minha vó foi diagnosticada com demência vasculas tem mais ou menos um ano… E de um mês para cá, está praticamente impossível aguentá-la. Moramos com ela, mas ela não para UM MINUTO. Não dorme de noite, passa o tempo todo chamando alto pelo meu pai, sem cansar. Não nos dá sossego, fica sempre reclamando de dor aqui e ali, e são dores que “caminham” pelo corpo. Nunca está satisfeita com nada. Ela não registra mais absolutamente nada. As vezes temos que ser grossos com ela, mas ela não entende, no que viramos as costas, ela volta a chamar e se queixar. Temos uma moça que cuida dela, mas mesmo assim não adianta. Ela continua “gritando” o tempo todo pelo nome de alguém (principalmente o do meu pai) e ao chegarmos lá, ela só pede ajuda para qualquer coisa sem dizer o que. Está ficando cansativo de mais, não sabemos mais como lidar. Ela já tomou vários remédios para dormir e não dorme com nenhum a noite toda. Lorazepam e Rivotril por exemplo, a deixam mais acordada ainda… O único que funciona parcialmente é Frontal, mas mesmo assim, ela acorda umas 3x de noite chamando incansávelmente pelo meu pai. Não sabemos mais o que fazer. A paciência já está no limite. Ela só anda com nossa ajuda, agora faz suas necessidades em fraldas e ultimamente temos trocado mais de 6x por dia. Não consegue mais comer, só come líquidos e mesmo assim reclama demais e faz caras de nojo.
    Por vezes temos até que rir das situações para conseguir mais forças…
    Lendo esses depoimentos, sabemos que muitos passam pelas mesmas coisas. Isso acaba nos confortando um pouco, pois só que realmente convive com um idoso com demência sabe o quanto é trabalhoso e estressante. É um sofrimento tanto para o idoso, quanto para os cuidadores. Obrigada!

  4. Claudia disse:

    MInha mãe tb esta com demencia vascular… esta começando a ficar com dificuldades de loccomoção…fica quieta quase sem falar nada e quando fala sempre pergunta quase a mm coisa. Mal consegue arrumar uma mesa…agora esta com uma pessoa pra poder leva-la pra passear um pouco, sendo que sempre gostou muito de andar..quando estava boa saia todos os dias. De uns dias pra ca acho que começou a piorar seu caso, esta mais dificil seu equilibrio e tb quer ir pra sua casa sendo que, a casa que ela esta é a dela…não sabemos mais o que fazer…ja levamos ela pra dar um passeio.. de pois levamos de volta…mas não adianta fala que aprontamos pra ela, vendemos a casa dela…
    Ja falamos pra ela que aquela casa e a dela abri todos os quadas roupas pra ela reconhecer suas coisas.., levo la fora, mas de nada adianta…não sei mais como lidar com a situação..alguem poderia dar uma ajuda???E alguem tem ideia de qual seria essa fase nesse tipo de demencia?
    Obrigada,

  5. maria de fatima disse:

    oi!pessoal,sou á fátima fiquei feliz em conhecer este site Pois tenho minha mãe com 76 anos que está com essa doença desde os seus 65 anos e realmente não é facil. sofria muito dentro de mim me policiando; buscando achar um meio para trata-la melhor. Quando conheci voces e vi que todos sentem as mesmas dificuldades me aliviei, e estou disposta a pesquiza e buscar entender melhor e cuidar, pra que ela se sinta bem em nosso meio.Amo muito minha mãe!………

  6. Marie disse:

    Ola !!
    Estamos cuidando da segunda mulher de meu sogro, q sofre de alzheimer. Esta na segunda fase, nao e facil, ela sempre foi uma pessoa muito dificil quando com saude, nunca teve muita afinidade, nem comigo nem com meu marido, mas agora esta em nossa casa a pouco tempo. Leio muito sobre alzheimer e sinto que nao vou aguentar a barra, e ja estamos vendo uma clinica de repouso. Antes dela vir para casa levamos ao medico, e ja em casa tratamos de cuidar da higiene, da alimentacao medicamento…Mas sei que vou ter q viver pra ela todo o tempo. As vezes me sinto culpada por nao querer cuidar dela em casa, mas penso muito como sera ter q me anular !!! Mas estou chegando a uma conclusao , se me disponibilizar a cuidar tem q ser com o coracao e nao para q pessoas de fora elogiem como um gesto nobre. Dificil , muito dificil, pq. muitas vezes o coracao quer falar mais alto !!

  7. nilda disse:

    ofereço para tomar conta de idosos
    tenho esperiencia
    tomo conta em minha casa
    ou a noite
    noite sim noite nao
    sou de vitoria
    es
    serra

  8. magali disse:

    Realmente não é fácil aceitar essa doença,no inicio se leva um choque,pois vc. acha que é apenas um lapso de memoria normal ,mas qdo se constata a doença é um susto ,sou flha unica minha mãe sempre foi uma mulher hiper dinamica vaidosa,caprichosa e agora está tão frágil,quase nem me reconhece como filha,estou sofrendo muito,mas tenho tido muito apoio de meu marido e principalmente de meu filho que prestou o depoimento acima ,isso me dá forças para continuar a vencer as dificuldades de como irão se apresentar.Sempre acreditando e pedindo a Deus que nos dê forças e muita paciência ,assim sendo poderemos dar muito carinho e amor para quem tanto fez por nós e agora de nós depende.Abraços a todos

  9. Ronaldo C. Sagres disse:

    Parabéns por este Blog realmente é confortante ver que não estamos só.
    Minha Avô tem Azheimer e minha mãe que recebe toda carga de stress, mas vamos levando e aprendendo com esta experiência que apesar de ser dolorosa nos faz crescer e dividir nossas dores com outros que estão na mesma situação.
    Acredito no Poder da Fé que ajuda muito, isso em qualquer religião. Boa Sorte a Todos !!!

  10. GLORIA disse:

    SOU CUIDADORA COM EXPERIENCIAS EM AVC E ALZHAEMER COM ESCARAS OU NÃO ETC..TRABALHO NO HORARIO DE 24H POR 24H,MORO NO RIO DE JANEIRO EM VAZ LOBO PERTO DE MADUREIRA E PARA TROCA DE IDÉIAS TENHO O MEU EMAIL OK?GLORIANET_RJ@HOTMAIL.COM E O ORKUT É SÓ POR ESSE E-MAIL OK E ENTRAR OK?BJSSSS E UMA SEMANA DE LUZ E PAZ A TODOS

  11. Maria disse:

    Esse artigo me ajudou a identificar alguns dos sentimentos que me perseguem. Moro em JF há dezoito anos, e minha mãe no sul de Minas, já há uns quase cinco anos, minha mãe apresentou mudança de comportamento e já toma medicação contínua(Excelon), com ela tem 4 acompanhantes, eu administro de longe e periodicamente vou até lá. Meu maior desejo é trazê-la pra perto de mim, mas ela muito resiste a essa idéia, pois ain da tem alguma lucidez, e apego á sua casa, jardim, amigos. Esse conflito me faz me sentir impotente e inútil.
    Alguém pode me dar uma palavra de apoio?

  12. Marcelina disse:

    Sou psicóloga de uma instituição e é real todas as angústias e incertezas que acompanham os familiares cuidadores dos idosos com Alzheimer. Fica claro a necessitade de cuidar dos cuidadores, para que esses não adoeçam juntamente com os seus

  13. Cissa disse:

    Todas as informacoes que vcs colocam aqui sao super importante para o esclarecimento de quem passa por essa situcao, quem cuida . Minha sogra sofre disso, e realmente nao e facil… ja esta na fase de nao querer tomar banho… e nao tem ninguem que consiga faze-lo, ou ajuda-la… ela fica agressiva.E uma situcao muito dificl ver um ser humano, que era normal, derepente passar a viver assim…Concordo plenamente com todos que diz que so tendo muita paciencia e amor mesmo… Se tem alguem que esta passando exatamente por isso(na qual a pessoa doente nao se deixa lavar), poderia me ajudar…

  14. rosa mary disse:

    Sou cuidadora, gostei muito de ler todos os comenttários, estes vieram para acalmar meu coração,porque as vezes, me sinto culpada principalmente na hora da higiene,não consigo mas vejo que não é só comigo.obrigada estarei sempre em contacto com voces abraços

  15. ana marta silva disse:

    adorei ver as consideraçoes feitas pelo site,tenho minha mae doente ha 5 anos, e no inicio nao conseguia entender a doença,sentia raiva dela e de mim mesmo por nao conseguir lidar com a situaçao,tenho meu trabalho,esposo e uma filha.Tenho uma equipe medica que me da toda assistencia e agradeço a todos eles,sao mais que profissionais sao meus companheiros de luta pra vencer o alzheimer.Hj,apos ter entendido a doença e nao ir mais contra ela,me sinto forte e feliz e estamos todos felizes vivemos em harmonia mesmo com todos os problemas que a doença nos apresenta.Apos terapia, me sinto melhor e parendi a amar o doente,que e o meu proximo,minha mae.Deixo minhas consideraçoes e meu carinho a todas as familias que possuam uma pessoa especial em suas casas,dêm amor iso e o que importa.

  16. dalva coelho disse:

    oi monica vc mora ondi

  17. dalva coelho disse:

    oi bom dia a todos . queria saber porque minha mãe tem muita secreção .os medico não fala nada.74 anos 50k 9 anos d cama so respira

  18. monica aparecida de souza disse:

    Sou cuidadora,experiencia ,em diabete avançada e principio de Alzheimer.

  19. dalva coelho disse:

    vitoria_es ,maruipe,,estou a proucura de um bom cuidador ,,,,,sexta sabado domingo 3 dia 2 noite

  20. Fatima disse:

    Oi! tudo bem com vcs? Minha mãe tem 66 anos e descobri que ela sofre da demencia senil e eu gostaria de saber em que fase da doença ela esta? Ela as vezes não me conhece fica, gritando minha irmã (que tem sindrome de dawn). Minha mãe fica chamando pelo marido (que já é falecido a 4 anos), mas que para ela está vivo. Ela também acorda de madrugada dizendo que quer ir para a casa de seu pai ou a da sua avó. Sisma de querer arrumar a casa sem parar e isso deixa todo mundo louco e quem sofre mais com isso é a minha irmã que citei acima. Gostaria de uma resposta e obrigado pelas dicas do site.

  21. carolina disse:

    SOU CUIDADORA DE IDOSOS COM EXPERIENCIA EM ALZHEIMER DISPONIBILIDADE PARA MORAR DE 2 A 6 FEIRA. 73681520 OU tukinhakarol2@hotmail.com obrigado Carolina

  22. Raquel disse:

    È…..
    Quantos de nós passando por coisas semelhantes.
    Cada um com um tipo de dificuldade,isolamento forçado,ja que nessa ninguem quer saber de ajudar,(só quando estamos bem).Ja li que todos nós temos essa queixa!!!.
    Tenho a minha mãe com D A .faze intermediária,posso dizer que perto de muitos ela esta ótima.Imaginem…..
    È uma luta a cada dia que nasce.Graças a DEUS,temos o SENHOR JESUS para nos suprir de tudo poeque senão……Confiemos Nele.
    Trabalho fora,meu marido(aposentado)é que aguenta o rojão.Ela esta em uma “creche” tres vezes por semana, para ajudar um pouco descansar-nos.
    Uma das maiores dificuldades,é faze-la tomar banho!!!!!que estress.
    Existe alguma fórmula magica,não to aguentando.
    DEUS abenções a todos (a) nós,
    obrigado

  23. bom dia, fiquei muito feliz saber qui eu não estou sozinha .gostei d ler os comentarios fortalece ,minha mãe tem boença d parkinson fase avançada totalmente acamada ,alimenta exclusivamente por soda de gastrostomia .na cama .sem mexer .sem rir, sem fazer nada. apenas olhando para cima . desde novembro de 2000 .vc pod me edicar um bom cuidador? para sabadu e domingo estou presizando de um descanso ?bigadu por ter achado vcs bj

  24. Meire Nunes disse:

    Quanto ao Site de vcs, encontrei pesquisando pela net,vcs estao de Parabéns, obrigada,

    Meire Nunes.

  25. Meire Nunes disse:

    Minha Mae tem Alzheimeir a 8 anos ja, ainda nao esta totalmente debilitada,mas caminha ao meu lado, vou segurando, para caminhar com cuidado e devagarinho, mas nao sei o que fazer para que ela ganhe mais peso, ela emagreceu bastante, nao sai dos 46 ou 45 kilis e é alergica a lactose,
    Aguardo suas orientaçoes, obrigada,

    Meire Nunes.

  26. Denyse Prada disse:

    É de grande valia a publicação de matérias referentes ao ao Mal de Alzheimer, pois a família geralmente é “pega de surpresa” e tem muita dificuldade em entender e assimilar os efeitos da doença.
    Meu pai é portador, mora em Belo Horizonte e tem enfrentado relativamente bem as limitações impostas. Gostaria de saber se existe alguma associação que nos oriente sobre cuidadores na cidade de Belo Horizonte. Seria bom poder conversar com familiares de doentes e participar de grupos de pessoas que lidam com a doença.Muito obrigada. Denyse Prada

  27. Marcio disse:

    Muito esclarecedor este artigo. Minha avó com 92 anos aparenta estar com DA, mas os sentimentos descritos aqui são os mesmo que sentimos. A culpa por não temos percebido antes, acharmos qe era normal. Estou estudando o assunto e acompanhando mais de perto para auxiliar minha mãe que passa 24 horas com ela. Muito obrigado pelo escarecimento.

  28. eliane disse:

    gostei d ler os comentàrios ,fortalece bastante quem cuida de pessoas com d a

  29. emilia disse:

    Minha mãe está com DA há 3 anos que foi diagnósticada,ela tava indo até bem ,mas de janeiro pra cá ela piorou pois não quer dormir de noite e eu não sei o que fazer ,o médico me diz que devo fazer bastante barulho durante o dia para que ela não durma,tenho 3 adolescente que faz barulho o dia todo mas ela dorme que parece não tem ninguem em casa se possível me dê uma orientação.

  30. Flávia Merhey disse:

    Extremamente rico o artigo. Minha mãe também está na fase inicial do DA e é um choque conviver com questões tão simples, as quais sempre dominou e que agora não consegue resolver. Sou uma pessoa bastante impaciente e estou precisando trabalhar duplamente a questão de ser paciente. Será uma luta…mas da qual não posso fugir.

  31. Telma Dias disse:

    Cuido a minha sogra vítima de AVC a sete meses, está sendo muito difícil, pois não tinha experiênca nenhuma, estou aprendendo com a prática a fazer a higiêne, alimentar pela sonda gástrica, dieta alimentar, medicação, entender suas necessidades e desejos. Hoje ela já se alimenta sozinha, sem a sonda, fala algumas palavras e se manifesta com gestos em algumas situações. Só agora descobri o bog que é muito rico em experiências e dicas, estou aprendendo bastante. Pelo que vejo as minhas dúvidas e frustrações são muito comuns, como esquecer de me cuidar, cobrança dos filhos quanto a atenção e tempo, acúmulo nos cuidados com a casa, etc.
    Mas ao mesmo tempo é muito gratificante ver que posso de alguma forma contribuir para recuperação ou pelo menos pela melhoria na qualidade de vida da D.Dora. Tenho certeza que mais que cuidados básicos não que faltam amor carinho e muita dedicação de todos aqui em casa. Obrigado pelo apoio que este site nos dá. Abraços.

  32. Estou à disposição dos cuidadores no blog
    http://vitalinaalzheimer.blogspot.com
    com dicas de procedimentos que adotei para cuidar de minha mãe.
    Abraços a todos,
    Vitalina

  33. deusimar disse:

    Estou com minha adorada mãe, em fase inicial de DA e sinto, em DEUS, que é uma doença trabalhosa para seus famíliares , sofredora por motivo da dependencia, para o portador, porém acredito ser uma forma de termos a oportunidade de cuidar com carinho e amor, por muito ,mais tempo do nosso lado, alguém que com amor, nos cuidou com tanto esforço e carinho.Estou muito feliz com este artigo e desde já muito obrigada por sua inpiração.

  34. magali disse:

    gostaria de saber se que eu faco pois minha vó já tem 19 anos de DA, e já esta em estado vegetativo. O que devo fazer

  35. Sumaia disse:

    Ola..
    Queria saber metodos para que melhore esta situacao se existe algo que posso fazer pra que minha avo nao sofra tanto???? Axo que ela se indentifica em un nivel mais avançado,depois da morte de 5 filhos e do esposo ela esta assim meu Vovo ficou 10 anos na cama sem conversa sem mexer sem rir sem fazer nada apenas olhava pra cima , foi momentos dias apos dias e anos apos anos com muito sofrimento e ela presenciou isso … Por favor eu ja nao consigo mais lidar com essa situaçao me falem algo que posso fazer pra que ela nao sofra tanto…

  36. Quando minha mãe faleceu,em setembro de 2007 eu fiquei me cobrando,achando que se eu tivesse mais dinheiro,mais paciência ,mais isto e aquilo,poderia ter cuidado melhor dela.
    Mas qual ,não foi possível melhor.

    Mas não joguei a toalha.O que posso fazer,continuo fazendo:ofereço o que aprendi,dicas facilitadoras para aqueles problemas que nos exacerbam,que não estão nos livros,de tão prosaicos.Respostas de leiga sem dúvida,que foi descobrindo com os múltiplos desafios.

    Continuo à disposição,pois DA precisa de um tratamento básico:solidariedade.

    HTTP://VITALINAALZHEIMER.BLOGSPOT.COM

  37. Zoroastro disse:

    Sou jovem ,tenho uma carreira militar pela frente e sinto os reflexos que o dia-dia a que um cuidador é acarretado. Minha mãe esta na fase inicial da Da,mas já exige um enorme disprendimento das pessoas que estão ao seu lado. Com tudo lendo essas explicações do site fiquei bem mais seguro e confiante de que minha estadia nesta vida ainda é de muita valia. Nossas vidas dependerão de um filtro realmente mais peneirado,mas tenho comigo que amor e compreensão ainda são as chaves pra tudo.

  38. TEREZA disse:

    BOA TARDE!!!! MEU PAI TEM DA, E ME IDENTIFIQUEI MUITO COM AS DICAS, NÃO IMAGINA O QUANTO FOI IMPORTANTE . MUITO OBRIGADA.

  39. EDICLEIA disse:

    TENHO UMA AMIGA MUITO PRÓXIMA QUE SOFRE DESSE MAS ESTÁ NA FASE INTERMEDIARIA, E ESTÁ MUITO AGITADA AGREDINDO O SEU CUIDADOR , AGREDINDO ATRAVÉS DE PALAVRAS E GESTOS

  40. Sueli disse:

    Eu lí o texto e me identifiquei,embora minha mãe esteja no começo da demencia e ainda não diagnosticada com DA,mas me foi de suma importancia tudo que lí e me senti mais forte e menos culpada.Além do que,não tão sozinha como vinha me sentindo.
    Obrigada,muito obrigada!

  41. Wagner disse:

    Bom dia, as explicações que acabei de ler , me ajudaram bastante a compreender o significado de familiar/cuidador.Não moro com meus Pais dos quais minha Mãe é portadora de DA. Mas todos os dias os visito e tento ao maximo participar do processo evolutivo desta doença em minha Mãe. Percebo que o que posso fazer é dar muito amor, carinho , atenção, sair para passear com eles, pois meu Pai esta totalmente envolvido 24 hs por dia e tambem tem que ser cuidado. Somente penso no afastamento das pessoas , que acredito, deveriam estar mais presentes e qual é o reflexo em minha Mãe dessa falta de cuidado deles. obrigado masi uma vez.. Wagner

  42. EDNA RIBEIRO disse:

    BOM DIA, MUITO IMPORTANTE ESTA DICA, HJ DESCOBRI QUE MINHA MÃE ESTA COM ALZHEIMER, ELA CHORA TODOS OS DIAS ESTA COM DIFICULDADES DE ANDAR, ALÉM DE ALGUMAS VEZES NÃO SE LEMBRAR ONDE ESTA, EU ACHAVA QUE ERA PORQUE EM OUT DE 2007 O MEU PAI FALECEU E A 2 MÊSES ATRAZ FOI A MINHA IRMÃ MAIS VELHA QUE ME DEZIGNOU A CUIDAR DA MINHA MÃE CASO ALGO ACONTECE-SE COM ELA, DE ALGUMA FORMA AS VEZ ME SINTO ENSEGURA
    COM MEDO DE PERDE-LA TAMBÉM TENHO TENTADO FAZER DE TUDO PARA ELA PORQUE SEI O QUE ELA MAIS PRECISA NO MOMENTO É CARINHO AMOR E ATENÇÃO, MUITAS VEZES PENSO QUE NÃO VOU CONSEGUIR E ME CULPO POR ISSO MAS HJ VERIFICANDO ESTE SITE CERTAMENTE MUDAREI O MEU PENSAMENTO POR ISSO GOSTARIA DE AGRADECER O MEU MUITO OBRIGADA
    EDNA RIBEIRO

Quer adicionar uma foto no seu comentário?

Entre no site gravatar.com, crie uma conta e faça o upload da sua foto.

Comente

  • Nenhuma citação para este post.

Enquete

Você já baixou o aplicativo do livro SETE HISTÓRIAS DE ALZHEIMER? É GRÁTIS SOMENTE ESTA SEMANA!

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Mapa
© 2010 Cuidar de Idosos. Todos os direitos reservados. Reprodução sem permissão não é permitido.

© 2012 CUIDAR DE IDOSOS

Recomendamos também a leitura de: